Literatura,  Secções

Desenhador de Palavras – George Orwell

Eric Arthur Blair é o nome verdadeiro de um dos melhores escritores que já pisaram este mundo: George Orwell, autor de obras como “1984” e “A Quinta dos Animais” (estes dois livros, juntos, venderam mais do que os dois melhores de qualquer outro escritor do século XX).

Nasceu a 25 de junho de 1903, na Índia Britânica. Descendia de uma linhagem distinta: o seu bisavô era rico e dono de uma fazenda de escravos na Jamaica, e o seu avô era clérigo da Igreja Anglicana. Não chegou, no entanto, a herdar a fortuna dos seus antecessores. O seu pai trabalhava na Índia, para o governo britânico, pelo que durante alguns anos Eric viveu apenas com a mãe e as irmãs, Marjorie e Avril. Quando tinha um ano, a família mudou-se para Inglaterra.

A família de Blair preferia que este fosse educado numa escola privada e este conseguiu uma bolsa de estudos para a St. Cyprian’s School, no Sussex. Mais tarde, por motivos que não se conhecem, decidiu-se que devia entrar para a Polícia Imperial Indiana. Blair conseguiu passar no exame de admissão, sendo o sétimo de 27 colocados.

Depois de trabalhar em Burma, zona onde tinha família, durante algum tempo, e de ter sido promovido a Assistente de Superintendente Distrital, acabou por ser contagiado com dengue, em 1927. Devido à doença, teve a oportunidade de regressar a Inglaterra mais cedo e, nesse mesmo ano, acabou por se demitir da Polícia Imperial para ser escritor. A sua experiência em Burma, no entanto, acabou por dar origem aos livros “Burmese Days”, “A Hanging” e “Shooting na Elephant”, todos publicados nos anos 30.

Eric viveu em Paris e em Londres, altura em que começou a tentar viver experiências que o pudessem ajudar na escrita dos seus livros. Em Londres, por exemplo, seguindo as pisadas de Jack London, visitou bairros pobres – o que esteve por trás do seu ensaio “The Spike”. Já em Paris, em 1929, adoeceu e todo o seu dinheiro foi roubado na pensão onde estava a habitar. Começou então a fazer trabalhos domésticos, como lavar pratos num hotel de luxo; fosse ou não essa a intenção inicial, estas experiências foram depois integradas no seu livro “Na Penúria em Paris e em Londres”.

Juntou-se ao Partido Operário de Unificação Marxista, lutando na Guerra Civil Espanhola contra o regime de Franco. Uma bala danificou as suas cordas vocais, deixando-o a partir desse momento com uma voz ligeiramente efeminada; Blair falou da experiência vivida nesta guerra no livro “Homenage to Catalonia”.

Eric Arthur Blair morreu em Londres, com tuberculose, a 21 de janeiro de 1950, com 46 anos de idade. Na sua lápide dizia apenas: “Aqui jaz Eric Arthur Blair”, com as datas de nascimento e morte, sem qualquer referência ao pseudónimo que o tornou imortal.

Em 2008, o Times publicou a lista “Os 50 melhores escritores britânicos desde 1945”, onde Orwell ficou classificado em segundo lugar. As suas obras continuam a encantar-nos nos dias de hoje, de tal forma que “orwelliano” é a palavra por vezes utilizada para descrever práticas totalitárias, que o escritor abominava.

Avatar

A Inês Rebelo tem 19 anos e está no primeiro ano de Jornalismo. Começou a ler com 4 anos e a escrever as suas criações com 9, sendo que foi sempre esta a sua grande paixão. Fez teatro durante oito anos, gosta de ler e, embora não interesse a ninguém, tem três tartarugas. Também gosta de cantar, mas para isso não tem muito jeito. Na ESCS MAGAZINE integra as equipas de Correcção Linguística e de Literatura, e escreve com o Antigo Acordo Ortográfico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *