• Artes Visuais e Performativas,  Secções

    Nem a morte os separa

    Fernando Pessoa morreu e esqueceu-se de levar consigo Ricardo Reis. Pouco depois da morte do mestre modernista, um rapaz de 17 anos conheceu um médico poeta na biblioteca da escola industrial. O tempo também levou este rapaz. No entanto, o tempo trouxe-os a todos de volta. O encontro acontece no palco do teatro A Barraca de quinta a domingo. Baseado no livro que José Saramago publicou não aos 17 mas aos 62 anos, 1936: O Ano da Morte de Ricardo Reis é um espetáculo sobre o último ano de vida de um dos mais conhecidos heterónimos pessoanos. A peça conta os principais acontecimentos históricos nacionais e internacionais do ano de…

  • Literatura,  Secções

    As nossas escolhas literárias de 2015

    2015 está a terminar e, com o fim do ano, chegam as retrospetivas. A equipa de Literatura da ESCS MAGAZINE não quis ficar de fora e, por isso, hoje trazemos-te o livro preferido de cada um dos elementos desta secção. A escolha da Ana Rita Nunes é o livro “1984”, de George Orwell. Uma máquina do pensamento intemporal. “1984” foi, sem dúvida, o livro que mais me marcou este ano pela sua irreverência. Um grito. Uma exaltação. Um texto brilhante sobre os perigos de uma sociedade vigilante 24 sobre 24 horas. Os cidadãos deste mundo “imaginário” são marionetas nas mãos do poder. O lado mais negro da humanidade é colocado…

  • Literatura,  Secções

    De erva daninha a nobel da literatura

    Desenhador de Palavras: José Saramago “Saramago, s. m. nome vulgar de umas ervas daninhas, comestíveis, anuais ou bienais, da fam. das Crucíferas, frequentes nos terrenos cultivados em Portugal, e também chamadas rábano-silvestre, rabano-bastardo ou saramago-maior e cabresto.” (in 5º edição do Dicionário da Língua Portuguesa, Porto Editora) A alcunha do pai serviu de nome para o filho, porque o funcionário do registo assim o entendeu. Descendente de José de Sousa e Maria da Piedade, José de Sousa Saramago nasceu no dia 16 de novembro de 1922, em Azinhaga, embora esteja registado como tendo nascido dois dias depois, para escapar a uma multa por desrespeito ao prazo legal de registo. Ribatejano…

  • Literatura,  Secções

    “Nem sabes o que aconteceu!”

    Entrevista a Sofia Costa Lima Fotografia: Pedro Miranda Quando me encontrei com a Sofia no terceiro piso da Escola Superior de Comunicação Social (ESCS), a chuva não mostrava intenções de abrandar. No entanto, não precisei de rasgar a minha capa para chamar o Verão de São Martinho antes do tempo, uma entrevista bastou. Assim, quando nos levantámos, a Sofia foi para casa ver o jogo do Porto (a sua equipa) sem previsão de aguaceiros. A Sofia Costa Lima é de Fiães, concelho de Trancoso, tem 20 anos, já publicou dois livros e está a fazer o terceiro ano de jornalismo na ESCS. Falámos sobre os seus primeiros passos na escrita,…

  • Literatura,  Secções

    Desenhador de Palavras

    “Se voltar, o que será preciso dizer aos homens?” Antoine de Saint-Exupéry Em 2004, a poucos quilómetros da costa de Marselha foram encontrados os destroços do avião em que Antoine de Saint-Exupéry levantou voo, no dia 31 de Julho de 1944, ao serviço do exército de libertação durante a Segunda Guerra Mundial. Já o seu corpo permanece envolto num mistério, pois, tal como o de D. Sebastião, nunca apareceu. Borgo, na Córsega, que foi o ponto de partida para um voo sem retorno, é o lugar onde lhe são atribuídas as últimas palavras: “Se voltar, o que será preciso dizer aos Homens?”. Muitas foram as raposas que ficaram por cativar,…