• Opinião

    E agora?

    Esta crónica é escrita ao abrigo do novo acordo ortográfico Aqui há uns largos meses, durante as primárias eleitorais norte-americanas, profetizei que Donald Trump iria ser esmagado pela concorrência democrata. Aparentemente o meu nome não é Cassandra, pois não podia estar mais longe da verdade. Trump ganhou as eleições, até com relativa margem de manobra. Saber como tudo isto aconteceu exige uma análise social e cultural cuidada. Não obstante, alguns fatores parecem-me ser relativamente evidentes: os níveis recorde de abstenção, o desinteresse jovem por ambos os candidatos e um profundo ódio ao grupo sociopolítico que Hillary Clinton representa contribuíram para a vitória de Trump. Mas, agora que o mal está…

  • Atualidade

    Protestos anti-Trump decorrem continuamente há cinco dias

    Desde quarta-feira que milhares de norte-americanos, e não só, saem à rua, insatisfeitos com os resultados da eleição. Donald Trump considerou os protestos injustos para com ele mas uma demonstração de paixão pelo país. O evento que se iniciou em Nova Iorque e em Chicago em poucas horas se espalhou a várias outras cidades norte-americanas (tal como ao Canadá e a Londres), onde multidões se uniram, normalmente em frente aos edifícios do agora presidente eleito. Os protestos eram etnicamente diversificados e maioritariamente constituídos por jovens; foram organizados nas redes sociais ou criados espontaneamente. A noite de quinta-feira foi a que representou um nível de tensão maior, no dia em que,…

  • Opinião,  Secções

    Uma pitada de “Trump”

    Nos EUA a ansiedade relativamente ao dia 8 de novembro é cada vez maior, isto porque as eleições presidenciais americanas não têm deixado ninguém indiferente. Já pouco falta para as eleições e apenas dois candidatos aguentaram toda a pressão existente para puderem agradar, não o povo americano, mas sim todos os seus interesses e “angariar” dinheiro para os seus bolsos cheios de milhões. Quer isto dizer que, provavelmente, a motivação destes dois candidatos, ou pelo menos de Donald Trump, é encher o povo de ilusão. As polémicas “trumpianas” têm avançado a um ritmo alucinante e, semana após semana, conseguem denegrir a imagem de Trump e da sua própria campanha, virando…

  • Atualidade,  Informação

    Hillary e Trump na última jogada até à Casa Branca

    As últimas achas para a fogueira das eleições americanas de 2016 foram lançadas na passada quarta-feira à noite, em Las Vegas. Hillary Clinton e Donald Trump discutiram durante noventa minutos as questões políticas mais importantes. O terceiro e último debate da noite passada, que decorreu na Universidade de Nevada, em Las Vegas, apresentou diferenças relativamente aos dois anteriores, embora as ofensas não tenham sido descartadas por completo. Assistiu-se a um contraste claro entre as direções que cada candidato espera tomar para governar o país. Dos dez pontos-chave discutidos destacam-se temas como a economia, o terrorismo, a imigração, o aborto ou a polémica lei das armas. O momento alto da noite…