Media

4 séries para veres quando te sentes uma pessoa horrível

Aceitemos a realidade. Quase todos nós, numa altura ou outra, nos sentimos uma pessoa horrível! E faz parte… Não importa o quanto eles tenham tentado, mas a alta probabilidade de os nossos pais nos terem traumatizado de alguma maneira faz com que tenhamos algumas pontas soltas no nosso cérebro e, por isso, faz também com que tenhamos alguns momentos dos quais não nos orgulhamos. Mas a verdade é que todos cometemos erros e, a não ser que tenham morto alguém ou posto ananás na pizza, vai sempre existir espaço de redenção. E, mesmo que neste momento se sintam uma exceção a esta regra, não significa que tenham de marinar em pensamentos negativos e de existencialismo, quando têm sempre a possibilidade de distrair o vosso cérebro. Ajuda? Sim! É saudável? Eu não termino um livro há um ano… Podem parar de me fazer perguntas às quais eu não sei responder?!

Independentemente das minhas habilidades, trago um pequeno catálogo de séries que podem usar para lidar com todas essas emoções complicadas enquanto não tiverem dinheiro suficiente para pagar um psicólogo. E para todos aqueles que não se sentem capazes de analisar e resolver demónios interiores, como meninos crescidos, não se preocupem, meti escapismo na mistura, para adiar a inevitável explosão que permite com que o ciclo continue. Por isso, metam a sebenta de lado, prometam a vocês próprios que começam daqui a uma hora e vejam um episódio (ou temporada) de uma série que nunca mais vão conseguir ver porque vos fez ter de ir a recurso!

  1. Friends

Se querem desligar os vossos cérebros durante 20 minutos e ver pessoas atraentes a combaterem problemas triviais, numa versão irrealista do mundo, Friends é a opção perfeita.

Muitos dizem que a série não tem piada e que é demasiado apreciada… Porém, ao contrário das teses destas mentes iluminadas – que vão encontrar a cura para o cancro, visto que são tão especiais e únicas – a série é adorada por uma grande percentagem do planeta, por alguma razão. As personagens são encantadoras, a história tem um ritmo rápido e a escrita é um equilíbrio perfeito entre o engraçado e o estúpido.

Em geral, se querem escapar para uma realidade alternativa, onde só têm de usar duas células cerebrais e zero energia, vão buscar as pipocas e vejam esta série. Ou, no caso de 98% da população, revejam este marco icónico da televisão até terem sono suficiente para não terem de estar sozinhos com os vossos pensamentos ao adormecer.

IMDB: 8.9/10

ROTTEN TOMATOES: 79/100

ONDE VER: HBO MAX

2. Sexo e a Cidade

Continuamos em Nova Iorque, na companhia de outra série igualmente icónica que segue quatro mulheres nos seus 30 e 40 anos, enquanto lidam com as pressões sociais e analisam as filosofias à volta de sexo e relações… Sim, isto não é propriamente um espelho para o típico estudante de universidade. Porém, é um programa extremamente engraçado, bem escrito e bem atuado. 

Apesar de continuar a onda escapista, temos personagens bastante mais reais, com problemas reais e que realmente lidam com situações indesejáveis e fazem (ok, a Carrie faz…) imensos erros. Sempre é mais fácil sentirmo-nos bem connosco próprios quando vemos pessoas consideradas fabulosas a fazer piores coisas do que aquelas que nós fazemos.

Por isso, seja pelos tópicos mais complexos ou simplesmente pelo valor de entretenimento, esta é outra série que vos vai ajudar a tolerar a realidade.

IMDB: 7.1/10

ROTTEN TOMATOES: 70/100

ONDE VER: HBO MAX

3. Crazy Ex-Girlfriend

Provavelmente a menos conhecida desta lista, Crazy Ex-Girlfriend é uma daquelas séries que ou adoras ou não entendes… Conta a história de Rebeca que se despede do seu emprego, enquanto advogada de sucesso, com intuito de seguir o seu ex-namorado para uma pequena localidade chamada West Covina. Para contexto, Rachel Bloom, a criadora e atriz principal da série, teve a ideia para esta série quando estava a lidar com problemas mentais, por isso, sim… Vai ser mais profunda do que as outras sugestões nesta lista.

Porém, uma das razões pelas quais este programa é interessante é o facto de Rebecca, que definitivamente prova porque merece o título que lhe dão, escapar aos desafios da sua vida através de números musicais. Devido a tal, a série acaba por ser bastante leve ao equilibrar as discussões sobre saúde mental com momentos coloridos, bem como ao conferir um elenco e guião bastante engraçados. Por isso, se querem molhar os dedos no lago da introspeção, este é um bom ponto de começo!

IMDB: 7.8/10

ROTTEN TOMATOES: 98/100

ONDE VER: Netflix

4. Fleabag

Criada, escrita e interpretada por Phoebe Waller-Bridge, Fleabag segue a personagem sem nome que tenta resolver toda a confusão na sua vida após a morte da melhor amiga. 

Esta é a minha série preferida e teve um impacto tão grande em mim que passei a ver a minha vida antes e depois de assisti-la. Com apenas duas temporadas, seis episódios cada, o investimento que vão depositar nesta série não vai chegar a três horas e duvido que se arrependam. Se há uma série que ilustra que toda a gente merece redenção e que há sempre uma luz ao fundo do túnel, é esta. É tão hilariante como melancólica e é daqueles programas que não desperdiça um momento – ainda que exija pôr parte do escapismo de lado e ligar o hemisfério do nosso cérebro que nos incomoda… Prometo que vale a pena, nem que seja para se sentirem melhor por comparação!

IMDB: 8.7/10

ROTTEN TOMATOES: 100/100

ONDE VER: Prime Video

E pronto, é isto… Espero ter ajudado na vossa tentativa de adiar a procura de soluções eficientes para os vossos problemas sérios!

Revisto por Beatriz Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *