• Literatura

    A ESCRITORA DO MAR

    Nascida no Porto, a seis de novembro de 1919, Sophia de Mello Breyner Andresen não sabia que um dia o seu nome seria conhecido por Portugal inteiro. Ao escrever os seus primeiros versos, não sonhava que lhe valeriam o Prémio Camões (que ganhou em 1999). Quando finalmente escreveu a última frase de “A Fada Oriana”, não esperava ter uma biblioteca batizada com o seu nome. E, por não saber nada disso, é que foi quem foi. O primeiro livro que li do início ao fim sem ajuda foi, precisamente, “A Fada Oriana”. Acho que o li tantas vezes que amarelei as páginas, as amoleci, as dobrei e as gastei. Hoje…

  • Literatura

    LIVROS INFANTIS QUE TODA A GENTE DEVIA LER (PELO MENOS UMA VEZ)

    A educação que recebemos enquanto crianças é o que molda toda a forma com que olhamos para a vida e para as diversas situações com as quais lidamos ao longo da mesma. No entanto, se enquanto crianças olhamos para tudo com um olhar mais encantado, à medida que crescemos percebemos que nem tudo são contos de fada e que nem todos as histórias de embalar que ouvimos são apenas histórias de embalar. Desta vez, trago-vos quatro livros infantis que têm escondidas lições para a vida – e não só para crianças. “O Principezinho”, de Antoine de Saint-Exupéry, mostra-nos a história de um menino de outro planeta, apaixonado pela sua rosa.…

  • Literatura

    MELHORES ROMANCES DE SEMPRE

    No mês do amor, no ano do amor, numa vida cheia de amor, é certo que todos os apreciadores de literatura, ainda que não o confessem, têm sempre vontade de pegar num romance – seja ele um clássico ou a última publicação de Nicholas Sparks. Hoje trago-vos, por ordem cronológica, os quatro romances que considero os melhores de sempre. É evidente que gostos são gostos, mas é inegável que estes quatro nomes são inesquecíveis e que estas quatro obras são geniais e um marco na nossa visão do romance e do amor. E, inevitavelmente, se queremos falar de amor, temos de falar de “Romeu e Julieta”, publicado em 1595, pelo…

  • Opinião

    SERÁ A EDUCAÇÃO UM RECURSO E O RESTO…O CURSO?

    Dia 10 de janeiro de 2019, o jornal “Público” publicou um artigo que revelava que, segundo estudos da DGEEC, os alunos que ingressavam na área da Educação – que serão os futuros professores dos nossos irmãos/primos/filhos/netos – têm notas inferiores no exame nacional de Português – com uma média de 10,2 – às daqueles que pretendem ingressar na área da saúde – que têm uma média de 12,4. A diferença não é assim tão drástica, mas o assunto continua a ser de extrema importância. Não só pela ótica abordada pelo artigo, mas também por outra: estará o ensino da nossa língua-mãe a deixar de ser considerado prioridade? Não desvalorizando todas…

  • Literatura

    O EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO E A OBRA-PRIMA DE SARAMAGO

    Saramago é, para todos nós portugueses, uma referência no que toca à literatura. Se há quem adore a sua obra, também há quem não entenda a sua essência, a sua forma única de escrever. A falta de pontuação e a coloquialidade com que escrevia são, sem dúvida, os seus pontos mais caraterísticos. Uma obra de Saramago não é uma obra para “passar o tempo”. É, sim, uma obra que dá trabalho a ler: temos de voltar a ler o parágrafo confuso, de interpretar as suas frases como um diálogo constante – ainda que não esteja assinalado como tal – e imaginarmo-nos à sua frente, como se de uma conversa de…

  • Opinião

    SERÁ A EDUCAÇÃO UM RECURSO E O RESTO…O CURSO?

    Dia 10 de janeiro de 2019, o jornal “Público” publicou um artigo que revelava que, segundo estudos da DGEEC, os alunos que ingressavam na área da Educação – que serão os futuros professores dos nossos irmãos/primos/filhos/netos – têm notas inferiores no exame nacional de Português – com uma média de 10,2 – às daqueles que pretendem ingressar na área da saúde – que têm uma média de 12,4. A diferença não é assim tão drástica, mas o assunto continua a ser de extrema importância. Não só pela ótica abordada pelo artigo, mas também por outra: estará o ensino da nossa língua-mãe a deixar de ser considerado prioridade? Não desvalorizando todas…

  • Literatura

    LIVROS TRADUZIDOS: HOT OR NOT?

    Fonte: Shutterstock Se outrora era apologista de ler sempre na minha língua – se falo, escrevo e penso em português, por que haveria eu de ler noutra língua qualquer? –, hoje em dia a minha opinião já não é tão “preto no branco”, mas sim um pouco mais colorida. Ora vejamos: tal como eu penso e escrevo na minha língua materna, também o autor de dada obra – por exemplo, Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Marquéz – pensou e escreveu a obra na sua língua, e, como todos sabemos, as traduções nem sempre são literais. Existem provérbios, expressões e palavras que pertencem a uma determinada língua (tal como…

  • Literatura

    DIZ-LHE QUE NÃO

    Sempre gostei muito de ler – nesse aspeto, identifico-me 100% com Helena. Em pequenina, devorava as páginas de qualquer livro em menos de uma semana. Lembro-me de ficar acordada até depois da meia-noite (ainda que não tivesse ordem para tal) debaixo dos lençóis, com a luz do telemóvel da Nokia apontada às letras, a ler, a ler, a ler e, quando dava por mim, já não estava lá. Estava em Verona, a chorar na varanda com a Julieta; na América, a fazer diabruras com as irmãs gémeas rebeldes. Quando entrei para a primeira classe, disse à minha professora que queria ser escritora. E quero. Gostava imenso. Contudo, ser escritora é…