Comitiva portuguesa leva 14 medalhas para casa

Já no primeiro dia conquistara quatro medalhas, elevando-se para 14, no segundo de quatro dias de competição. Nos Campeonatos Europeus de atletismo de pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS), em Istambul, a comitiva portuguesa, constituída por onze atletas, ultrapassou o número de medalhas conquistadas em 2017, que era de 13.


Lenine Cunha – desporto.sapo.pt

Lenine Cunha, atleta paralímpico português mais medalhado do mundo e agora com 202 medalhas no espólio, foi o atleta mais destacado, nos dois primeiros dias, com cinco “metais” conquistados nas modalidades de pentatlo (prata), triplo salto (prata), 60 metros barreiras (bronze), salto em comprimento e estafeta 4×2000.

De seguida, a portuguesa Carina Paim reforçou o domínio português neste campeonato, conquistando a medalha de ouro nos 400 metros, que já lhe pertencia no Europeu de 2018.

Ana Filipe chegou ao primeiro lugar, nos 60 metros barreiras, com apenas 9,96 segundos. Alcançou, também, o terceiro lugar no salto em comprimento, levando para casa a medalha de bronze, a terceira na competição, após a prata no triplo salto no primeiro dia.

Já Sandro Baessa conquistou o bronze nos 400 metros, além da estafeta 4×200, e Afonso Roll sagrou-se vice-campeão dos 3000 metros marcha, distância em que Joana Silva foi medalhada com bronze, já depois de também ter conseguido o terceiro lugar nos 3000 metros planos.

Os Campeonatos Europeus de atletismo de pista coberta da Federação Internacional para Atletas com Deficiência Intelectual (INAS) decorreram nos dias oito, nove, dez e onze de março de 2019.

Artigo revisto por Vitória Monteiro

Artigos recentes

Era uma vez

Versão em forma de tributo de uma Hollywood em transição da sua fase clássica para uma nova era mais escura. O “nono” de Tarantino não

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *