Made In ESCS,  Secções

Congresso das Comunicações

Nos dias 25 e 26 de novembro, teve lugar no Centro Cultural de Belém o 25º Congresso das Comunicações da APDC, uma enorme iniciativa que o presidente da APDC, Rogério Carapuça, levou a cabo em conjunto com o presidente do congresso deste ano, António Vitorino, tornado possível, através do apoio e colaboração de inúmeras empresas que já são presença habitual, como a PwC. Como também já é hábito, alguns alunos da ESCS, pertencentes aos diferentes cursos, foram escolhidos para ir representar a faculdade nas várias conferências que decorreram ao longo dos dois dias.

Como não podia deixar de ser, a cerimónia de abertura contou com os discursos dos dois presidentes já mencionados, da APDC e do Congresso, respetivamente, e contou ainda com um discurso de Aníbal Cavaco Silva, Presidente da República, como já tem vindo a acontecer desde o ano de 2007.

Dadas as boas-vindas de todas as partes, foi tempo de um coffee break e algum networking entre empresas, para logo depois se iniciarem as conferências. Divididas entre blocos de 1h, 1h30m e 2h, iam decorrendo diversas conferências em simultâneo. Umas realizavam-se no grande auditório, outras no pequeno. Difícil foi a escolha entre tantos temas de interesse e tantos convidados de excelência! Entre jornalistas, especialistas, CEO de empresas públicas e privadas, falaram oradores como: Carlos Melo Ribeiro (CEO da Siemens), Carlos Magno (Presidente da ERC), Fernando Ulrich (Presidente Executivo BPI), Filipa Caldeira (CEO da Fullsix), Francisco de Lacerda (Presidente e CEO dos CTT), Gonçalo Reis (CEO da RTP), Luís Marques Mendes (Advogado e Político), Madalena Queirós (Jornalista do Diário Económico e ETV), Mário Vaz (CEO da Vodafone Portugal), Miguel Almeida (CEO da NOS), entre muitos outros.

Muitas foram as surpresas para quem esteve presente; desde a presença de um convidado especial da Siemens, o seu embaixador do futuro TITAN, que tratou de interagir com os convidados que se encontravam por perto, a outras presenças de marcas do setor, nos respetivos stands, com as suas novidades em mostra aos profissionais e alunos presentes.

Em debate e análise durante os dois dias, estiveram temas estritamente ligados às comunicações e às TIC, como o outsourcing enquanto desafio de diferenciação, os seguros enquanto setor em transformação, as business trends, as smart cities, a educação da nova geração, o digital single market, entre outras temáticas que mereceram igual destaque e atenção. Temas por vezes muito distintos entre si, mas sempre com o fator tecnológico e comunicacional em comum.

Mafalda Faneca, aluna do 3º ano da licenciatura de RPCE, adorou a oportunidade e procurou ir ao maior número possível de sessões: “Achei uma experiência muito enriquecedora onde aprendemos coisas que não estão nos livros nem na internet. Aprender com as experiências profissionais e com casos reais do mercado de trabalho foi sem dúvida aquilo de que mais gostei!” E a verdade é que, ao longo do evento, muitos profissionais da área expressam as suas opiniões em primeira mão e partilham as suas perspetivas sobre temas mais delicados e atuais.

Os debates mais aguardados pela maior parte dos convidados, os Estados da Nação, aconteceram no final de cada um dos dias com convidados à altura do desafio. No dia 25 teve lugar o Estado da Nação das Comunicações, que contou com a presença dos CEO das principais operadoras em Portugal (CTT, NOS, PT Portugal e Vodafone Portugal) e a moderação do jornalista António Costa. Em cima da mesa estiveram em debate alguns temas mais polémicos e que deram azo a muita discussão, como a distribuição da fibra pelo país e os supostos acordos existentes entre algumas das operadoras, que não estão a ser executados, e qual a operadora que está melhor posicionada e tem os seus clientes mais satisfeitos, chegando-se à grande conclusão de que todas se encontram satisfeitas, ainda que relativamente a diferentes aspetos. No dia 26 foi a vez do Estado da Nação dos Media, que contou com a participação dos representantes dos principais grupos de media (RTP, Impresa, Controlinveste e Media Capital) e a moderação de Manuel Lopes da Costa, partner da PwC. Aqui debateram-se os acordos com as operadoras, também debatidos na sessão do dia anterior, e a questão mais polémica da RTP face à TDT, na qual o CEO do grupo Impresa mostrou algumas reservas, dependendo das condições e implicações envolvidas no assunto.

Para terminar em grande estes dois dias de congresso, Rogério Carapuça apresentou uma breve retrospetiva de todos os momentos que aconteceram, finalizando com um discurso que deixou algumas questões no ar e novos desafios a que é preciso corresponder. Existirão novas respostas e soluções num 26º Congresso? Lá estaremos para descobrir!

Avatar

Estudante de Relações Públicas e Comunicação Empresarial, é um apaixonado pela ESCS e não passa lá mais tempo porque o segurança não deixa. Ainda assim, tem outras paixões além da escsiana, pelo que também adora a fotografia e a escrita. Sempre que pode escreve umas coisas, seja para levar os outros a reflectir ou para lhes dar a conhecer outras realidades até então desconhecidas. Lisboeta por vocação, procura redescobrir esta fantástica cidade sempre que lhe é possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *