Artes Visuais e Performativas

Um espetáculo que pretende alertar para a crise climática? weLand com certeza!

Hoje venho apresentar-te “um espetáculo de circo contemporâneo sobre o clima e as migrações”.

Sendo uma representação dramática das alterações climáticas que vivemos atualmente e que iremos viver no futuro, o espetáculo possibilita inúmeras interpretações, mas todas com a mesma finalidade: sensibilizar para a ligação entre a crise climática e as migrações.

Este espetáculo faz parte da campanha #ClimateOfChange, uma campanha pan-europeia liderada pela WeWorld, uma organização não governamental italiana cofinanciada pela Comissão Europeia: “acreditamos que, neste mundo interligado, a única forma de avançar é enfrentar, simultaneamente, múltiplas crises e exigir ação para criar um futuro justo e sustentável e uma economia humana”.

Sabias que…

Atualmente, é três vezes mais provável que as pessoas sejam forçadas a sair das suas casas devido a ciclones, inundações e incêndios florestais do que por conflitos?

Quem menos tem feito para causar este problema, mais tem sentido o efeito desta crise climática. As vidas destas pessoas estão a ser arrasadas e já se chamam migrantes climáticos! A campanha #ClimateOfChange pretende realçar a ligação entre a migração, as alterações climáticas e a necessidade de transformar a nossa economia e de mudar a nossa vida quotidiana: “A nossa visão é suprir as necessidades e proteger os direitos humanos para todas as pessoas, sem exploração e destruição do ambiente”.

Fonte: #ClimateOfChange

A crise ambiental é uma crise social,  explica Natalia Lupi, coodernadora da campanha europeia da WeWorld. .

Sobre o espetáculo: 

É ao ar livre e respeita todas as normas de segurança em vigor. Desenvolve-se a partir de histórias reais, representando fenómenos globais para criar um momento cénico cativante, mas também testemunhar a espetacularização do drama humano e o uso e abuso de imagens das vidas destes migrantes climáticos.

Um cenário que recorda um porto e cada elemento é, metaforicamente, representado por elementos associados à navegação, ao armazenamento, ao consumo e ao mercado global:Queremos criar um contexto simbólico, no qual as pessoas reconheçam a sua vida diária e o público seja convidado a refletir sobre como aceitar, ignorar ou combater a condição pela qual tratamos tudo como se fosse uma mercadoria, organizando o nosso mundo em regras económicas impiedosas que estão a gerar grandes problemas relacionados com as alterações climáticas, conta o cenógrafo Francesco Fassone.

Já tendo passado por Portugal, a tour passará por França e acabará na Bélgica.

São sete artistas e acrobatas, quatro músicos, um cenário impressionante e muitas histórias para contar”.

Fonte: #ClimateOfChange
Fonte: #ClimateOfChange
Não vejas, vais ficar a pensar.

Fonte da capa: Gerador

Artigo revisto por Ana Damázio