7ª Arte

Vidas que transbordam inspiração

Sabes aquele pequeno entusiasmo que sentes quando acabas de ver um excelente filme e que ainda por cima é baseado numa história verídica? 

Tendo sempre em atenção que não estamos a assistir a um documentário, devemos sempre avaliar o filme com espírito crítico. Muito provavelmente não foi exatamente assim que a história aconteceu. Mas essa é também a beleza deste tipo de obras. Contam-nos histórias que no dia a dia não nos despertariam interesse e tornam-nas apelativas e memoráveis através de imagem, música e todo um conjunto de elementos que fazem da cinematografia uma arte. A partir daí pode ser que tenhamos interesse para saber mais sobre o assunto e para pesquisar a verdadeira história.

Os filmes desta lista são todos baseados em histórias verídicas e também eles podem nos inspirar de uma forma ou de outra.

The Glass Castle

Fonte: Amazon

Uma jovem rapariga e a sua família, constituída por pai, mãe, um irmão e duas irmãs, muda-se constantemente de cidade em cidade. Esta história de vida pouco ortodoxa é baseada no livro com o mesmo título escrito por Jeannette Walls. 

A história da rapariga que cresceu na extrema pobreza, com um pai bêbado e uma mãe desapegada. O filme é uma porta aberta para um estilo de vida narrado na primeira pessoa e que nos revela como uma família disfuncional nos pode afetar, sem deixar de mostrar como é difícil balançar os lados maus com o facto de continuarmos a amar os nossos pais. Apesar de tudo é uma história que retrata a realidade dura e crua.

Intouchables

Fonte: IMDb

Apesar de já existir uma versão mais recente feita com um elenco estadunidense, este filme é originalmente de 2011 e francês. Foi o filme mais visto na França no ano em que estreou e é o filme francês mais rentável da história. 

Conta-nos a vida de dois homens que nada têm que ver um com o outro (daí o título em português Amigos Improváveis). Por um lado, um tetraplégico multimilionário que procura um auxiliar de enfermagem. Por outro, um senegalês radicado nos subúrbios de Paris e que não tem qualquer formação para o cargo para o qual se candidata.

É essencial valorizar e consumir outros trabalhos e obras sem ser apenas dos atores ou realizadores americanos e este é um ótimo exemplo de como aquilo que é original é muitas vezes o melhor.

Beautiful boy

Fonte: IMDb

A história de Beautiful Boy conta-nos a história de vida do jornalista David Sheff e do seu filho Nic. 

Nic começa a experimentar drogas desde cedo, e com o tempo acaba por se tornar um viciado em metanfetamina. Ao longo do filme, que tem por base o livro, com mesmo nome, escrito por David Sheff, vamos testemunhando aquela que é uma procura por parte do pai para perceber o que aconteceu ao seu filho. 

O livro é de 2018 e tem atores aclamados como Timothée Chalamet e Steve Carell.

Into the wild

Fonte: mubi

Depois de se ter graduado em 1992, Christopher McCandless decide abandonar por completo a sua vida juntamente com todas as suas posses. Decide doar as suas poupanças de 24 mil dólares a uma instituição de caridade. O sonho dele é ir para o Alasca, e assim faz.

Para choque dos pais, que nunca mais chegaram a ver o filho, decide então embarcar nesta aventura sozinho. Ao longo do filme acompanhamos o jovem na sua viagem pelas mais diversas paisagens, pelas mais variadas interações e pelos perigos que surgem ligados a estas explorações.

Frida

Fonte: IMDb

Frida Kahlo não necessita de qualquer tipo de apresentação, e este filme também não. Baseado na história de vida da artista, seguimos aqueles que foram alguns dos anos mais sofridos da mesma. Passando pelo seu acidente que a deixou incapacitada para o resto da vida até ao seu casamento tumultuoso com o artista Diego Riviera. Estreou-se no ano de 2002, mas continua a ser uma grande referência para quem quer saber mais sobre a vida por detrás de quadros como A Coluna Partida, As Duas Fridas e Frieda e Diego. Alguns dos autores são Salma Hayek, Alfred Molina, Antonio Banderas e Edward Norton.

I, Tonya

Fonte: IMDb

Tonya Harding foi, durante a década de 1990, uma patinadora de gelo de alta competição que chegou a ser campeã do Campeonato de Patinagem no Gelo do Reino Unido, bem como, segunda colocada no Campeonato Mundial.

Porém, o seu casamento conturbado acaba por interferir com a sua carreira quando o marido e mais dois homens partiram a perna a uma das adversárias de Tonya nas Olimpíadas de 1994.

Big Eyes

Fonte: IMDb

Margaret Keane começa neste filme por se divorciar e de se mudar com a filha para uma nova cidade. Aí conhece Walter Keane que viria a ser seu marido, bem como o homem que por múltiplos anos roubou o crédito dos seus quadros.

Gradualmente observamos como Walter é capaz de passivamente manipular Margaret sem que esta se aperceba daquilo que poderá resultar dali. Assim que Margaret decide assinar as suas obras com o sobrenome do marido, as mesmas são usurpadas pela ganância do mesmo.

O filme chega inclusive a retratar a batalha judicial que houve entre os dois. A peça tem atores conotados como Amy Adams e Christoph Waltz, bem como, na sua banda sonora, duas músicas exclusivas da artista Lana del Rey.

Variações

Fonte: IMDb

Como não podia deixar de faltar um dos melhores filmes do cinema português, temos Variações, que, como o próprio nome indica, retrata a história de vida de António Variações. 

O cantor pop rock que ficou incrivelmente famoso nos anos 80 e que acabou por morrer de Sida em 1984 é provavelmente uma das figuras mais emblemáticas do nosso país.

At Eternity’s Gate

Fonte: IMDb

O célebre Vincent Van Gogh passou os seus últimos anos de vida em Arles e Auvers-sur-Oise, na França. Esta obra cinematográfica é precisamente sobre o lado mais atormentado, mas também mais mágico da pintura de Van Gogh. 

Uma profunda e emotiva viagem à história única de um dos mais impactantes artistas de toda a história da humanidade.

Fonte da capa: Inês Alegria

Artigo revisto por Ana Sofia Cunha

AUTORIA

+ artigos

Lembro-me que em pequena tinha o desejo de pisar cada pequeno recanto do mundo. Assim que pude fugi da minha terra natal, onde a única coisa de que ainda tenho saudades é de comer tripa com chocolate enquanto apanho com um vento gelado no rosto e olho por entre o casaco para o mar bravo. Vim para Lisboa com o intuito de estudar algo que me fizesse realmente sentir feliz e realizada. Nos meus tempos livres o mais provável é encontrarem-me pelas ruas de Lisboa a tirar fotografias ou então enfiada numa biblioteca com uma pilha de livros à minha frente.