• 7ª Arte

    Annihilation

    Três anos após o sucesso de Ex-Machina, Alex Garland regressa para aniquilar a mente e sanidade das audiências com uma combinação de suspense e efeitos visuais de cortar a respiração, que deixa qualquer um agarrado ao ecrã. Com estreia mundial na plataforma da Netflix, onde ainda se encontra disponível para streaming, foi apenas exibido em salas de cinema na China, falhando por completo nas bilheteiras. No entanto, não pode ser considerado como fator representativo da qualidade do filme. Baseado no livro epónimo de Jeff VanderMeer, Annihilation leva-nos ao Shimmer, uma zona quarentenada, com criaturas mutantes, que guarda um segredo ainda por desmistificar. Apesar de se assemelhar a várias premissas de…

  • 7ª Arte

    EuroCine Parte VI – O Cinema Português

    Antes do EuroCine ir de férias – ou aposentar-se, pois o valor da reforma nem é mau de todo – vai fazer uma paragem muito especial. Trata-se de um destino que está na moda em termos turísticos e que em termos cinéfilos tem uma rica e vasta cultura, não fosse este país um dos mais fascinantes a nível intelectual. Portanto, este mês damos à costa em Portugal, numa ilustre praia lusitana que tem recebido navios carregados de fantásticas obras durante quase um século. Não vamos navegar pelos mares comuns de Manoel de Oliveira ou Vasco Santana, pois esses já foram mais que explorados, iremos sim partir numa aventura rumo a…

  • 7ª Arte

    The Death of Stalin

    Num período onde as relações entre Grã-Bretanha e Rússia se pautam pela instabilidade, o escocês Armando Ianucci lançou mais achas para a fogueira com a sua sátira política The Death of Stalin. Recorrendo ao humor britânico, o realizador aborda, como é explícito no título, o período conturbado que precedeu a morte do ditador soviético em 1953. Esta representação anglicana do comité do Partido Comunista tem a sua dose de absurdo e só podia originar um cenário possível: reações polarizadoras. Para quem assiste do lado neutro, The Death of Stalin consegue proporcionar boa disposição e bastantes sorrisos. Os diálogos fluiem de forma natural e estão sempre repletos de ironia, o que…

  • 7ª Arte

    EuroCine Parte V – O Cinema Britânico

    Após um breve hiato, o EuroCine está de regresso com mais sugestões para uma sessão de tempo de lazer. A viagem pela Europa cinematográfica prossegue e nem a pior das intempéries vai impedir a rubrica de chegar ao próximo destino, a Grã-Bretanha. Famoso pelo seu humor singular, o cinema britânico estende-se para além da sátira e boa disposição. A qualidade nos argumentos, diálogos e construção de personagens são uma prova da herança deixada por William Shakespeare, que, paulatinamente, expandiu-se do palco para o grande ecrã. A seguinte lista representa, portanto, a essência da cultura britânica. Do chá à paixão pelo futebol, há espaço para vários elementos brilharem em simultâneo, sem…

  • 7ª Arte

    Óscares 2018: O regresso das menções honrosas

    Como em qualquer outra indústria ou modalidade, também a Sétima Arte laureia quem mais se destacou ao longo do ano. Centenas de filmes, elencos e realizadores são profundamente analisados por um painel que tem de tomar a mais difícil das decisões: encurtar uma lista ínfima de nomes para cerca de meia dúzia e revelar as nomeações aos Óscares. Ora, este é um dos temas que mais discussão provoca – e não, não me refiro aos casos de assédio sexual que assombram Hollywood. Refiro-me, sim, às grandes ausências na lista de nomeados que podiam ter figurado como pretendentes a arrecadar a Estatueta de Ouro. Por isso, tal como no ano passado,…

  • 7ª Arte

    I, Tonya

    Tonya Harding, ex-patinadora de gelo americana, foi um caso paradigmático na década de 90. Os bizarros e polémicos eventos que marcaram a ascensão e queda da atleta chegam ao grande ecrã pela mão de Craig Gillespie. Nomeado para três Óscars, I, Tonya é um dos filmes biográficos mais arrojados dos últimos anos, ao conseguir recontar as aventuras de Harding ao equilibrar o trágico com o humor. Recontar uma estória baseada em factos verídicos nunca é fácil. É preciso haver uma dosagem de verosimilidade presente na moldagem das personagens, diálogos e cenários de modo a não deturpar o registo da realidade. Isto pode causar algumas restrições criativas a certas pessoas, mas…

  • 7ª Arte

    “Lady Bird”, de Greta Gerwig

    Lady Bird é um dos filmes do momento. O primeiro projeto de Greta Gerwig enquanto realizadora, a solo, tem navegado sob uma maré de sucesso e recebido ondas de elogios desde a sua estreia, valendo-lhe cinco nomeações para os Óscares. É a primeira mulher a entrar no lote final de realizadores que concorrem à Estatueta de Ouro desde 2009 e a quinta a lográ-lo em toda a História da Academia. A estreia nas salas portuguesas ainda irá tardar, mas não é justificação para evitar debruçar-me sobre Lady Bird em vésperas da tão aguardada cerimónia. Christine “Lady Bird” McPherson é, tal como indica o título, o rosto da ingenuidade adolescente e…

  • 7ª Arte

    The Killing of a Sacred Deer

    Angustiante e sinistro como sempre, Yorgos Lanthimos realiza mais um bizarro e desconcertante filme, inspirado nas ironias trágicas de Eurípedes. The Killing of a Sacred Deer coloca em evidência a frustração e impotência humana, transcendendo em simbolismos. O resultado final pode dividir opiniões, mas o que é garantido é a confirmação de um registo singular inerente aos seus trabalhos. Lanthimos não se prende aos limites exacerbados do politicamente correto para passar a sua mensagem na elaboração do argumento. Eleva e dignifica as tragédias escritas pelos antepassados gregos, criando um ambiente kafkiano em torno do universo das suas narrativas. Aflição, desconforto e uma sensação de insignificância para com o mundo ―…

  • 7ª Arte

    EuroCine Parte IV – O Cinema Espanhol

    Após um breve escrutínio ao cinema alemão, o EuroCine parte com destino a Espanha. A terra de nuestros hermanos não só tem lançado talentosos atores e audazes realizadores, mas também tem sido palco de gravações de variados filmes internacionais, pelas suas distintivas paisagens. Estas são algumas razões suficientes para consolidar o cinema espanhol como indústria emergente na era moderna. Assim sendo, a rubrica deste mês irá apresentar, como é hábito, uma pequena lista de obras que expressem o melhor que Espanha tem a oferecer nesta área. Apertem bem os cintos, pois não é pouco.   O Espírito da Colmeia (1973), de Víctor Erice Com cenário montado após o término da…

  • 7ª Arte

    EuroCine Parte III: O Cinema Alemão

    Prosseguimos a nossa procissão cinéfila rumo a um país que ao longo das últimas três décadas cresceu no universo da Sétima Arte. O terceiro destino é uma nação conhecida pela fábrica de talentos com bola no pé, mas que nos últimos anos tem introduzido uma nova linhagem de qualidade com claquete na mão. Chegámos à Alemanha, onde vamos celebrar o cinema deste país, destacando cinco obras que enaltecem a sua grandeza cinematográfica. Aconselho-vos, no entanto, a selecionarem as legendas em português. Isto, se nunca testemunharam o raro fenómeno de aprendizagem da língua germânica no secundário ou não sabem as letras das músicas dos Rammstein de cor.   Adeus, Lenine! (2003),…