Atualidade,  Informação

A Agência Europeia do Medicamento aprova vacina BioNTech/Pfizer

A vacina contra o novo coronavírus tem luz verde para avançar. Foi aprovada pela entidade reguladora de medicamentos da União Europeia. Aguarda apenas a aprovação final por parte da Comissão Europeia.

Fonte: REUTERS/AMIR COHEN

O comité científico da Agência Europeia do Medicamento (EMA) reuniu-se esta segunda-feira e recomendou uma autorização condicional da vacina BioNTech/Pfizer. É a primeira contra a Covid-19 a receber uma permissão para uso de emergência em território europeu. “A vacina cumpre os exigentes padrões da EMA. Mostra de forma convincente que os benefícios são maiores que os riscos”, afirmou Emer Cooke, diretora-executiva da entidade que regula a aprovação de medicamentos na UE. 

A conclusão baseia-se em dados de ensaios clínicos em mais de 40 mil participantes. Numa conferência de imprensa em Amesterdão, Cook declarou que garantir a segurança da vacina foi a prioridade. “Estas vacinas serão administradas a milhões de pessoas na UE e nós estamos bem conscientes da enorme responsabilidade que temos”, afirmou.

Desenvolvida pelos laboratórios BioNTech e Pfizer, a vacina foi aprovada em menos de um ano e é a primeira a ter luz verde na União Europeia. A diretora-executiva da EMA considera-a uma “conquista científica histórica” e um passo em frente no combate à pandemia. A vacina já começou a ser administrada em alguns países, tais como os EUA, o Reino Unido e o Canadá.

A aplicação da vacina é válida em todos os Estados-membros da União Europeia, prevenindo a Covid-19 em pessoas a partir dos 16 anos de idade. Contudo, para que possa ser comercializada e administrada, falta a aprovação final da Comissão Europeia. Se o parecer da EMA for considerado válido, o que normalmente acontece, segue-se uma autorização condicional de introdução no mercado. A decisão deverá saber-se já na próxima quarta-feira.

A partir desse ponto, os Estados-membros da UE podem dar início ao plano de vacinação. Já se sabe que vão iniciar este processo ao mesmo tempo, nos dias 27, 28 e 29 de dezembro. Em Portugal, a ministra da Saúde, Marta Temido, já adiantou que a vacinação pode começar no dia 27. 

A Comissão Europeia assinou ainda contratos com outras companhias de vacinas, nomeadamente a AstraZeneca (300 milhões de doses), Sanofi-GSK (300 milhões), Johnson & Johnson (200 milhões), BioNTech e Pfizer (300 milhões), CureVac (405 milhões) e Moderna (160 milhões).

Esta última deverá ser a próxima a receber ‘luz verde’ da EMA, que já antecipou para 6 de janeiro uma reunião marcada para concluir a avaliação da vacina produzida pela farmacêutica Moderna.

Artigo revisto por Ana Cardoso

Adriana Alves

A Adriana é uma aspirante a jornalista, paixão que só descobriu tardiamente. Conjuga empatia e perseverança. Não gosta de arriscar, mas faz por isso. Determinada em abraçar novos desafios e em busca de boas histórias para contar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *