Literatura

Allen Ginsberg: O Lobo de uma Geração

Allen Ginsberg nasceu a 1926 em Newark, New Jersey, e foi um dos fundadores da Geração Beat. Nos anos 50 nos Estados Unidos da América, a cultura urbana, o aparecimento de drogas sintéticas e um novo modo de vida começam a influenciar a escrita de um grupo de escritores. Allen Ginsberg, Jack Kerouac ou William S. Burroughs são alguns dos nomes que marcaram esta geração indignada com um sistema corrupto e que, sem pudor, levava aos seus escritos os relatos da situação degradante que se vivia nas ruas e a crise das novas gerações.

Ginsberg deixou a sua marca na literatura com “Howl” (em português “O Uivo”), um poema que é um retrato nu e cru de uma geração engolida pelos subúrbios, drogas e demências.

A sua vida ficou marcada por gritos de liberdade e uma visão anárquica do mundo. Ginsberg era homossexual assumido e teve um papel importante na luta contra uma visão conservadora sobre este tema. Juntamente com outros nomes desta geração, mostrou nos seus escritos uma outra forma de ver o mundo, o seu lado negro, descrevendo-o cruelmente. Promoveu uma revolução na literatura e no que eram considerados os valores literários da época.

O poeta norte-americano foi muitas vezes alvo de processos, sendo o mais conhecido aquele em que se viu envolvido por causa da publicação do seu livro mais conhecido “Howl and Other Poems”, considerado obsceno. Ginsberg acabaria por ganhar esse processo e publicar o livro que pode, hoje em dia, ser considerado uma bíblia desta geração.

A vida rebelde, crua e literária deste poeta foi muita vez retratada. Os dois maiores filmes sobre o poeta são “Kill Your Darlings” (“Versos de um Crime”, em português) e “Howl” (“Uivo”, em português”). O primeiro ilustra a vida do poeta, os seus amores, a sua introdução no mundo literário e o corromper com a elite clássica da época, muito agarrada a cânones da literatura clássica. Exibe, deste modo, uma geração sem tabus que vai mais além, explora a literatura proibida e retrata um mundo sexual, pobre e em crise, no qual vivemos. Não se inibe de exibir o lado escuro do amor e representa bem o modo de vida de um poeta que passou a vida irritado com a máquina de escrever, envolvido em fumo, bebida e drogas. O segundo, mais recente, chama-se “Howl” (“Uivo”, em português”) e exibe a altura de vida em que Allen Ginsberg publica o seu livro mais conhecido. O filme explora o processo que caiu sobre o poeta, que afirmava que este, em vez de literatura, tinha criado obscenidades. Entre antíteses e prolepses, o filme vai ilustrando e recitando o poema “Howl” pela voz de James Franco.

Allen Gisberg é um génio da sua geração. Filho de Louis Ginsberg, poeta clássico, não teve medo de pensar e escrever com a alma. Um exemplo de escritor, um poeta revolucionário. Ginsberg é claramente um produto da cidade que começou a desabrochar loucamente na América. Os prédios rasgaram os céus e um modo de vida stressante e em busca de prazeres que permitissem esquecer os problemas da rotina diária começou a surgir. É tudo isso que nos é oferecido em “Howl”, e é tudo isso que nos é oferecido nas grandes obras da Geração Beat.

https://www.youtube.com/watch?v=lM9BMVFpk80 – “Howl” recitado do filme “Howl”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *