• Opinião

    Velhos hábitos

    O período de férias é especial para todos. É aquela altura do ano em que toda a gente pode fazer aquilo que bem entender sem ter que se stressar muito. Para os mais pequenos, significa continuar a brincar e a explorar de forma a aprender mais sobre o mundo (seja em frente a um ecrã ou não), ou basicamente a fazer precisamente aquilo que lhes apetece, livres do constrangimento da escola. No entanto, à medida que vamos avançando em idade, essa ingenuidade e esse positivismo são substituídos pela simples vontade de total evasão da vida urbana e de todo o stress a ela subjacente (os horários, o trânsito, os trabalhos,…

  • Opinião

    Ouvir música: a evolução de um hábito

    (Ilustração por Rute Cotrim) Nas últimas décadas, o hábito de ouvir música sofreu inúmeras transformações. A tarefa a que me proponho é desafiante: sintetizar trinta anos de consumo de música em meia dúzia de parágrafos. Se, para as gerações que nasceram após a viragem do milénio, um Walkman ou um Discman são, provavelmente, objectos estranhos, em contrapartida, nos anos 90, a possibilidade de ouvir milhões de músicas gratuitamente em plataformas de streaming era uma ideia que nem à ficção lembrava. Nasci em 1984, o ano em que Madonna lançou o icónico “Like A Virgin”. Na penúltima década do século XX, ouvia-se música em cassete (ou k7) ou em CD (a novidade de então). Ao mesmo tempo,…