Eleições Europeias: Sondagem dá vantagem a Le Pen

Líder de extrema direita surge como a grande favorita. Políticas impopulares de Macron penalizam-no. Eleições Europeias estão marcadas para Maio de 2019 e serão um teste à coesão da União Europeia.

 

Uma sondagem do Instituto Francês de Opinião Pública (IFOP) coloca a União Nacional, de Marine Le Pen, à frente do República em Marcha, do presidente francês Emmanuel Macron, nas intenções de voto dos franceses para as eleições Europeias. A Frente Nacional obtém 21% das intenções de voto, já o partido de Macron fica-se pelos 19%. Esta sondagem representa uma subida de intenções de voto do partido de extrema direita, que na última sondagem ficava-se pelos 17%.

  A situação torna-se mais preocupante se juntarmos outras forças que defendem a saída da França da União Europeia. Os 7% do Levantar a França, liderado por Nicolas Dupont-Aignan, e o 1% d’Os Patriotas, de Florian Philippot, dão à extrema direita 30% nas intenções de voto.

 Em terceiro lugar estão os Republicanos, liderados por Laurent Qauquiez, com 13% dos votos. O partido do antigo presidente da República, Nicolas Sarkozy, não consegue capitalizar os votos de centro direita, perdida para Macron, e foi um dos responsáveis, junto do partido socialista Francês, da implosão do sistema político tradicional das últimas décadas em França, o que permitiu um ressurgimento das forças de extrema direita. Em quarto lugar surge a França Insubmissa, de Jean Mélenchon, com 11% – uma queda de 3% em relação à última sondagem.

 

Para a vantagem de Le Pen, muito contribuiu a queda da popularidade do Presidente Francês, que tem enfrentado fortes manifestações nas ruas por causa da política fiscal, alterações ao Código de Trabalho e privatizações que tem promovido no país. Além disto, o desemprego situa-se nos 9%. O governo Francês prevê também o corte de 4.500 postos de trabalho no sector público.

De forma a combater as críticas, Macron tem apresentado as eleições europeias como uma luta entre as forças progressistas e os nacionalistas. Segundo o líder do República em Marcha, a Europa “apresenta um perigo de perda da sua soberania num momento em que é essencial a defesa do projecto Europeu”.

 As eleições europeias estão marcadas para Maio de 2019 e serão as primeiras depois do Brexit. Recentemente, os líderes da extrema-direita italiana, Matteo Salvini e  Marine Le Pen, pediram “uma revolução” nas próximas eleições europeias para fazer emergir uma “frente da liberdade” de partidos nacionalistas.

Corrigido por: Ângela Cardoso

Artigos recentes

The (not so) Good Place

Estás à procura de uma série curta e divertida para fazer binge-watching durante a quarentena? The Good Place pode ser a melhor opção. Esta série

Ler mais »

SNS e o suicídio

Não saber que o Sistema Nacional de Saúde é lento é como não saber que data é 1143: é sinal de que não se é

Ler mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *