Música

O espírito de um país

Concerto dos 40 anos do 25 de abril, por Rodrigo Leão, editado em CD e DVD

Com uma discografia de sucesso internacionalmente reconhecida, Rodrigo Leão compôs, a pedido da Assembleia da República, o espetáculo O Espírito de um País, inserido nas comemorações dos 40 anos do 25 de abril. O concerto chega agora às lojas, em CD e DVD, e sobe ao palco no dia 7 de novembro no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e no dia 11 de novembro na Casa da Música, no Porto.

Com a Orquestra Sinfonietta de Lisboa e Camané, o músico traz novas interpretações de temas já conhecidos da sua carreira e ainda novas composições. Num álbum que nos transporta para uma noite repleta de simbolismo – logo a começar pelo facto de ter decorrido na escadaria principal da Assembleia da República, local que tem sido palco de inúmeras manifestações – Rodrigo Leão apresenta uma ode à liberdade onde não falta Grândola, Vila Morena, na voz do fadista Camané.

Ao longo das 17 faixas do disco, vamos recordando canções da vasta carreira de Rodrigo Leão, especialmente algumas incontornáveis, como A Comédia de Deus, Vida tão Estranha (com a voz de Camané), ou Estoril, renovadas com os arranjos de Artur Fernandes, Pedro Moreira e Carlos Tony Gomes. O tempo dos Madredeus não ficou esquecido: com Guitarra e Alfama, temas cantados pela acordeonista Celina da Piedade, somos levados para o ambiente lisboeta em que se viveu a revolução há 40 anos. Ao ensemble habitual do músico, junta-se a Sinfonietta de Lisboa, dirigida pelo maestro Vasco Pearce de Azevedo, o Grupo de Percussões de Lisboa e o Coro Juvenil da Fundação Musical dos Amigos das Crianças.

Um dos momentos chave do disco – e a parte mais simbólica do concerto – é a interpretação de Grândola, Vila Morena, o hino da revolução, num arranjo totalmente inédito e com a voz de Camané. Noutra faixa do álbum está gravado o momento em que, ao som do instrumental Histórias, o fadista disse o soneto “Uma vez que já tudo se perdeu”, de Ruy Belo, num momento que arrancou fortíssimos aplausos a quem se encontrava, nessa noite, na escadaria da Assembleia da República. A penúltima faixa do disco traz a gravação de uma carta sobre os acontecimentos de 25 de abril de 1974, lida pela filha de Rodrigo Leão, Rosa.

O disco, que encerra com o inquieto Labirinto, inclui uma canção inédita, precisamente com o título do espetáculo, O Espírito de um País. Trata-se de um instrumental com uma harmonia forte, bem ao estilo de Rodrigo Leão, aliando um ritmo acelerado de percussão aos violinos da Sinfonietta, com o acordeão a comandar a melodia.

Com a particularidade de deixar registado um momento de celebração da liberdade do País, este disco é também o reconhecimento nacional de um dos artistas que mais têm feito pela criação musical portuguesa. É a aposta ideal para a próxima vez que quiser comprar um álbum cantado e tocado em português.

Texto por: João Francisco Gomes

Avatar

João Francisco Gomes nasceu em Leiria, a meio da década de 90. Interessa-se por música, sobretudo por fado, música portuguesa, música erudita e música sacra. Gosta de tocar vários instrumentos musicais. Interessa-se por literatura, gosta de escrever e lê quase diariamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *