Literatura

Preciso de arrumar os meus livros… e agora?

É chato fazer limpezas: lidamos com dores de costas, pó, uns quantos espirros à mistura e é algo que demora pela vida. Limpar estantes e organizar livros tem isso tudo, aliado ao tempo que passamos a folhear livros, a relembrar o porquê de gostarmos tanto deles. No entanto, apesar de a tarefa ser morosa, nada sabe melhor do que olhar para os nossos livros expostos e vê-los todos organizados da forma que queremos.

Trabalhar e ter a vista dos nossos livros arrumados é sempre uma boa forma de nos manter sempre bem-humorados e até motivados. A organização de livros consegue ser uma tarefa importante, porque visualmente é uma componente que alivia o stress e, até mesmo, a ansiedade.

Uma vez que estamos em casa (outra vez), porque não meter as mãos na massa e arrumar os nossos livros? Tirar mesmo o dia todo, uma vez que a possibilidade de irmos reler os nossos momentos favoritos é elevada. Assim, aqui estão alguns métodos de organização de estantes para que os livros estejam num ambiente saudável e até um tanto fashion como aqueles que vemos no Pinterest.

A para António Lobo Antunes … B para Bram Stoker… I para ir arrumar alfabeticamente

Colocar os livros por ordem alfabética, no que toca ao autor, ajuda na ideia de conseguir arrumar e acompanhar os autores – desta forma, acaba-se o pretexto de “não consigo encontrar os autores no meio de tantos livros”. Basta fazermos aquele exercício mental de não confundirmos as letras do abecedário quando estamos à procura de algum autor cujo nome começa com uma letra no meio.

Se tivermos jeito e tudo para trabalhos manuais, até podemos dar um jeitinho para colocar o alfabeto ao longo de toda a estante para ajudar na facilidade de encontrar os nossos livros o mais rápido possível.

Além disso, este método de organização ajuda a que tenhamos mais um pretexto para dizer que precisamos de mais livros. O que fazer quando nos apercebemos de que temos apenas um autor na letra J e ainda por cima são apenas dois ou três livros? Exatamente, é preciso remediar logo a situação.

Trabalha-se para não se ver livros maiores que outros

É preciso ter um grande azar quando existe aquele livro que é maior que todos os outros. Fica sempre batizado como aquele livro que nos tira do sério, na qual passamos o tempo todo a olhar para ele. Nesse contexto, fazemos de tudo para que aquela sequência fique escondida sem se notar aquele súbito crescimento num dos livros ali no meio.

Organizar por tamanho ajuda a criar uma harmonia perfeita: é como o calibrar de uma balança. Trabalhar para que seja arrumado por tamanho ajuda a que a estante não pareça muito desproporcional e não dá a ideia de que continua desorganizada. Assim, existe a tal simetria capaz de ajudar no stress e na ansiedade.

Organizado por arco-íris

Arrumar para que fique por cores pode ser um tanto trabalhoso, mas dá um enorme prazer quando se nota a beleza que é ver tudo por cores. Os livros brancos todos juntos, os livros pretos todos unidos, os vermelhos, roxos, azuis e até amarelos.

A sensação é muito reconfortante e, de certa forma, transmite uma aura pura e bastante alegre, face a este método de organização. Para além do mais, este tipo de arrumação ajuda a nossa compulsão e especialmente amor por livros! Aquela cor que tiver menos livros vai fazer com que uns quantos da lista subam na nossa prioridade.

Diferentes tipos de género: a chamada Salada Russa.
Fotografia de Joana Americano

Policiais num sítio ao lado dos Thrillers e os Dramas ao lado dos Romances

Organizar por temas é também uma boa aposta. Verificamos os diferentes tipos de género que temos e que gostamos de ler e até podemos fazer uma lista para que ajude na melhor arrumação possível. A ideia de colocar livros de diferentes géneros todos juntos pode também levar a que haja uma sensação de desarrumação: é como juntar três géneros numa só zona. Parece demasiado e sem qualquer tipo de seleção. 

Trabalha-se para que livros como os de António Lobo Antunes não acabem juntos dos livros de youngadult e, entretanto, com a fantasia ali ao lado como se fosse tudo o mesmo.

Organizar por género coopera também para o equilíbrio necessário que ajuda no alívio de stress e ansiedade. Talvez até se veja qual é o género de que se gosta mais e aquele que não se lê tanto e até ajude aquela voz interior a dizer-nos que temos de apostar mais nesse género.

But, daddy, I love him

Parece aquele cliché, mas é a verdade. Apesar de termos vários livros novos à distância de uma mão, existe aquela tendência para pegarmos até nos que já lemos mais do que uma vez. Como resistir a histórias que nos apaixonaram logo desde o início e que sonhamos poder voltar a lê-los pela primeira vez? Exato. Ainda para mais, existem sempre livros que nos dão que pensar quando os relemos e que parecem adaptar-se aos momentos da nossa vida.

Por vezes sentimos que os livros novos, e ainda por ler, estão constantemente prontos para nos atacar por pegarmos nos nossos livros preferidos para ler mais uma vez. Se ainda formos a extremos, talvez até compremos edições diferentes para dizer a nós próprios que é um livro diferente, porque, naquele em específico, a capa era diferente, a folha não era branca e as margens eram maiores.

Os livros novos podem odiar-nos um pouco, mas quem não gosta de ter os seus favoritos à mão?

Aquela rivalidade entre livros lidos e não lidos

Um dos mais básicos sistemas de organização e que pode até ser conjugado com outros tantos já falados é a arrumação entre livros lidos e os livros não lidos. Por norma, na estante coloca-se em primeiro lugar e mais acima os livros lidos e depois os livros não lidos – esses já mais ao nível dos nossos olhos.

Neste tipo de organização lidamos com a frustração de parecer que temos poucos livros para ler, independentemente de a estante estar 70% ocupada com livros nunca antes lidos. Está claro que nestes casos aquilo de que precisamos constantemente é de livros para ler. Ora, para que a balança esteja equilibrada, nestes casos, é necessário adotar um outro método: os livros por ler devem sempre ser mais do que os livros já lidos. Isto significa que quando arrumarmos vamos ver que há necessidade de ter sempre mais.

A arrumar e a ler, aquelas tarefas que vêm sempre em conjunto.
Fotografia de Joana Americano

Arrumar pode ser uma tarefa chata, morosa até. Podemos demorar o dia todo (ou mais) face a todas as nossas atividades secundárias, como reler partes dos nossos livros e até as sinopses daqueles que ainda nem pegámos.

No entanto, uma coisa é certa: depois de arrumarmos, com qualquer método de organização mencionado, conseguimos ter uma estante à Pinterest. A verdade é que ajuda mesmo a aliviar o stress.

Portanto, vamos arrumar os nossos livros e, pelo caminho, vamos já fazendo a lista das prioridades para comprar mais uns quantos.

Fonte da Imagem de Capa: Joana Americano

Artigo revisto por Constança Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *