• Opinião

    Pensar Fora da Caixa

    Há muitos lugares-comuns. Em todo o lado nos dizem que é preciso “pensar fora da caixa”, o que, de certa forma, não deixa de ter uma certa ironia. Apelam-nos a que sejamos diferentes da mesma forma que todos os outros o fazem. Dizem-nos que temos de fazer a diferença, não acrescentando sequer uma vírgula ao discurso de todos os outros. O “pensar fora da caixa” está bem dentro da caixa e nada é mais do que um exercício de travestismo linguístico que eu gosto de acompanhar e aprecio até (o único travestismo que acompanho e aprecio, diga-se). É dito desta forma como se fosse uma ideia nova, mas a ideia…

  • Opinião

    Urbi et obras: Ser Feliz no Samouco

    Estão a aproximar-se as viagens de finalistas dos estudantes do secundário e, desta vez, decidi antecipar-me e falar já do assunto. Alguns finalistas, talvez possuídos pela origem da palavra finalista, não percebem que a viagem, supostamente, serve para celebrar o fim do secundário e não para os colocar à beira do próprio fim. O conceito de gastar um balúrdio para ficar durante uma semana numa aldeia em Espanha a beber com o intuito de apenas tornar memorável algo de que não haverá memória é uma coisa que me fascina. Eu consigo imaginar perfeitamente isso a acontecer com grande sucesso em Portugal. Quão espectacular não seria para um alemão, um holandês,…

  • Opinião

    Urbi et obras: Quem é quem?

    Desde que a crise foi oficializada em Portugal com o pedido de ajuda externa que tem havido algumas crises de identidade. Alguns achavam que Portugal era a prova de que a natureza não é perfeita e que estava na altura de admitir à mãe Alemanha isso mesmo: “Eu sou um ele, mas sinto que nasci com as fronteiras erradas. Sou um ele, mas sinto-me uma “ela”. A partir de hoje sou a Grécia”. Claro que a Alemanha fez o que qualquer mãe austera faz numa situação destas e meteu Portugal de castigo. Aos poucos, foi aliviando um pouco, mas continua a exigir que Portugal cumpra as suas obrigações para não…

  • Opinião

    Em Que Estás a Pensar?

    Há muitas teses a propósito das redes sociais. Para mim, cada vez são um espaço mais desinteressante. E nem é nenhuma teoria sobre os efeitos que as redes sociais vão ter nas sociedades com o passar do tempo. É mesmo pela razão mais simples: cada vez encontro menos coisas lá que me interessem. A tendência tem sido para que, cada vez mais, sejam espaços que contribuem para a confusão e não para o esclarecimento; para fomentar a aparência e esquecer a essência; para mostrar aos outros que somos melhores e, ao mesmo tempo, invejarmos a vida dos outros; para nos privarmos de ter tempo para nós próprios e para a…

  • Opinião

    Parabéns, Rei

    Portugal é, indiscutivelmente, um país de futebol. No entanto, Portugal também é um país em que quem quer parecer intelectual opta por rebaixar e catalogar coisas em vez de puxar dos galões intelectuais e elevar o debate. Desta forma, Portugal é um país de futebol e que despreza ser um país de bola. O exemplo mais claro disto mesmo é Eusébio e as pessoas que dizem que ele era só um jogador da bola. A facilidade com que se diz que Eusébio não contribuiu para nada é a mesma com que se eleva um músico. Gostava, ainda assim, de que essas pessoas me explicassem porque é que um bom cantor…

  • Opinião

    Os Anjos de Charlie

    Caro muçulmano pacífico, em primeiro lugar, devo-te um pedido de desculpas por só agora te estar a escrever. Juro que pensei em ti várias vezes ao longo dos últimos dias, mas eu queria que a poeira baixasse um pouco antes de me pronunciar. Já sabes como eu sou. Só gosto de falar no fim para não me precipitar. Sei que tu, tal como a esmagadora maioria das pessoas que se tem manifestado pelas redes sociais fora, condenas o atentado de Paris. Tal como condenaste o 11 de Setembro, o 11 de Março e tantos outros atentados perpetrados por pessoas que diziam ter a tua religião. Calculo que tenham sido dias…

  • Opinião

    Triplo Salto

    Há dias li um artigo em que era dito que os professores de Educação Física estavam descontentes com o desinvestimento na disciplina em prol de outras como a Matemática ou o Português. O Governo retirou 30 minutos de carga horária semanal de Educação Física (de 180 minutos passou-se para 150) e a disciplina não conta para a média. Não sei exactamente quando é que estas medidas entraram em vigor (se calhar, o facto de não ter ido procurar é causado pelo sedentarismo), mas são as que causam mais revolta. Eu consigo perceber a indignação dos professores. Talvez se tivéssemos mais horas de Educação Física conseguíssemos correr com a crise e…

  • Opinião

    Ano Novo, Vida Nova

    Permitam-me que inicie esta crónica cumprindo o protocolo e mostrando desconforto. Cumpro o protocolo dizendo-vos que tinha muitas saudades vossas, dado que já não vos escrevia desde o ano passado. Gostava, também, de mostrar desconforto por não saber se ainda é suposto estar tudo a correr bem com a minha vida. Houve pessoas que me desejaram umas boas entradas e eu não sei quando é que se considera o fim das entradas – logo após a meia-noite? No dia 2? No início de Fevereiro? Quero aproveitar também para dar força a todas aquelas pessoas que nos últimos quatro dias aproveitaram para se candidatar a um lugar cativo no céu: não…

  • Opinião

    Urbi et obras: Ponto Final

    Não há nada mais antipatriótico do que escrever ou falar mal a língua nativa. No caso da língua portuguesa, para mim, é ainda mais grave. A nossa língua é, muito provavelmente, a maior marca cultural que espalhámos pelo mundo, tendo em conta o número de falantes. Por outro lado, é das poucas coisas que ainda mantemos (embora com alterações) dos tempos mais gloriosos da pátria. Qualquer pessoa pode dar um erro. É, também, perfeitamente normal que pessoas sem formação dêem alguns erros. Estranho é ver pessoas dar erros e ficarem ofendidas quando são corrigidas. Normalmente, dizem coisas como “Percebeste, não percebeste? Então, pronto”. Não é uma questão de se perceber…