Desporto

THE MIZ É O NOVO CAMPEÃO DA WWE

A WWE transmitiu este domingo mais um pay-per-view, o segundo do ano – o Elimination Chamber. Neste caminho para a WrestleMania, que realizar-se-á em abril, o evento decorreu no ThunderDome, em São Petersburgo, Flórida.

O evento principal (main card) foi constituído por 6 combates, dos quais 2 envolveram a estipulação de elimination chamber – um pelo título principal do Raw, o outro por uma oportunidade ao título principal do SmackDown nessa mesma noite.

Antecedendo o evento principal, foi anunciado que no kickoff iria haver um combate com 4 lutadores (fatal 4-way match) entre John Morrison, Ricochet, Elias e Mustafa Ali. O objetivo seria encontrar o substituto de Keith Lee para o triple threat match pelo WWE United States Championship que haveria nessa mesma noite. O combate não teve um domínio claro de um dos lutadores, mas, no fim, Morrison saiu vitorioso, após fazer o pinfall (contagem até 3) em Mustafa Ali.

O main card começou, então, com a elimination chamber match do SmackDown. O vencedor deste combate teria nessa mesma noite uma oportunidade pelo WWE Universal Championship, título pertencente a Roman Reigns. Este combate envolveu King Corbin, Sami Zayn, Daniel Bryan, Kevin Owens, Jey Uso e Cesaro e começou com este último e Daniel Bryan no ringue. O combate decorreu a um ritmo normal, face à estipulação, com nenhum lutador a ter um domínio assinalável. O spot do combate ficou a cabo de Kevin Owens, que aproveitou um momento de confusão, subiu para cima de um dos pod e fez um Moonsault para cima de todos.

Fonte: WWE

Jey Uso e Daniel Bryan foram os 2 últimos sobreviventes. Uso quase que eliminou Bryan, mas Bryan sobreviveu e acabou mesmo por ser ele a vencer o combate, após o seu Running Knee. Após a câmara ser levantada, tocou a música de Roman Reigns, que, sem mais demoras, se encaminhou para o ringue. A campainha tocou, Reigns preparou-se para o Spear, mas Bryan deu counter com a sua submissão. Reigns conseguiu safar-se, partiu para cima de Bryan, distribuindo socos e acabando com o que restava de Bryan. Deste modo, fez a sua submissão Guillotine Choke e o árbitro acabou o combate que durou… 1 minuto e 32 segundos. 

Opinião: Edge, vencedor do Royal Rumble masculino e candidato a um combate por um dos títulos principais na WrestleMania, acabou por aparecer, fazendo um Spear no campeão e apontando para o logótipo da WrestleMania. Estava feita a sua escolha, o que viria a ser confirmado mais tarde, mas nem isso apagou o mau booking (o processo que desenvolveu este enredo) desta sequência. Sendo óbvio que Roman Reigns sairia deste pay-per-view como campeão, nem o campeão, nem Daniel Bryan beneficiaram da decisão de Bryan sair vencedor deste combate, muito menos para uma luta que acabou por nem ter 2 minutos de duração. Uma possível decisão teria sido Sami Zayn, o que daria alento à storyline que, atualmente, o envolve.

Fonte: Cageside Seats

Seguiu-se o triple threat pelo United States title, que pertencia a Bobby Lashley. Enfrentando Riddle e John Morrison, Lashley teve o domínio do combate, apenas acabada pela aliança temporária formada pelos outros 2 lutadores. Um combate decorrido a um ritmo normal e típico de um triple threat, que acabou com Riddle a tornar-se o novo campeão, após pegar na muleta de MVP e acertar com ela duas vezes no campeão, seguindo-se de um Bro Derek em John Morrison.

Opinião: O facto de oRiddle, sendo face (“bom da fita”), vencer o combate como um heel (vilão) foi incompreensível, até porque, até ao momento, não se verificou nenhum heel turn de Riddle. Por outro lado, a decisão de sair como novo campeão justifica-se, desde que isso signifique que Lashley irá subir no card, tornando-se num dos candidatos ao título principal do Raw.

Fonte: WWE

Precedendo o main event, as campeãs de tag team femininas Nia Jax e Shayna Baszler venceram Bianca Belair e a campeã feminina do SmackDown Sasha Banks. No combate mais desinteressante da noite, foi preciso a distração de Reginald para que Nia Jax atacasse Sasha e mantivesse os títulos com a sua equipa. Opinião: este combate poderia ter acontecido no SmackDown, pois em nada acrescentou para qualquer um dos lados. Tudo se encaminha para que Bianca, enquanto vencedora do Royal Rumble feminino e também tendo direito a um combate na WrestleMania por um dos títulos principais femininos, defronte Sasha, mas não se deu avanço a esta possível rivalidade, pelo que a dúvida permanece.

Por fim, o main event. Contrariamente à SmackDown, o WWE Champion Drew McIntyre lutaria dentro da Elimination Chamber pelo seu título frente a antigos campeões, nomeadamente AJ Styles, Kofi Kingston, Sheamus, Jeff Hardy e Randy Orton. Os dois últimos deram início ao combate, tendo Orton estado por cima durante grande parte da disputa. No final, Sheamus acertou um Brogue Kick em Drew e tudo apontava para a eliminação do campeão, mas AJ Styles acertou com um Phenomenal Forearm em Sheamus e eliminou-o. Logo de seguida, tentou a mesma manobra em Drew, mas o campeão apanhou-o no ar com um Claymore Kick e venceu, retendo, assim, o título.

Porém, a noite não acabava aqui, pois, mais uma vez, a câmara levantou-se e tudo podia acontecer. Lashley apareceu e atacou o campeão de forma bastante violenta, até que a música de The Miz tocou e… eis o cash-in. Após o Skull Crushing Finale, Miz conquistou assim o WWE Title pela segunda vez na sua carreira, finalizando, desta forma, o pay-per-view.

Opinião: O facto de Orton ser eliminado em primeiro lugar foi surpreendente, até pela possibilidade de The Fiend, de alguma forma, aparecer e arruinar o combate a Orton, mas tal não aconteceu. Além disto, suspeitou-se de que Miz falharia quando fizesse o cash-in, mas acaba a noite como campeão. Tendo em conta o envolvimento de Lashley, avizinha-se uma luta a 3 pelo título, sendo que o reinado de Miz não deverá durar para além da WrestleMania, caso chegue lá como campeão. Não se pode ainda descurar Sheamus, mas o facto de não ter sido ele a ocupar o lugar de AJ Styles pode ser um mau prenúncio para o irlandês.

Fonte: WWE

Num cômputo geral, o Elimination Chamber deixou a desejar. Não houve nenhum combate particularmente fascinante e o booking de algumas lutas deixou a desejar. Também não se compreendeu a decisão de ter deixado Asuka, campeã feminina do Raw, de fora. O combate contra Lacey Evans foi cancelado, após Lacey ter revelado a sua gravidez no Raw anterior ao pay-per-view. Keith Lee também falhou, aparentemente por lesão, o combate pelo título dos Estados Unidos e a WWE inseriu um combate no kickoff que serviu para encontrar um substituto para o seu lugar. 

Por outro lado, tivemos a confirmação do 1.º combate para a WrestleMania – Edge vs. Roman Reigns – e ainda dois novos campeões, estando o destaque virado para o WWE Championship, onde a curiosidade reside em quais serão os planos da WWE. Tudo aponta para que Lashley e Drew se enfrentem, quer seja um contra o outro, quer seja com mais alguém no combate (Miz? Sheamus? Ambos?). Com mais um pay-per-view realizado, neste caminho para a WrestleMania segue-se o Fastlane, que está agendado para dia 21 de março.

Artigo revisto por Lurdes Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *