Opinião

Amigos da Onça: quando te cobram aquilo que não te dão

“Que o amigo é sempre amigo. Se concorda com o amigo. Mas também se à discórdia sobreviver.”

O ser humano sempre viveu em comunidade e com base nas relações que estabelece com os outros. Desde pequenos que estabelecemos ligações com os nossos familiares e, posteriormente, com outras pessoas com as quais criamos amizades. Muitas dessas amizades começam quase desde o berço e acompanham-nos para a vida. Outras ficam pelo caminho pelos mais diversos motivos. 

Sempre considerei a amizade a mais bonita forma de amar. Um amigo, no seu todo, é alguém que nos diverte, que nos faz rir, que alinha nas nossas ideias e até loucuras. Para alguns, a definição de amizade fica por aqui. Para mim, vai um pouco mais além. Um amigo deve ser aquele que não nos dá a “palmadinha nas costas” só porque seria bom ouvir palavras bonitas em algumas situações. Um amigo deve ser aquele que nos elogia pelos nossos feitos, mas também aquele que nos chama a atenção quando esperava de nós uma outra atitude. Um amigo deve ser aquele que nos acompanha e que nos deseja tanto ou mais do que deseja a si próprio. Um amigo deve ser tudo isso. Se muitos o são? Nem por isso.

Há vínculos que criamos e que, por vezes, achamos que são para a vida, mas que nos debilitam de forma sistemática. Essas amizades tóxicas que parece que nos sugam toda a energia que temos acabam por tornar algo que devia ser um sentimento genuíno e puro num desgaste psicológico enorme. São esses vampiros sugadores de energia que nos fazem questionar se fomos nós que falhámos na amizade ou se são eles que procuram nutrir-se de sentimentos que um amigo não lhes pode dar – confiança e segurança.

Fonte da imagem: melhorcomsaude.com.br

Já todos nós tivemos pessoas tóxicas na nossa vida. Acredito também que já todos nós fomos a pessoa tóxica que, apesar de inconscientemente, perturbamos a vida de outro alguém. Por vezes, a toxicidade está nas mais pequenas atitudes. Quando esperamos que alguém aja de forma diferente connosco e essa pessoa não o faz, se ficarmos chateados ou cobrarmos essa atitude já estamos a agir incorretamente. Na minha visão, não podemos exigir nada de ninguém, porque, na verdade, ninguém nos deve nada.

No entanto, acredito que num mundo cheio de expetativas e ilusões, como aquele em que vivemos, é inevitável não esperarmos nada de ninguém. É por isso que nos magoamos e que nos desiludimos. Mas, pior do que isso, é por esse motivo que cegamos quando o assunto se trata de um amigo que nos fez mal e que, por ter o lugar que tem na nossa vida, preferimos não ver ou fingir que não vemos. É, por isso, importante perceber que a amizade verdadeira não é aquela que nos impede de crescer ou de viver a nossa vida em pleno, mas aquela que a equilibra e que lhe traz alguma leveza. Um amigo não deve ter qualquer sentimento que não seja puro ou genuíno. Não deve ter inveja, ciúmes ou medo de ser substituído. Se isso existir, é bem provável que estejamos envolvidos numa amizade pouco saudável.

Felizmente, não existem apenas essas amizades. Apesar de serem frequentes na nossa passagem, existem outras ligações bonitas e saudáveis que nos acompanham e que surgem até quando menos esperamos. São essas amizades que nos dão asas para voar e motivos para ficar. São elas que nos equilibram e que nos fazem perceber que há sentimentos bonitos que valem a pena experienciar.

Fonte da imagem de destaque: eairolou.com.br

Artigo revisto por Inês Pinto

Latest posts by Margarida Rodrigues (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *