Música

Para os meninos Foo Fighters, uma salva de palmas!

Pois é! Já passaram 20 anos! Não sei quanto a vocês mas, da minha parte, já se fazia uma festa com direito a bolo. Enquanto espero pelo convite, que tenho a certeza de que deve estar mesmo a chegar, deixem-me falar-vos destes 20 anos de uma das bandas mais influentes da actualidade.

11015324_927545870588968_777267152_n

Contextualizando: 5 de Abril de 1994. Kurt Cobain, vocalista dos Nirvana, comete suicídio em Seattle, ditando o quase obrigatório fim da carismática banda. Por muitas vezes Dave Grohl e Krist Novoselic disseram que, sem o líder Cobain, não fazia sentido continuar o trabalho da banda. Dave Grohl chegou a ponderar deixar a música de parte — vamos tirar um minuto para agradecer o facto de não o ter feito —, mas acaba por não o fazer.

Em Outubro de 1994 vai para estúdio com o produtor musical e amigo Barrett Jones e grava, sozinho, aquilo que viria a ser o primeiro álbum dos Foo Fighters. Depois, distribui as fitas das gravações por alguns amigos e há editoras que acabam por se interessar. É com a Capitol Records que Dave Grohl assina contrato e lança, em julho de 1995, o primeiro álbum fora dos Nirvana, o homónimo Foo Fighters, de onde saem temas como “This is a Call” ou “Big Me”. O uso do nome Foo Fighters, inspirado pelo termo da aviação americana durante a II Guerra Mundial que remetia para objetos voadores que os pilotos não conseguiam identificar, é facilmente explicado. Grohl queria demarcar-se dos Nirvana: não queria que o vissem como o rapaz dos Nirvana e queria separar o trabalho com a banda anterior do trabalho atual.

Para divulgar o álbum e também os espectáculos, Dave Grohl convida Pat Smear (que tocou com os Nirvana), Nate Mendel e William Goldsmith a tocarem com ele. Desta formação inicial, apenas Goldsmith já não colabora com os Foo Fighters, embora Pat Smear se tenha ausentado entre 1997 e 2006.

De um fenómeno mundial para outro, Dave Grohl é um dos nomes mais sonantes do rock e até o consideram o “mais cool”. Vinte anos depois, cá estamos para contar a história.

 

Avatar

Sofia Costa Lima nasceu em Trancoso, em 1994. Estuda Jornalismo e é apaixonada por escrita. Tem um blog pessoal desde 2009 e publicou dois livros — em 2013 e 2014. Colabora com a Associação Juvenil de Trancoso desde 2013, fazendo parte da equipa responsável pelo Jornal Escrever Trancoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *