Desporto

Os Campeões do antidesportivismo

No passado dia 2 de junho realizou-se, no pavilhão João Rocha, a “negra” da final da liga nacional de Basquetebol. Os finalistas foram o Sporting CP e o FC Porto. O resultado final levou a que o FC Porto, com muito mérito, se consagrasse campeão do antidesportivismo. Este “título” deveu-se aos atos realizados nos instantes finais da partida por parte dos membros da equipa do Norte.

Os instantes finais desta partida foram, deveras, impróprios para cardíacos. Com o FC Porto a superiorizar-se nesta fase final da partida, chegando a conseguir passar para a frente do marcador.

O resultado encontrava-se empatado por 85 pontos. Faltavam cerca de 6 segundos para terminar o jogo e era o FC Porto que beneficiava da posse de bola. Ao perder a posse de bola, o jogador dos dragões Anderson faz falta ao tentar recuperar a bola. Uma decisão que foi muito contestada pelo banco portista, com especial destaque para o treinador, Mocho López, que se lançou a dar chapadas e pontapés a tudo o que lhe aparecia pela frente.

Fonte: Jornal “Record”

É preciso saber que nesse preciso momento faltavam 0,7 segundos para terminar o jogo e que o Sporting iria beneficiar de três lançamentos livres. Por si só, já se adivinhava quem seria o Campeão da Liga Placard de Basquetebol 20/21.

Os lançamentos foram cobrados por Micah, que de três lançamentos encestou apenas um. Um ponto que valeu o título aos leoninos, que acabaram por vencer o jogo por 86-85.

Na sequência do terceiro e último lançamento, o jogo termina e os jogadores do Sporting iniciam os seus festejos. Entretanto, no lado dos vencidos, Nevels dirigiu-se rapidamente ao lugar onde se encontrava a taça e atirou-a ao chão, partindo-a. Taça essa que, depois deste acontecimento, teve de ser arranjada para que a equipa da capital pudesse prosseguir com os seus festejos de forma tradicional: sem uma taça partida. Na sequência dessa tragédia toda, a equipa do FC Porto dirigiu-se para o balneário, recusando manter-se no local para felicitar os novos campeões nacionais.

Todo este descontentamento deveu-se às decisões do árbitro. Porém, não se justifica. Mais um acontecimento para a lista dos muitos que envergonham o desporto nacional. Independente do quão grande pode ser um “roubo”, o nosso caráter tem de ser sempre maior. Saber perder é uma virtude no desporto. Ainda há poucos dias se louvava o gesto do treinador do Manchester City, Pep Guardiola, que beijou a medalha de prata após ser derrotado na final da Liga dos Campeões. É bonito olhar para fora e ver este tipo de gestos. No entanto, é bastante triste olhar para dentro do nosso país e ter este tipo de atitudes. Para além de triste, é desgastante perceber que, passe o tempo que passar, tem coisas que não mudam. Já disse uma vez que tenho o sonho de que um dia o desporto seja sinónimo de harmonia e respeito. Se calhar é melhor desistir desse sonho.

Fonte: Jornal “A Bola”

Só me resta felicitar o Sporting CP, que no final de contas sempre conseguiu festejar com uma taça inteira.

Artigo revisto por: Miguel Tomás

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *