• Atualidade

    Festival de armas depois de massacre em Las Vegas

    Ainda no rescaldo de um dos maiores massacres norte-americanos, eis que os aficionados de armas estão reunidos, desde sexta-feira, em Oaks, na Pensilvânia, EUA, para participar no “Oaks Guntoberfest”. Desde sexta-feira, dia 6 de outubro de 2017, que os amantes de armas estão reunidos, em Oaks, na Pensilvânia, EUA, para participar no “Oaks Guntoberfest”. O evento, considerado um dos maiores da costa leste do país, ocorre apenas uma semana depois de um tiroteio, o pior da história norte-americana, que vitimou 58 pessoas em Las Vegas e feriu outras 500. A maioria dos visitantes, e até das pessoas que organizam o evento, têm uma opinião muito específica relativamente à legislação sobre as…

  • Atualidade,  Informação

    Polícia investiga motivos do casal que matou 14 pessoas na Califórnia

    Ainda são desconhecidas as razões que, no dia 2 de dezembro de 2015, levaram um casal de nacionalidade árabe a matar 14 pessoas na Califórnia. Foram já identificados os autores do massacre na Califórnia, em San Bernardino, nomeadamente: Syed R. Farook, de 28 anos, e Tashfreen Malik, de 27 anos. Tudo aconteceu no dia 2 de dezembro às 11 horas locais, quando o casal entrou com máscaras pretas e armamento pesado num edifício de serviços de apoio social, no qual ocorria um evento, matando 14 pessoas e ferindo outras 17. O xerife Jarrod Burguan não descarta a hipótese de terrorismo tendo em conta que Farook, que trabalhava para o departamento…

  • Informação

    Massacre na universidade do Quénia: autor identificado

    Quinta-feira passada, a Universidade de Garissa, situada no nordeste do Quénia, foi alvo de um massacre que vitimou 148 pessoas. Após instaurada a investigação por parte do Governo do Quénia, foi identificado um dos autores do grupo islâmico responsável. Um ataque da milícia islamista Al-Shabab vitimou 148 pessoas numa universidade de Garissa. Durante a madrugada, o grupo armado invadiu os dormitórios e executou vários estudantes que se identificavam como cristãos. Após o cerco à universidade, apurou-se que o principal responsável seria Mohamed Mohamud, antigo reitor de uma universidade. O Ministério do Interior queniano prestou declarações à imprensa ontem, afirmando que “um dos quatro ‘shebab’ que atacaram a universidade de Garissa…