Desporto

THE MIZ É O NOVO CAMPEÃO DA WWE

A WWE transmitiu este domingo mais um pay-per-view, o segundo do ano – o Elimination Chamber. Neste caminho para a WrestleMania, que realizar-se-á em abril, o evento decorreu no ThunderDome, em São Petersburgo, Flórida.

O evento principal (main card) foi constituído por 6 combates, dos quais 2 envolveram a estipulação de elimination chamber – um pelo título principal do Raw, o outro por uma oportunidade ao título principal do SmackDown nessa mesma noite.

Antecedendo o evento principal, foi anunciado que no kickoff iria haver um combate com 4 lutadores (fatal 4-way match) entre John Morrison, Ricochet, Elias e Mustafa Ali. O objetivo seria encontrar o substituto de Keith Lee para o triple threat match pelo WWE United States Championship que haveria nessa mesma noite. O combate não teve um domínio claro de um dos lutadores, mas, no fim, Morrison saiu vitorioso, após fazer o pinfall (contagem até 3) em Mustafa Ali.

O main card começou, então, com a elimination chamber match do SmackDown. O vencedor deste combate teria nessa mesma noite uma oportunidade pelo WWE Universal Championship, título pertencente a Roman Reigns. Este combate envolveu King Corbin, Sami Zayn, Daniel Bryan, Kevin Owens, Jey Uso e Cesaro e começou com este último e Daniel Bryan no ringue. O combate decorreu a um ritmo normal, face à estipulação, com nenhum lutador a ter um domínio assinalável. O spot do combate ficou a cabo de Kevin Owens, que aproveitou um momento de confusão, subiu para cima de um dos pod e fez um Moonsault para cima de todos.

Fonte: WWE

Jey Uso e Daniel Bryan foram os 2 últimos sobreviventes. Uso quase que eliminou Bryan, mas Bryan sobreviveu e acabou mesmo por ser ele a vencer o combate, após o seu Running Knee. Após a câmara ser levantada, tocou a música de Roman Reigns, que, sem mais demoras, se encaminhou para o ringue. A campainha tocou, Reigns preparou-se para o Spear, mas Bryan deu counter com a sua submissão. Reigns conseguiu safar-se, partiu para cima de Bryan, distribuindo socos e acabando com o que restava de Bryan. Deste modo, fez a sua submissão Guillotine Choke e o árbitro acabou o combate que durou… 1 minuto e 32 segundos. 

Opinião: Edge, vencedor do Royal Rumble masculino e candidato a um combate por um dos títulos principais na WrestleMania, acabou por aparecer, fazendo um Spear no campeão e apontando para o logótipo da WrestleMania. Estava feita a sua escolha, o que viria a ser confirmado mais tarde, mas nem isso apagou o mau booking (o processo que desenvolveu este enredo) desta sequência. Sendo óbvio que Roman Reigns sairia deste pay-per-view como campeão, nem o campeão, nem Daniel Bryan beneficiaram da decisão de Bryan sair vencedor deste combate, muito menos para uma luta que acabou por nem ter 2 minutos de duração. Uma possível decisão teria sido Sami Zayn, o que daria alento à storyline que, atualmente, o envolve.

Fonte: Cageside Seats

Seguiu-se o triple threat pelo United States title, que pertencia a Bobby Lashley. Enfrentando Riddle e John Morrison, Lashley teve o domínio do combate, apenas acabada pela aliança temporária formada pelos outros 2 lutadores. Um combate decorrido a um ritmo normal e típico de um triple threat, que acabou com Riddle a tornar-se o novo campeão, após pegar na muleta de MVP e acertar com ela duas vezes no campeão, seguindo-se de um Bro Derek em John Morrison.

Opinião: O facto de oRiddle, sendo face (“bom da fita”), vencer o combate como um heel (vilão) foi incompreensível, até porque, até ao momento, não se verificou nenhum heel turn de Riddle. Por outro lado, a decisão de sair como novo campeão justifica-se, desde que isso signifique que Lashley irá subir no card, tornando-se num dos candidatos ao título principal do Raw.

Fonte: WWE

Precedendo o main event, as campeãs de tag team femininas Nia Jax e Shayna Baszler venceram Bianca Belair e a campeã feminina do SmackDown Sasha Banks. No combate mais desinteressante da noite, foi preciso a distração de Reginald para que Nia Jax atacasse Sasha e mantivesse os títulos com a sua equipa. Opinião: este combate poderia ter acontecido no SmackDown, pois em nada acrescentou para qualquer um dos lados. Tudo se encaminha para que Bianca, enquanto vencedora do Royal Rumble feminino e também tendo direito a um combate na WrestleMania por um dos títulos principais femininos, defronte Sasha, mas não se deu avanço a esta possível rivalidade, pelo que a dúvida permanece.

Por fim, o main event. Contrariamente à SmackDown, o WWE Champion Drew McIntyre lutaria dentro da Elimination Chamber pelo seu título frente a antigos campeões, nomeadamente AJ Styles, Kofi Kingston, Sheamus, Jeff Hardy e Randy Orton. Os dois últimos deram início ao combate, tendo Orton estado por cima durante grande parte da disputa. No final, Sheamus acertou um Brogue Kick em Drew e tudo apontava para a eliminação do campeão, mas AJ Styles acertou com um Phenomenal Forearm em Sheamus e eliminou-o. Logo de seguida, tentou a mesma manobra em Drew, mas o campeão apanhou-o no ar com um Claymore Kick e venceu, retendo, assim, o título.

Porém, a noite não acabava aqui, pois, mais uma vez, a câmara levantou-se e tudo podia acontecer. Lashley apareceu e atacou o campeão de forma bastante violenta, até que a música de The Miz tocou e… eis o cash-in. Após o Skull Crushing Finale, Miz conquistou assim o WWE Title pela segunda vez na sua carreira, finalizando, desta forma, o pay-per-view.

Opinião: O facto de Orton ser eliminado em primeiro lugar foi surpreendente, até pela possibilidade de The Fiend, de alguma forma, aparecer e arruinar o combate a Orton, mas tal não aconteceu. Além disto, suspeitou-se de que Miz falharia quando fizesse o cash-in, mas acaba a noite como campeão. Tendo em conta o envolvimento de Lashley, avizinha-se uma luta a 3 pelo título, sendo que o reinado de Miz não deverá durar para além da WrestleMania, caso chegue lá como campeão. Não se pode ainda descurar Sheamus, mas o facto de não ter sido ele a ocupar o lugar de AJ Styles pode ser um mau prenúncio para o irlandês.

Fonte: WWE

Num cômputo geral, o Elimination Chamber deixou a desejar. Não houve nenhum combate particularmente fascinante e o booking de algumas lutas deixou a desejar. Também não se compreendeu a decisão de ter deixado Asuka, campeã feminina do Raw, de fora. O combate contra Lacey Evans foi cancelado, após Lacey ter revelado a sua gravidez no Raw anterior ao pay-per-view. Keith Lee também falhou, aparentemente por lesão, o combate pelo título dos Estados Unidos e a WWE inseriu um combate no kickoff que serviu para encontrar um substituto para o seu lugar. 

Por outro lado, tivemos a confirmação do 1.º combate para a WrestleMania – Edge vs. Roman Reigns – e ainda dois novos campeões, estando o destaque virado para o WWE Championship, onde a curiosidade reside em quais serão os planos da WWE. Tudo aponta para que Lashley e Drew se enfrentem, quer seja um contra o outro, quer seja com mais alguém no combate (Miz? Sheamus? Ambos?). Com mais um pay-per-view realizado, neste caminho para a WrestleMania segue-se o Fastlane, que está agendado para dia 21 de março.

Artigo revisto por Lurdes Pereira

Avatar

Apaixonado pelo futebol desde que se conhece, André adora uma boa discussão futebolística. Acompanha ainda wrestling, particularmente a WWE e a AEW. Refugia-se na escrita, sonhando ser jornalista desportivo e procurando acrescentar algo mais a esta área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *