Informação

Os bilingues têm cérebros mais rápidos e mais fortes, apontam dois estudos.

Estudos mostram que aprender uma língua nova muda completamente o nosso cérebro, sendo que os bilingues mostram ter cérebros mais fortes do que aqueles que sabem apenas uma língua.

Os bilingues conseguem desenvolver certas capacidades cognitivas: o primeiro estudo, desenvolvido por um grupo de cientistas da Universidade do Estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos da América, e da Universidade de Guandgon, na China, afirma que os neurónios se fortalecem quando as pessoas estão a aprender uma língua.

Estes investigadores estiveram durante seis semanas a ensinar a 23 pessoas o significado e os tons de 48 palavras chinesas e dessa formação tiraram ressonâncias magnéticas para verificar como o cérebro reagia a essas novas aprendizagens: nas pessoas que aprenderam, de facto, os tons e o significado das palavras observou-se que algumas partes do seu cérebro, que antes estavam desligadas, estavam agora a criar ligações fortes entre si, enquanto que as pessoas que não conseguiam aprender a nova língua equiparavam-se aos monolingues.  Desta maneira, os investigadores concluíram que quanto maior for o conhecimento que temos de uma língua, maior é a ligação que as várias partes do cérebro fazem entre si.

Também se concluiu, com este estudo, que os bilingues são “mais resistentes a danos” cerebrais, tendo o estudo reforçado a ideia de que aprender novas línguas pode ser uma mais-valia para prevenir a demência.

Viorica Marian, a principal autora do outro estudo, publicado na revista Brain and Language, reforçou a ideia de que os bilingues são mais eficazes a bloquear distracções, facto que ajuda a explicar o porquê de estes serem normalmente os melhores a realizarem várias tarefas ao mesmo tempo.

Avatar

Sempre a reclamar, lá vai escrevendo umas coisas. Acha que tem tempo para fazer mil coisas e dormir deixou de fazer parte do seu dia-a-dia. Jornalismo é a sua paixão e escrever é o seu modo de ser.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *