• Opinião,  Secções

    A resposta está no nome

    Eu sei, está tudo farto de ouvir falar no novo acordo. É a língua a evoluir, não há nada a fazer, e por aí fora. Mas aqui fica um grito aos céus de quem ainda estremece quando lê “ação”. Os motivos do acordo – os oficiais, pelo menos – são uma coisa que me magoa. Cada país tem direito à sua identidade e a língua é uma das suas marcas mais importantes, mesmo se for comum a vários países: porque é diferente, no ritmo, em vocabulário, em subtilezas da grafia; em pormenores, no fundo, mas pormenores que a tornam especial, única, nossa. É por isso que, apesar de sabermos que…

  • Opinião

    Défice de carisma

    Já aqui me declarei como um esquerdista chato, meia dúzia de vezes, com a mania de que defende a classe média, e que combate a corrupção económica e política com as palavras (tenho de ir a um manual psiquiátrico ver que tipo de delusão messiânica é esta). Não devo bater no ceguinho, portanto. Agora que penso nisso, neste contexto, e tomada literalmente, esta frase é extremamente estúpida, salvo para os numerosos de vocês que tenham braille no monitor do PC. Enfim, voltando ao filosofanço político: acho que, quase desde a sua concepção, a esquerda portuguesa tem um problema incapacitante: a falta de figuras carismáticas. Obviamente a génese do liberalismo democrático…