• Opinião

    Querer amar, mas tropeçar no apego

    O facto de um cadeado fechado simbolizar o amor é algo que já não me faz sentido. Se tivesse de descrevê-lo, diria que é tudo menos isso, uma vez que simbolizaria prisão e posse. No outro dia, li num artigo que “um cadeado é um objeto que prende. E o amor não tem nada a ver com prisão – tudo…

  • Opinião

    As Lacunas de um Ensino Viciado

    Quantos de nós já nos devemos ter questionado sobre o sistema de ensino que perdura em Portugal e o porquê de a educação clássica estar de pedra e cal implantada no nosso país sem reforma aparente? Educação essa que é limitadora, pouco inclusiva e com pouca abertura para a inovação. A questão pandémica talvez tenha vindo evidenciar as lacunas do…

  • Opinião

    Falha, mas vive

    Ensinam-nos desde sempre a manifestar a felicidade e a ignorar a tristeza. Incentivam a nossa felicidade e festejam as nossas vitórias. Por outro lado, ensinam-nos a ignorar a tristeza e a dor e abafam as nossas derrotas e fragilidades como se fosse errado e fora do comum. Recusamos os sentimentos negativos, porque foi isso que nos ensinaram, levando a que,…

  • Opinião

    A violência atrás de um ecrã

    Para agredir uma pessoa basta desumanizá-la. A Internet veio facilitar a humilhação e a violência de diversas formas. O mais assustador é que isso pode ter efeitos para a vida toda, porque o que é publicado na Internet fica lá para sempre. A violência no digital tem assumido uma presença cada vez mais forte e tornou-se mais apetecível para o…

  • Opinião

    O estigma da perfeição já chegou à tua vulva?

    Nascer mulher teve, desde sempre, fardos associados: estar privada do prazer sexual, ser vista como meramente um ser reprodutor, não ter independência, não ter voz, entre outros. A mulher sentiu-se desde sempre acorrentada e presa numa torre. Aquilo de que nós não nos lembramos é que a emancipação feminina despertou o gosto pelo luxo, pela vaidade, pela sexualização da mulher,…

  • Opinião

    Desprendam-se de quem não vos agarra

    Consciente ou inconscientemente, estamos sempre a construir imagens daqueles que fazem parte da nossa vida. Estas construções, obviamente, não são fontes imparciais e fiáveis da realidade. Até porque parte da nossa perspetiva pessoal, isto é, da nossa observação e análise é baseada nos nossos filtros pessoais. Os filtros de que falo são aqueles que desenvolvemos ao longo da vida. Durante…