Atualidade,  Informação

Segunda noite de protestos em Filadélfia: Os manifestantes pedem justiça para Walter Wallace


Centenas demanifestantes marcharam na Filadélfia na terça-feira.
Fonte: Matt Slocum / Associated Prese

Esta terça-feira, a cidade de Filadélfia foi palco de uma nova noite de protestos violentos. Centenas de manifestantes saíram às ruas desta cidade, no Estado da Pensilvânia, pelo segundo dia consecutivo. Exigiram justiça para mais um caso de violência policial contra a comunidade afro-americana.

Os protestos seguiram-se após Walter Wallace, um afro-americano de 27 anos, ter sido morto por dois agentes da polícia de Filadélfia, esta segunda-feira.

As manifestações começaram de forma pacífica, mas o cenário do dia anterior acabou por se repetir: confrontos entre os manifestantes e as autoridades. Segundo a agência Reuters, nas duas noites de protesto, a polícia de Filadelfia fez 172 detenções e 53 agentes ficaram feridos.

Morte de Walter Wallace

Esta segunda-feira, a família de Walter Wallace pediu ajuda para lidar com a crise psicológica do homem de 27 anos. A intenção dos familiares foi chamar uma ambulância para prestar assistência ao jovem que sofria de transtorno bipolar. Em vez disso, foram enviados para o local dois agentes da polícia, em resposta a uma denúncia de que havia um homem armado na vizinhança de Cobbs Creek, em Filadélfia.

O porta-voz da polícia local revelou, em declarações à agência Associated Press, que o homem segurava uma faca e que quando os polícias se aproximaram, em vez de a largar, avançou sobre eles. Os dois agentes abriram fogo sobre o homem, atingindo-o várias vezes no ombro e no peito. Um dos agentes transportou Walter Wallace para o hospital, onde foi dado como morto.

Segundo testemunhas presentes no local, apesar de estar armado com uma faca, o afro-americano não representava uma ameaça iminente. Numa conferência de imprensa, a família de Walter revelou que este era bipolar e estava a ser medicado. No comunicado, os pais da vítima garantiram que os polícias tinham conhecimento de que Walter estava a ter uma crise de saúde mental, tendo inclusivamente ido à casa da família três vezes na segunda-feira.

O inspetor-chefe de polícia, Frank Vanore, confirmou que cada um dos agentes disparou pelo menos sete vezes, mas não especificou o número de vezes que a vítima foi atingida. Os agentes envolvidos no caso já foram, entretanto, retirados do serviço de rua enquanto é feita uma investigação.

Nova noite de protestos


Confrontos entre os manifestantes e a polícia.
Fonte: Jessica Griffin/ Associated Press

Cerca de mil pessoas voltaram à rua, na Filadélfia, em protesto contra a violência policial. Reuniram-se nos arredores do bairro onde vivia Walter Wallace, exigindo justiça. Os manifestantes foram parados pela polícia que já tinha estabelecido um cordão de isolamento. No entanto, os manifestantes dispersaram e dividiram-se em vários grupos. Foi uma noite marcada por roubos e detenções.

O pai de Walter Wallace apelou aos manifestantes para pararem com a violência. “Não tolero a violência, a cidade destruída, roubos de lojas e todo este caos”, afirmou numa conferência de imprensa, citado pela agência Reuters.

Este é mais um capítulo na onda de protestos contra a recorrente violência policial nos Estados Unidos, que começou no final de maio, após a morte do afro-americano George Floyd, morto pela polícia, na cidade americana de Minneapolis.

Artigo revisto por Inês Paraíba

Avatar

A Adriana é uma aspirante a jornalista, paixão que só descobriu tardiamente. Conjuga empatia e perseverança. Não gosta de arriscar, mas faz por isso. Determinada em abraçar novos desafios e em busca de boas histórias para contar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *