Literatura

A Vida e Obra de Saramago e os 3 Livros que tens absolutamente de ler

Apesar do facto de ser dos mais famosos autores portugueses, nem todos conhecem alguns dos momentos marcantes da vida de José Saramago, vencedor do Nobel da Literatura em 1998. Decidi, por isso, escrever este artigo. Depois de terminarem, espero que conheçam, nem que seja só um pouco melhor, Saramago. Decidi, ainda, trazer-vos três recomendações de livros deste autor que considero serem de leitura obrigatória.

A Vida e Obra do Prémio Nobel da Literatura

José Saramago em criança
Fonte: News Museum

16 de Novembro de 1922: Nasceu José Saramago, numa província do Ribatejo, no seio de uma família de camponeses. Contudo, a maior parte da sua vida foi passada em Lisboa. Trabalhou em diversas áreas, tendo sido desenhador, tradutor e  jornalista. 

A Terra do Pecado
Fonte: Fnac

1947: Publicou o seu primeiro livro, um romance, Terra do Pecado, estando, posteriormente, vários anos sem publicar obras. Trabalhou durante vários anos numa editora, onde exerceu funções de direção literária e de produção. 

José Saramago no plenário no “Diário de Notícias” em 1975
Fonte: Diário de Notícias

Entre 1972 e 1973, fez parte da redação do jornal Diário de Lisboa e colabora como crítico literário na revista Seara Nova.

Entre Abril e Novembro de 1975, foi diretor-adjunto do jornal Diário de Notícias.

 Só em 1976, passou a viver exclusivamente do seu trabalho literário.

José Saramago e Pílar del Rio
Fonte: Universo dos Leitores

Em 1988 Casou com Pilar del Río, decidindo, depois, em Fevereiro de 1993, repartir o seu tempo entre a sua residência em Lisboa e a ilha de Lanzarote, nas Canárias.

José Saramago na Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Autores 
Fonte: Jornal Expresso

De 1985 a 1994, foi presidente da Assembleia Geral da Sociedade Portuguesa de Autores e pertenceu ainda à primeira Direção da Associação Portuguesa de Escritores.

José Saramago quando venceu o Prémio Nobel da Literatura em 1998
Fonte: Efemérides do Éfemello

Em 1998, foi-lhe atribuído o Prémio Nobel de Literatura.

 José Saramago faleceu a 18 de Junho de 2010.

Os livros a não perder

#1 O Ensaio Sobre a Cegueira

O Ensaio Sobre a Cegueira
Fonte:  Fnac

No que respeita aos livros de Saramago que considero que todos deveriam ler, não podia deixar de começar por referir O Ensaio Sobre a Cegueira. Nesta obra, o escritor debruça-se sobre um estilo mais filosófico e reflexivo. Retratando uma “cegueira coletiva”, com personagens sem nome e sem situar a narrativa num tempo específico, Saramago tenta mostrar ao leitor o quão frágil é o controlo que pensamos ter sobre as nossas próprias vidas.

Esta obra  tornou-se numa das mais famosas do autor e foi também um dos principais motivos que o levou a ganhar o Prémio Nobel da Literatura, em 1998. “Portugal nunca tinha tido um Prémio Nobel da Literatura e uma parte da nossa missão consistia em mudar essa situação”, revelou, na altura, o diretor da empresa publicitária sueca que tratou da visita de promoção de Saramago a Estocolmo.

#2 O Homem Duplicado

O Homem Duplicado
Fonte: Fnac

O Homem Duplicado alia o estilo de escrita habitual de Saramago a algum suspense. Tertuliano Máximo Afonso é um professor de História do ensino secundário que “esteve casado e não se lembra do que o levou ao matrimónio, divorciou-se”. Ao ver um filme que lhe foi recomendado, descobre que um dos atores é um sósia seu. Começa, então, a sua demanda desenfreada em busca do sósia, busca esta que é o foco principal da narrativa. Durante a viagem de Tertuliano Máximo Afonso, o autor reflete sobre o sentido da vida e do “eu”, sobre  a valorização do próprio e sobre aquilo que se considera  bom e mau. Saramago junta, também, como seria de esperar, alguma ironia à sua reflexão.

#3 As Intermitências da Morte

As Intermitências da Morte
Fonte: Fnac

No dia seguinte ninguém morreu”. Assim se inicia mais uma obra de José Saramago. A partir deste pressuposto, o autor inicia uma divagação algo filosófica acerca da vida, morte, do amor e do sentido da nossa existência (ou a falta dele). No entanto, como seria de esperar do escritor, mesmo ao refletir sobre estes assuntos, não perde a ironia e sarcasmo, pelo que as suas reflexões estão repletas de críticas à sociedade moderna, interpelando, muitas vezes, o próprio leitor.

Ficam aqui três sugestões de leitura para lerem aconchegados com um cobertor e uma bebida quentinha, nos dias mais frios que estão prestes a chegar.

Boas leituras! 

Fonte da Imagem de Capa: Visão

Artigo revisto por Bruna Gonçalves

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *