Moda e Lifestyle

Sabes no que consiste a Medicina Tradicional Chinesa? Vou ajudar-te a conhecer esta prática milenar!

Provavelmente já ouviste algo sobre esta medicina em algum momento da tua vida.

Bem, vou ajudar-te a conhecer aquilo em que consiste esta prática. Are you ready??

O termo Medicina Tradicional Chinesa (MTC) é dado ao conjunto de práticas de medicina tradicional que se usam na China e que são desenvolvidas ao longo de milhares de anos.

Sabias que é considerada uma das mais antigas formas de medicina oriental?

A Medicina Chinesa é fundamentada numa estrutura teórica sistemática e abrangente, de natureza filosófica. Esta é assente na teoria de que a saúde é conseguida através de um equilíbrio entre o Yin e o Yang, duas forças opostas e inseparáveis. O Yin representa o frio e os aspetos passivos da pessoa; o Yang representa o fogo, a excitação e os seus aspetos ativos. Outro dos pilares da medicina chinesa está assente no facto de ela ser holística – ou seja, vê o corpo como um todo e não em partes separadas –, para além de acreditar que a força da energia vital de uma pessoa é capaz de regular as suas saúdes espiritual, emocional, mental e física.

Fonte: Cedida por Mariana Faria

Os métodos terapêuticos usados por esta medicina abrangem a Acupuntura, que vou desenvolver de seguida; a Fitoterapia, que trata através do potencial das ervas medicinais; e a Tui Na, que consiste numa técnica de massagem energética (massagem terapêutica chinesa); a Ventosaterapia; a Apiterapia; a Reflexologia; e a Eletroestimulação.

De acordo com a MTC, o corpo humano tem mecanismos que detetam e que corrigem doenças e

desequilíbrios. Esta prática analisa o paciente de um ponto de vista energético e tem como principais objetivos auxiliar e corrigir as funções do organismo com a mínima interferência possível.

Quando a energia está em equilíbrio, verificam-se as saúdes física, mental e emocional.

Fonte: Cedida por Mariana Faria

Acupuntura

Esta ciência contribui para várias melhorias na tua saúde, sendo alguns dos seus resultados já comprovados cientificamente.

Segundo os especialistas, existem pontos de energia vitais que circulam pelo nosso corpo e que são essenciais para nos mantermos saudáveis.

Quando existem desvios dessa energia, ela começa a acumular-se em pontos específicos do corpo, comprometendo o equilíbrio do organismo e levando ao aparecimento de doenças.

A acupuntura tem por objetivo estimular os pontos do corpo onde essa energia é acumulada, de forma a ser distribuída e a que o organismo volte a funcionar normalmente.

Esta técnica chinesa não tem quaisquer efeitos secundários.

Sabias que o estímulo de certos pontos do corpo, nomeadamente das orelhas, ajuda a controlar o apetite?

Fonte: Cedida por Mariana Faria

Um dos benefícios que levam mais pessoas a procurar esta técnica é a aplicação de agulhas muito finas em determinados pontos das costas, o que leva a uma redução das dores e, em alguns casos, à sua eliminação por completo. As agulhas são mesmo muito finas – para o caso de não as adorares, como eu!

As pesquisas demonstram que este tratamento é extremamente eficiente a reduzir o stress e a ansiedade, uma vez que consegue bloquear a produção de hormonas libertadas em situações deste género. Diminui problemas de estômago, como a azia e a má digestão, problemas de refluxo e úlceras. Como tem um efeito anti-inflamatório e analgésico, outro benefício da acupuntura é o alívio das dores de cabeça e das enxaquecas.

A pressão em pontos específicos ajuda a aumentar a circulação, a diminuir a inflamação e a reduzir a formação de cicatrizes. Isto faz com que um dos benefícios desta técnica seja a diminuição do tempo de recuperação nos mais diversos tipos de lesões, incluindo alguns tipos de cirurgia.

Esta prática pode também ajudar a reduzir os efeitos secundários da quimioterapia. Os tratamentos convencionais e os tratamentos chineses podem e devem coexistir.

Deixar de fumar é uma dificuldade para muitas pessoas. A acupuntura pode ser a melhor solução: é uma forma eficaz de eliminar vícios – sejam de tabaco, de álcool ou até mesmo de drogas.

Fonte: Cedida por Mariana Faria

Trago-te agora um testemunho do aluno Fernando Faria, que está no 4.º Ano de Medicina Tradicional Chinesa, na Universidade de Medicina Chinesa.

“Quando eu tinha cerca de 18 anos fui tratado pela Medicina Tradicional Chinesa e, a partir daí, fiquei sempre com vontade de estudá-la. De há uns anos para cá, fruto de uma deceção profissional, decidi começar a estudar aquilo de que gostava.”

Fonte: Cedida por Fernando Faria

Sentiu algumas diferenças ao estudar esta técnica: “A primeira grande diferença foi ter começado a olhar para as pessoas de uma maneira diferente; a estar mais atento às suas sensações, aos seus comportamentos e às suas doenças. Atualmente, olho para as pessoas como um todo e, em vez de prestar atenção aos sintomas, presto especial atenção às suas causas.”

À medida que estudava, começou a sentir a necessidade de praticar, tendo começado a fazê-lo com a colocação de agulhas em si próprio e em algumas pessoas que lhe são próximas.
Acrescenta ainda que sente que, através da colocação de algumas agulhas, consegue levar uma vida mais equilibrada.

Em relação à complementaridade da Medicina Tradicional Chinesa com a medicina convencional, diz-nos: “Em primeiro lugar, temos de perceber que a Medicina Tradicional Chinesa não é apenas a colocação de agulhas – acupuntura –, mas, sim, uma Medicina composta por várias disciplinas, entre elas a acupuntura, a fitoterapia, as práticas energéticas (Qigong/ Chi Kung), entre outras. Como tal, a MTC é antes uma medicina complementar à medicina convencional, em que ambas se completam.”

Para muitas pessoas a aplicação de agulhas é uma fobia. Para contornar esta situação, conta-nos que dependendo dos problemas de cada uma das pessoas, poderá haver mais ou menos necessidade de colocar mais ou menos agulhas. Numa situação de fobia com as agulhas, procurar-se-á sempre aplicar um menor número de agulhas possível, devendo a pessoa tomar contacto prévio com as mesmas, a fim de perceber as suas características.”

Vantagens x Desvantagens

Uma das vantagens desta prática é o facto de serem tratamentos naturais que não possuem contra-indicações. Além disso, os remédios são diretamente extraídos da natureza. Há uma integração e uma harmonização do organismo, o que evita efeitos colaterais, ao mesmo tempo que previne doenças. Há um trabalho no corpo e na mente que leva a uma melhoria da qualidade de vida.

O facto de esta técnica não ser aprovada por alguns médicos e de o processo ser lento são algumas desvantagens.

Como em tudo, garante que a clínica onde vais fazer o teu tratamento é segura e garante médicos com a formação adequada.

Um resuminho

A Medicina Tradicional Chinesa tem múltiplas aplicações sem quaisquer efeitos secundários. Isto levou a que a Organização Mundial de Saúde a reconhecesse como válida no tratamento de algumas doenças.

É importante que saibas que a MTC pode ser aplicada em pacientes de todas as idades, incluindo grávidas.

Recorrer a medicinas alternativas não implica mudares o teu estilo de vida, já que esse não é um pré-requisito para que elas funcionem.

Tem em mente que esta técnica não deve ser utilizada para substituir a medicina dita convencional sem recomendação clínica, mas pode ser utilizada livremente como complemento e de forma a trazer resultados melhores para o paciente.

Se gostavas de experimentar, existem diversas clínicas por Portugal, nomeadamente as Clínicas Dr. Pedro Choy.

Do que estás à espera para melhorares a tua qualidade de vida?

Com a participação de Fernando Faria.

Artigo revisto por Andreia Custódio

Fonte da foto de capa: Cedida por Mariana Faria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *