Desporto

Campeões do Mundo: os heróis por detrás desta conquista

No dia 3 de outubro, Portugal sagrou-se, pela primeira vez, Campeão do Mundo de Futsal, vencendo a seleção da Argentina na final desta competição, realizada na Lituânia.

Desde o início do Mundial que o selecionador português, Jorge Braz, estabeleceu como objetivo principal voltar para casa com uma medalha. Poucos são aqueles que esperavam que essa mesma medalha fosse a de ouro.

A questão que coloco neste momento é a seguinte: quais as principais figuras portuguesas neste Mundial?

Começo por Ricardinho: o astro português eleito seis vezes o melhor do mundo. O capitão da Seleção já havia informado que este seria o seu último Mundial; e que forma mais bonita de se despedir dos palcos mundiais! Ricardinho teve uma lesão bastante complicada que o afastou da quadra durante meses. Através das suas redes sociais, partilhava connosco todo o seu trabalho árduo, que lhe permitiu estar presente nesta histórica conquista. Para fechar com chave de ouro este fantástico trajeto, Ricardinho foi ainda considerado o Melhor Jogador do Mundial.

Fonte: Correio da manhã

Passamos de um veterano para um estreante. Izaquel Té, mais conhecido por “Zicky”, é o jovem jogador de 20 anos que tem vivido uma primeira época de sonho, como sénior. É de relembrar que Zicky é jogador do Sporting, tendo ganho, na época desportiva 2020/21, tudo o que se poderia ganhar pelos leões. Deste modo, o jovem pivô continua a mostrar que “veio ao mundo para ganhar títulos”, acrescentando ao seu portfólio um Mundial de seleções. Ao longo do Mundial, o nome de Zicky esteve entre os “jovens surpresa” da competição. Mas se houve uma altura em que o seu nome esteve realmente na boca do povo, foi quando marcou o golo do empate, frente à Espanha, nos quartos-de-final – um momento que certamente nenhum português esquecerá tão cedo.

Fonte: Record

Mais um jogador que merece ser louvado pelo excelente Mundial que fez é o Panny Varela. Atrevo-me a dizer que Panny foi o jogador mais decisivo da nossa Seleção. Um jogador muito completo, que utilizou todas as suas capacidades para tirar Portugal do aperto algumas vezes. As qualidades individuais do jogador do Sporting sobressaíram-se – e de que maneira – neste Mundial, sendo um importante contributo para a conquista lusa. O jogador luso-cabo-verdiano terminou ainda esta competição com as respetivas bola e bota de prata, tendo apontado oito golos durante o Mundial.

Fonte: El Trapezio

Por último, mas não menos importante: Euclides Vaz, mais conhecido por “Bebé” no mundo do futsal. Foi o único jogador não profissional a representar “as quinas” neste Mundial da Lituânia. Nos últimos tempos, tem sido difícil para Bebé assegurar um lugar na seleção, mas essa condicionante não o fez desistir dos seus objetivos. Bebé acaba por ser convocado para este Mundial com bastante mérito, mas o próprio afirmou que não estava à espera de ser convocado e muito menos de jogar. A realidade é que Euclides agarrou a titularidade no Mundial com mãos de ferro, oferecendo toda a segurança defensiva de que a Seleção precisava. Foi, sem dúvida, um dos pilares desta Seleção no Mundial e um dos grandes responsáveis por esta conquista.

Fonte: Tribuna Expresso

Portugal tem uma grande responsabilidade daqui para a frente, visto que somos os atuais Campeões da Europa (2018) e do Mundo (2021). Mas penso que esta seja uma daquelas responsabilidades que todos nós gostaríamos de ter. O futuro é, certamente, promissor.

Fonte da capa: Associação de Futebol da Madeira

Artigo revisto por Andreia Custódio