• 7ª Arte

    Um Lugar Silencioso – Quem diria que o silêncio poderia ser tão assustador?

    O mundo foi dominado por criaturas cegas que ameaçam a continuação da espécie humana. À primeira vista, poderíamos questionar-nos acerca da ameaça que estas representam. A sua extraordinária audição permite-lhes ouvir à distância tudo o que seja mais alto do que um sussurro. O pior é mesmo o facto de, ao mínimo descuido, estas se moverem a uma velocidade que quase parece a da luz e despedaçarem num segundo o emissor do ruído. Um Lugar Silencioso acompanha o autêntico jogo de hide and seek da família Abbott. Estes têm uma clara vantagem em relação a todos os outros humanos, e talvez por isso tenham sobrevivido até este momento. A criança…

  • 7ª Arte

    A Maldição dos irmãos Spierig

    Terror (substantivo masculino): Grande medo = pânico, pavor. Qualidade do que é terrível. Aquilo que apavora, aterroriza. Sempre que ouço falar num filme de terror com atores conhecidos por, pelo menos, metade da população que gosta de cinema, fico um pouco hesitante. A verdade é que existe um estigma que me é difícil ignorar. Será possível criar verdadeiro terror através da representação de atores reconhecidos em áreas cinematográficas tão diferentes de terror? A Maldição da Casa Winchester poderia ser uma boa biografia com mistério, mas pouco tem para ser um filme de terror ou thriller. O mistério que circunda todo o enredo deixa-nos com vontade de querer descobrir todos os…

  • 7ª Arte

    Red Sparrow (2018)

    Até poderíamos esperar mais um filme repleto de espionagem como Atomic Blonde, mas a verdade é que Red Sparrow se distancia imenso deste filme que tanto furor causou em 2015. É certo que ambos nos apresentam duas protagonistas fortes, sedutoras e destemidas, mas Red Sparrow não conta, de todo, com a mesma dose de ação. Red Sparrow, de Francis Lawrence, apresenta-nos Dominika Egorova (interpretada por Jennifer Lawrence), uma prima-bailarina que, após uma grave lesão, se vê obrigada a pôr de parte uma carreira promissora. É aqui que entra o seu tio Vanya (interpretado por Matthias Schoenaerts), um membro importante do governo central com ligações ao Serviço de Inteligência Russo. Graças…

  • 7ª Arte

    Do thriller para o terror? Vem aí o novo filme de Darren Aronofsky

    O realizador Darren Aronofsky é conhecido pela qualidade dos seus thrillers psicológicos – como é o caso de “Cisne Negro”, com Natalie Portman no principal papel. “Mãe!”, o seu mais recente trabalho, tem corrido as bocas do mundo desde que o primeiro teaser foi lançado. O novo filme conta com Jennifer Lawrence e Javier Bardem, que interpretam um casal aparentemente feliz, na tranquilidade da sua casa – algo que parece mudar quando recebem uma visita inesperada. No trailer do filme, Jennifer Lawrence é vista a descobrir recantos obscuros da sua própria casa, num estado de pânico, causando um cenário de pleno terror. O enredo parece focar-se principalmente na atriz, com…

  • 7ª Arte

    Shut In – Reféns do Medo

    A sala estava cheia e as expectativas estavam elevadas q. b. Acontece que a desilusão falou mais alto. O trailer prometia um thriller intenso e de arrepiar; contudo, o filme em si é simples, previsível e, no geral, fraco. Nem tudo foi mau… Mas havia espaço para melhorar. A lista de interpretes é fantástica e a prestação de cada um deles é competente… Mas há pouco a fazer quando o guião não é aquilo que devia ser. Ainda assim, é importante destacar Naomi Harris – a sua entrega e expressividade são impressionantes e torna-se difícil desgostar dela enquanto atriz. Oliver Platt passa despercebido entre chamadas de Skype, mas não tenho…

  • Literatura

    Ken Follett – O ‘desenhador’ de thrillers

    Para escrever este texto recuo ao verão de 2013. Era uma bela noite de agosto, com uma aragem quente, e eu estava num centro comercial ao ar livre no Algarve quando decidi entrar numa pequena Bertrand que fazia esquina em frente a uma loja de jogos. Mal eu sabia que, com aquela decisão, estava prestes a descobrir um novo mundo — o de Ken Follett. Naquela noite, começou a minha relação com a obra do britânico. Tinha “O Terceiro Gémeo” e “O Vale dos Cinco Leões” na mão. Levei-os para casa e nos dias seguintes para a praia e a piscina. Não mais que um par de vezes, não tivessem…