• Opinião,  Secções

    Acto aleatório de bondade

    A primeira vez que entrei num café lisboeta sozinha foi desapontante. Ao agradecer ao empregado recebi um olhar muito estranho, como se eu tivesse dito algum palavrão ao empregado, como se não fosse normal ouvir um “obrigada”. Depois, fui-me habituando e, mesmo sem resposta, continuei a dizer os meus “bom dia”, “por favor” e “obrigada”. Afinal, quem fica mal visto é quem não o diz. Já passaram uns anos e continuo a achar que Lisboa — e outros locais — precisavam de mais simpatia por parte dos seus habitantes. Entrar num autocarro e dizer “bom dia” ao condutor pode parecer algo descabido porque não conhecemos o senhor de lado algum,…

  • Opinião

    Fazer Melhor o Bem

    Este texto é uma reflexão. Não o digo com presunção. A lua também reflecte e, embora seja brilhante, não é por isso que achamos que ela é convencida. O Natal é a altura do ano em que, provavelmente, ouvimos a palavra “solidariedade” mais vezes. Eu podia começar já a criticar dizendo que se pode ser solidário todo o ano e não é preciso chegar Dezembro para ajudarmos outras pessoas, mas não é sobre isso que me quero debruçar. A minha reflexão começa um pouco mais atrás: estamos verdadeiramente a ser solidários nas campanhas mais conhecidas de Natal? Comecemos pelo exemplo dos livros, em que metade do valor reverte a favor…

  • Opinião

    Fazer como no Senegal

    No outro dia, estava eu a aproveitar o meu domingo para fotografar a bela Lisboa, na igualmente bela companhia de mãe e irmã, quando, em Santa Lúzia, fomos interpelados por um vendedor de bugigangas africano. Nada de anormal até aqui. Demonstramos serenamente o nosso desinteresse pela compra daqueles artigos, recusa à qual se seguiu um pequeno diálogo estabelecido pelo vendedor. Questionou-nos se eramos de Lisboa. Mãe: “sim, ‘eles’ não. “São seus filhos?”, perguntava. Disse-nos que era do Senegal e que vivia cá há alguns anos, quantos não me consigo lembrar. “E gosta de cá viver”, perguntamos-lhe. Afirmativo. Acrescentou que tinha família em Paris, onde se falava francês, tal como no…