Música

Abram alas para a Taylor

Tinha longos cabelos loiros e levava a guitarra para todo o lado. A música country parecia ser o seu futuro, mas Taylor Alison Swift tinha muitas cartas na manga e deixou de ser a menina do country para se assumir como uma das rainhas do actual panorama pop.

Nasceu a 13 de Dezembro de 1989, em Reading, no estado americano da Pensilvânia, mas, nove anos depois, a família mudou-se para Wyomissing. Da infância, Taylor recorda a praia de Stone Harbor, em New Jersey, onde passava os Verões. A música esteve presente desde sempre. Aos 16 anos, em Outubro de 2006, publicou o primeiro álbum, homónimo, de onde sairia o tema “Our Song”.

Jovem e com talento natural para escrever e compor música, Taylor distinguiu-se rapidamente na música country pop. Dois anos depois, em 2008, lança o segundo álbum, “Fearless”, que lhe valeria fama mundial graças a temas como “Love Story”, “You Belong With Me” ou “Fifteen”.

Alcançada a fama e dezenas de prémios e nomeações, 2010 trouxe Speak Now, o terceiro álbum de estúdio de Taylor. Os desvios do country eram cada vez mais visíveis mas foi “Red”, em 2012, e a mudança de visual, que ditariam o adeus ao cabelo comprido e à maquilhagem suave, que mostraram que Taylor Swift já não era aquela rapariga.

Trouxe “22”, “We Are Never Ever Getting Back Together” e “I Knew You Were Trouble” à música pop e a crítica consagrou-a na música pop. O visual passou a ser mais trabalhado e a persona musical de Taylor Swift tornou-se maior do que a própria imaginaria em 2006.

Apostou no pop, esmerou-se nos vídeos, abriu guerra com o Spotify, lançou 1989 e meteu o mundo a dançar “Shake it Off”, que conta já com mais de 900 milhões de visualizações no Youtube. “Bad Blood”, vídeo publicado no passado dia 15 de Maio, contava, à data de escrita deste texto, com quase 140 milhões de visualizações.

Num espaço de três anos, Taylor Swift impôs-se na música. Na carreira, conta já com mais de uma centena de prémios e quase duas centenas de nomeações. É uma das pessoas mais influentes do mundo mas sabe que a fama é relativa e pode acabar. Diz que quer aproveitar e divertir-se enquanto pode desfrutar daquilo que a sua carreira lhe dá. E é garantido que, no que à Taylor diz respeito, é impossível tentar adivinhar o que nos espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *