Opinião

“Insomnia is my greatest inspiration”

“Fatherhood is great because you can ruin someone from scratch.”
(A paternidade é bestial porque nos permite arruinar uma coisa desde o começo)

Um génio da comédia; um colosso da crítica; um símbolo de opinião. Jon Stewart é, para mim, eterno. Para quem não sabe, Jon Stewart é o apresentador do programa “The Daily Show”, da Comedy Central, que vai, neste momento, com 16 anos. Um programa de humor, de facto, mas diferente de tantos talk-shows que vemos nos Estados Unidos. Isto porque a crítica está, quase exclusivamente, centrada na política, na economia e na imprensa. O programa pega em situações bizarras destas áreas e expõe-nas ao ridículo.

Infelizmente, para mim e para muitos outros, esta era está a chegar ao fim. Jon Stewart anunciou há dias que vai deixar a Comedy Central em breve. O que irá fazer depois, mesmo que nada, ainda não sabemos. No entanto, algo é certo: O “The Daily Show with Jon Stewart” vai chegar ao fim.

É pena não só pelas gargalhadas que provoca, mas também pela instrução que forma e pelo impacto que tem. A muitos lares americanos, e não só, esta era a única maneira de certas notícias chegarem aos seus ouvidos. Aliás, sem querer insultar ninguém, pois comigo acontecia o mesmo muitas vezes, era mesmo a única forma de as perceberem no seu todo, visto que as agências noticiosas americanas não são famosas pela sua imparcialidade.

O filme “Homem do Ano”, com o falecido Robin Williams como protagonista, trata de um comediante/crítico político que se candidata à presidência dos EUA. A sua popularidade é estrondosa. Jon Stewart é o melhor representante real dessa personagem. Alguém respeitado porque todos percebemos que aquilo que diz não é só a gozar. Os filmes são filmes, claro, mas, se Jon Stewart fizesse o mesmo, os resultados seriam semelhantes, sem dúvida.

Cá em Portugal também temos alguém assim. Alguém que vive da comédia misturada na crítica e na opinião. Crítica e opinião seguida por quase todos os que o ouvimos. Exactamente. Ricardo Araújo Pereira. Em Portugal, é, para mim, o único capaz de fazer o papel de Jon Stewart. Ambos têm opiniões credíveis e respeitáveis, que levam a críticas construtivas e apoiadas, seguidas por risos de orelha a orelha.

Fazem falta Jon’s Stewart’s neste mundo. Alguém que, de uma forma esclarecedora e entretida, nos prenda nos temas fulcrais da nossa sociedade. Sem darmos por isso, estamos a viciados em informação e a criar opinião ao mesmo tempo. Não deixamos os grandes nomes políticos fazerem o que lhes apetece por baixo dos nossos narizes.

John Oliver, que trabalhou com Jon Stewart durante 8 anos, é o homem que parece seguir-se a Jon Stewart, com o programa “Last Week Tonight”, na HBO, que faz em Abril um ano. Veremos o que consegue. Porque com piada e bem escritos há muitos, mas Jon’s Stewart’s há poucos… I’ll miss you, Jon!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *