Capital

Portugal Festival Awards – uma cerimónia de categoria(s)

A ESCS MAGAZINE esteve no Portugal Festival Awards para te poder contar tudo. O NOS Alive foi o grande vencedor da noite.

 

“Os filmes têm os óscares, a música tem os grammy’s e os festivais têm os galos”. Foi desta forma que a 2.ª edição do Portugal Festival Awards, realizada no passado dia 11 de Novembro, foi caracterizada. O evento, que se realizou no Cinema São Jorge, em Lisboa, tem como objectivo premiar os melhores festivais portugueses nas mais variadas categorias. Como tal, tudo o que de melhor se faz em Portugal foi premiado: desde os festivais de grande dimensão aos menos conhecidos.

Foi no Cinema São Jorge, em Lisboa, que se realizaram os Portugal Festival Awards.
Foi no Cinema São Jorge, em Lisboa, que se realizaram os Portugal Festival Awards.

Foram 18 as categorias da noite: 12 foram eleitas por votação do público, via online, e as restantes 6 ficaram a cargo de um recheado painel de jurados, de entre os quais se destacam Zé Pedro (Xutos e Pontapés), Tó Trips (Dead Combo), Miguel Cadete (BLITZ/Expresso), Ana Teresa Ventura (SIC), Álvaro Costa e Nuno Calado (Antena 3), Ana Markl (Canal Q), Joana Cruz (RFM), Pedro Ramos (Radar) e Rita Carmo (BLITZ). O critério para a escolha deste júri foi claro: personalidades reconhecidas no mundo da música e na área dos media, do turismo, da publicidade e da sustentabilidade.

Estava previsto que os Portugal Festival Awards começassem às 21 horas, mas, antes disso, houve tempo para um Cocktail de Boas-Vindas aberto a todos. O piso de cima do Cinema São Jorge foi enchendo e este pequeno warm-up fazia prometer uma grande noite, como nos confirmaram alguns convidados. “Espero que seja uma óptima noite. O número de festivais portugueses tem aumentado cada vez mais e acho que faltava um evento como estes para premiar os melhores.” — contou-nos um dos convidados — “Vai ser uma boa noite, tenho a certeza”, acrescentou.

2
O piso de cima do Cinema São Jorge encheu para o Cocktail de Boas-Vindas.

O NOS Alive marcou a noite dos prémios ao sagrar-se o grande vencedor

 Com quase uma hora de atraso, Luísa Barbosa e Diogo Dias – os apresentadores que conduziram a noite de prémios – subiram ao palco por entre aplausos, vindos de uma plateia ainda meio tímida. A boa disposição desta dupla de apresentadores já bem conhecida do público foi evidente. Luísa Barbosa quis desde logo quebrar o gelo revelando: “Este é um evento a que posso ir sem ter de usar saltos altos.” Diogo Dias não perdeu a oportunidade de brincar com este comentário e chamou a palco os organizadores dos Portugal Festival Awards. Os responsáveis pelo evento, Rita Pires e João Dinis, fizeram um agradecimento a todos os festivais portugueses e ainda aos participantes e patrocinadores do projecto de Crowdfunding, que se tornou essencial para que o evento se pudesse realizar. Terminados os agradecimentos devidos, foi altura de se passar realmente ao show time.

3
A cerimónia dos Portugal Festival Awards foi acompanhada pela West European Symphony Orchestra.

O grande vencedor da noite foi o festival NOS Alive, que ganhou em quatro categorias, destacando-se a de Melhor Festival De Grande Dimensão. O director do festival, Álvaro Covões, foi quem subiu ao palco para receber os prémios e agradeceu as distinções. Para além desta categoria, o festival que move milhares de pessoas todos os anos levou mais três galos de cortiça para casa, nas categorias de Melhor Festival Urbano, Melhor Cartaz e ainda Melhores WC’s. Foi devido a esta última que Álvaro Covões deixou um conselho à plateia: “Nunca vão à casa de banho no intervalo das bandas do palco principal.”.

 

Logo atrás do festival que se realiza todos os anos no Passeio Marítimo de Algés, e que já tem nomes como Alt-J e Muse confirmados no cartaz de 2015, ficou o Vodafone Paredes de Coura. O festival conhecido pelo seu anfiteatro natural arrecadou três prémios: o de Melhor Festival Não Urbano, o de Melhor Campismo e o de Melhor Activação De Marca, este último através do Vodafone Music Sessions. João Carvalho, organizador do festival, subiu ao palco para receber os prémios e quis deixar sublinhado que o festival Vodafone Paredes de Coura contribui bastante para a dinamização local e que existe uma preocupação com as pessoas que nele acampam.

O NOS Alive venceu quatro categorias e o Vodafone Paredes de Coura venceu três.
O NOS Alive venceu quatro categorias e o Vodafone Paredes de Coura venceu três.

Os nomeados para “Melhor Actuação Ao Vivo – Artista Revelação” actuaram na noite de prémios

 Os Portugal Festival Awards ficaram também marcados pelas actuações dos artistas D’Alva, Sequim, Jimmy P, For Pete Sake e Time For T. Todos eles foram acompanhados pela orquestra West European Symphony Orchestra.

Foi Jimmy P, que nos presenteou com o tema “O Que Vai Ser” e que puxou incansavelmente pelo público durante toda a sua actuação, que ganhou o estatuto de melhor artista revelação, levando, assim, também ele um galo de cortiça para casa.

Jimmy P foi um dos artistas que actuou no palco dos Portugal Festival Awards e venceu na categoria de Melhor actuação ao vivo - Artista Revelação.
Jimmy P foi um dos artistas que actuou no palco dos Portugal Festival Awards e venceu na categoria de Melhor actuação ao vivo – Artista Revelação.

Os Portugal Festival Awards foram, com certeza, uma noite de celebração. Com direito a Cocktail de Boas-Vindas e a actuações ao vivo, ficou mais do que provado que os festivais portugueses ganham cada vez mais qualidade e prometem ter vindo para ficar. Os festivais que se realizam em Portugal – que se tornam quase indispensáveis na agenda de qualquer festivaleiro e que atraem cada vez mais estrangeiros – foram assim premiados e reconhecidos pelo público nesta 2.ª edição dos Portugal Festival Awards

 

 

 

Vê aqui a lista completa dos vencedores em cada categoria.

 

Escolhidos pelo público:

Melhor festival de grande dimensão: NOS Alive

Melhor festival de média dimensão: Sumol Summer Fest

Melhor festival de pequena dimensão: Milhões de Festa

Melhor micro-festival: Indie Music Fest

Melhor festival urbano: NOS Alive

Melhor festival não urbano: Vodafone Paredes de Coura

Melhor festival académico: Queima das Fitas de Coimbra

Melhores WC’s: NOS Alive

Melhor campismo: Vodafone Paredes de Coura

Melhor actuação ao vivo – Artista internacional: Arctic Monkeys

Melhor actuação ao vivo – Artista nacional: Buraka Som Sistema

Melhor actuação ao vivo – Artista revelação: Jimmy P

 

Escolhidos pelo júri:

Contribuição para a divulgação da música portuguesa: Sol da Caparica

Contribuição para o turismo: NOS Primavera Sound

Melhor cartaz: NOS Alive

Festival mais sustentável: Bons Sons

Melhor activação de marca: Vodafone Music Sessions

Melhor comunicação: LISB/ON #Jardim Sonoro

 

Reportagem Fotográfica por: Cláudia Carocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *