Artes Visuais e Performativas

“A quarentena através de uma lente”

O projeto Everyday Covid, criado pelos fotojornalistas Miguel A. Lopes e Gonçalo Borges Dias, nasceu durante o primeiro estado de emergência, em março. Junta o trabalho de dezenas de fotógrafos em Portugal, que, no vazio que a pandemia deixou, encontraram momentos singulares de esperança, dor, medo e luta.

https://www.instagram.com/everydaycovid/?hl=pt

Foto de Artur Cabral em https://www.instagram.com/p/CAyGN8klJcK/
 
Foto de André Dias Nobres em https://www.instagram.com/p/CAslzcRD5R9/

Para além de um registo fotográfico, este projeto, que começou como uma página de Instagram (@everydaycovid), é um refúgio da liberdade de expressão, onde os artistas puderam captar duras e únicas imagens que mostram realmente como foi a realidade de quem viveu, e ainda vive, esta pandemia. Mostram não apenas como foi para quem era fotografado, mas também para os profissionais por detrás da lente, que, mesmo vivendo momentos de instabilidade, valorizaram a arte daquilo que outrora seria visto apenas como trágico. 

Na era das redes sociais, o Everyday Covid destacou-se a nível nacional perante tantos outros registos da vida quotidiana, em grande parte graças ao seu caráter cru. Desde março que o projeto foi crescendo, sempre com a ambição de se tornar algo mais, e em outubro de 2020 deu o primeiro passo nessa direção, tendo estado em exposição em Lisboa, na associação cultural “CC11”.

Foto de Manuel Martins em https://www.instagram.com/p/CA0eGo1AsgL/
Foto de Miguel A. Lopes em https://www.instagram.com/p/CAYFAjeALHV/

Foto de Rodrigo Cabrita in https://www.instagram.com/p/CBYoyRxlx2G/

A ideia deste projeto foi, desde o começo, mostrar a realidade das vidas – quer dos profissionais que continuavam numa luta diária durante a quarentena, quer dos cidadãos comuns que viram as suas vidas limitadas pela Covid-19. Num período em que também os fotógrafos e jornalistas viam as suas vidas em “stand-by”, a persistência pela necessidade de um registo fotográfico da história revelou ser mais forte do que a dúvida que pairava sobre todos: “como será o futuro?”.

Foto de Hugo Delgado em https://www.instagram.com/p/CAqYULEgLAW/
Foto de Miguel A. Lopes em https://www.instagram.com/p/CAs9HLzHVy7/

Contudo, o projeto ambicioso de um registo histórico deste episódio da humanidade tem ainda mais um passo por completar: o livro, considerado um diário fotográfico. O seu lançamento decorreu no Palácio Nacional da Ajuda, no dia 16 de dezembro, às 18h30. Foi transmitido em direto, quer no Instagram, quer no Facebook do projeto. Mas atenção: este diário já se encontra disponível em pré-reserva para os mais ansiosos!

O mundo mudou. As nossas noções de saúde, de cuidado e até mesmo de convívio foram totalmente alteradas. Foram muitos os hábitos que se perderam e rotinas que tiveram de ser cultivadas de novo para que se pudesse reaprender a viver em sociedade da melhor maneira possível, na esperança de, eventualmente, atingirmos um novo e melhor “normal”. Projetos como o Everyday Covid ajudaram as mudanças desta pandemia a ganhar um rosto e, através da fotografia, ajudaram a unir aqueles que se sentiam sozinhos nesta luta.

Foto de Rui Oliveira em https://www.instagram.com/p/CAaUKslAbY7/
Foto de Gonçalo Borges Dias em https://www.instagram.com/p/CAf_TFoh7dD/

Foto de André Gouveia em https://www.instagram.com/p/CAdagXwHLDv/

Artigo escrito por: Andreia Simão

Artigo revisto por: Constança Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *