O tempo piora e as grandes superfícies são inundadas pelo pânico de quem (ainda) tem muitas prendas para comprar. No meio do frenesim é perfeitamente normal perder o espírito natalício logo no segundo dia de dezembro. Então compilamos uma lista de atividades que vos farão apaixonar-se pela quadra: bem-vindos à rota de Natal.
Nota: meias com árvores de Natal, camisolas com o Pai Natal e bandoletes com hastes de renas são aconselháveis, mas não obrigatórias!

Passo número 1: uma bebida quente
Dezembro, normalmente, é um mês frio e que inspira uma estadia no conforto das nossas casas e, embora o espirito natalício possa ser encontrado em casa, isso não teria tanta piada. Como tal, o primeiro passo não poderia ser outro. Seja chocolate quente, chá ou café, uma bebida quente é o mantimento ideal para dar início a esta rota. Há mil e um sítios onde encontrar o dito mantimento; contudo, correndo o risco de ser acusada de sucumbir ao Capitalismo, recomendo a Starbucks do Chiado. O ambiente é acolhedor, as bebidas natalícias – destaque para o Gingerbread Latte – são absolutamente deliciosas e os copos vermelhos que só saem à rua durante esta época tornaram-se (para mim) um sinal de que o Natal chegou. Para além disso, se decidirem abandonar o estabelecimento, o dito copo vermelho manterá as vossas mãos quentes amenizando o frio que se possa fazer sentir.

Passo número 2: a feira de Natal
É fácil encontrar uma feira de Natal nesta época; se fecharem os olhos durante três segundos é possível perderem a aparição de cerca de cinco feiras de Natal. Brincadeiras à parte: não é difícil encontrar uma feira de Natal, difícil será escolher uma. No entanto, como o primeiro passo “atravessa” o Chiado, a minha segunda recomendação vai para uma feira/um mercado nas imediações: o Wonderland Lisboa. A esta altura já todos ouvimos falar do mercado que está instalado no Parque Eduardo VII, sabemos das suas bancas, já conhecemos a roda gigante e vimos o ringue de gelo para patinagem. Há pouco que possa dizer sobre este passo, é bastante simples: explorem o “país das maravilhas” e divirtam-se.

Passo número 3 (ou talvez 2,5): patinagem no gelo
Uma das atrações do Wonderland Lisboa é algo que não podia não constar nesta lista. Se ainda não adivinharam pelo nome deste passo estou a referir-me à patinagem no gelo. Sei (e compreendo) que nem todos são adeptos de exercício físico, mas este tipo de exercício é tão atípico e sazonal que temos de aproveitar. E, como não é prática comum, o mais provável é demoramos algum tempo a aprendermos como dominá-la e isso só pode significar uma coisa: riso incontrolável depois de uma queda acidental e inofensiva.

Passo número 4: as luzes
Pessoalmente, adoro como, durante um dos meses mais escuros, as decorações luminosas preenchem as ruas; é quase como um conforto que a quadra nos oferece. As luzes da capital são encantadoras e vale a pena percorrer tudo da Avenida da Liberdade até à Praça do Comércio passando pelo Rossio e tendo ainda atenção à Praça Luís de Camões. Mais uma vez, aqueles que não são adeptos de exercício físico, não vão gostar da ideia de uma caminhada tão extensa; ainda assim o argumento que utilizei anteriormente pode também ser aplicado aqui: é sazonal. E além disso é a oportunidade perfeita para tirar fotos e fazerem um spam natalício nas redes sociais, despertando o vosso espírito natalício e o dos vossos amigos.

Passo 5 (e transversal a todos os outros passos): a companhia
Esta rota será sempre mais adequada se for partilhada. Muitos focam-se no aspeto capitalista da quadra o que faz com que o espirito natalício desvaneça. Eu gosto de pensar que é uma época do ano em que partilhamos. Sim, sucumbimos ao capitalismo, mas fazemo-lo para mostrar o apreço, carinho e amor que sentimos pelas pessoas que nos rodeiam. É compreensível não demonstrarmos todos os dias o quanto apreciamos alguém; somos ensurdecidos pelo ruído do quotidiano e acabamos por nos esquecer – esta época é um bom reminder para agradecermos àqueles com quem partilhamos o nosso dia a dia e a nossa vida.
Dito isto, faz todo o sentido partilhar esta rota. Reúnam um grupo de amigos, sigam todos os passos e acrescentem os vossos. Juntem os vossos familiares mais próximos e voltem a fazê-lo. Façam-no quantas vezes quiserem e aguentarem. Acrescentem passos e partilhem com mais gente. A rota foi desenhada para despertar o espírito natalício em vós, contudo, se não celebrarem o Natal ou simplesmente não sentirem o espirito natalício por natureza, a rota pode servir como instrumento para uma reunião entre amigos ou um passeio entre familiares e essa é a beleza da mesma.

Só me resta dizer: Feliz Natal! Boas Festas!

Artigos recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *