• Opinião

    Abracadabra

    É um fenómeno extremamente interessante. As pessoas, e talvez também eu, estão coerentemente à espera de que lhes chegue uma fórmula de sucesso. Ouvimos os professores, repugnamos o “chove no molhado”, o “eu já ouvi isto noutra cadeira”, como se as verdades estivessem escondidas e constantemente vedadas, qual poder enraizado e corrupto a impedir-nos de singrar na vida. “Spoiler alert”: não há verdades absolutas nem pós mágicos de sucesso no mundo dos negócios, ou em qualquer tema da nossa vida caso se estejam a interrogar. Claro que conhecimento é útil e necessário – quanto mais melhor – mas, porque nos forma como pessoas, essa informação aumenta-nos a nossa perspetiva, como…

  • Opinião,  Secções

    “Desvida”

    Sim, vim falar sobre a morte. Pareceu-me demasiado dramático ou mórbido colocá-la como título e por isso permiti-me inventar uma espécie de sinónimo do termo (poderá dar jeito nos recentes debates sobre a eutanásia, para aqueles que a defendem: “eu não defendo a morte, mas sim a desvida…” soa menos agressivo, talvez cole). Quanto à morte, não me surpreende nem a temo. É um reflexo indivisível da existência. “Eu tenho medo de morrer”. Ouve-se vezes e vezes sem conta e tem tanto de real como de estupidamente irrealista. É o único facto efectivamente provado, irrevogável. Medo de uma inevitabilidade crónica não é mais que fechar os olhos aquando de uma…

  • Opinião,  Secções

    Se as mulheres mandassem…

    Com a nova entrada de mulheres no governo, o reincidente debate sobre o papel (quase inexistente) do sexo feminino no poder reacende-se a todo o vapor. Apesar da maior recorrência destas situações, continuam a ser fenómenos demasiado esporádicos e que mostram o ainda machismo patente na cultura portuguesa e mundial. Houve evolução, isso é inegável, mas há preconceitos profundamente enraizados, não só na nossa sociedade, como nas próprias normas legais que a regem. Ofereço apenas o seguinte exemplo: se for retirada toda e qualquer emoção ao casamento e nos restringirmos aos factos puramente racionais, este ato nada mais é senão um registo de propriedade. A mulher deixa de ser ela…

  • Opinião,  Secções

    Educação? Sim, muito obrigado!

    Sempre a defendi como princípio básico e estruturante da nossa sociedade, sempre proclamei ser um privilegiado. E pensava assim, mas só hoje o sinto em toda a sua extensão… Passou uma ideia deformada para esta geração de que o estudo era um meio para atingir um fim economicamente mais auspicioso: maior qualificação igual a maior remuneração. Com o aumento exponencial de licenciaturas nas mais diversas áreas é hoje possível discernir que fomos enganados. Um jornalista licenciado ganha, no início de carreira, menos do que um empregado de mesa num restaurante com boas gorjetas ou do que um barbeiro. O que está em causa não é a contestação desta realidade. A…

  • Opinião,  Secções

    Clubes políticos: qual o seu?

    O campeonato das eleições já passou. Todos os analistas, comentadores e toda uma panóplia de especialistas dissecaram o tema de todos os ângulos possíveis. O resultado é sempre o mesmo. Alguém ganhou, perdeu ou não se sabe ao certo, mas não é sobre isso que pretendo debruçar. A mim, particularmente, fascina-me a aceitação geral das constantes analogias entre os partidos políticos e os clubes de futebol. O amor incondicional que se cria pelo partido é, no mínimo, perigoso quando se trata de gerir um país. As eleições são perfeitas para vislumbrar a loucura em que a política se tornou. Os partidos viraram autênticas claques. Com as suas bandeiras e os…