Made In ESCS, Mundo Académico

Conhece a Marta Neves: estudou na ESCS e faz parte da equipa do Big Brother

No artigo de hoje dou-te a conhecer o percurso da conhecida Marta Neves que estudou Jornalismo na ESCS e é atualmente repórter digital do Big Brother, na TVI.

Com um bom humor contagiante e constante, a ex-escsiana conta que inicialmente o seu plano era trabalhar na área da saúde na qual já se encontrava a estagiar antes de entrar para a ESCS. 

Foi durante este estágio que percebeu que o que ambicionava realmente era trabalhar na área da comunicação e, por isso,  a 15 dias dos exames nacionais escolheu dedicar-se a português e sociologia. Fez a sua pesquisa sobre qual seria a melhor faculdade e descobriu a ESCS, ficando muito interessada pelo facto de ter uma componente prática que muitas outras universidades não tinham.

Assim, a ESCS foi a sua primeira e única opção na hora da candidatura. O pensamento foi “ou entro na ESCS ou continuo no sítio onde estou e deixo a ideia de ser jornalista na gaveta”.

Para a Marta o Jornalismo é criação de conteúdos e, por isso, na sua opinião o curso devia ser atualizado por estar muito focado nas formas tradicionais de transmissão e disseminação de informação e do conteúdo.  Acrescenta ainda que é na área de produção de conteúdos que muitos recém licenciados vão acabar por ser acolhidos e recebidos, e que também vai ser nesta área que vão conseguir ter melhores condições. “Gostava que o curso acompanhasse mais a realidade cá de fora”, conta.

A ex-escsiana garante que a produção de conteúdos tem e deve ser transversal a várias áreas: “O que aprendemos em jornalismo vai servir para utilizarmos e adaptarmos o conteúdo ao veículo que vamos usar. Temos de saber conduzir uma entrevista que não seja no âmbito do jornalismo tal como saber escrever para o entretenimento, por exemplo”.

Enquanto escsiana fez parte da equipa do E2, participou na formação do Oitava Colina e também integrou a equipa dos Commie Awards.

A criativa e determinada Marta descreve a ESCS através da palavra aprendizagem e vida, visto que vivenciou muitas experiências, para além do facto de que foi lá onde conheceu muitos dos amigos com quem conta atualmente:  “Foi mesmo uma experiência boa”.

Fonte: Marta Neves

Como ambicionava  “jornalismo puro” sente que ter tido o professor José Alberto Carvalho a marcou muito pelo projeto que fez. Para além disto, conta que tem uma estima pelas aulas do professor de Ética e Deontologia Óscar Mascaranhas  por todos os seus exemplos práticos, por trazer o mundo e a experiência profissional dele para dentro da sala de aula e por considerar serem aulas muito interessantes.

Para além disto, descreve a professora Carla Medeiros como “MARAVILHOSA” e conta que esta marcou muito os seus colegas também. Considera também que o professor Rúben Neves foi sempre muito próximo dos alunos, e também que gostou muito dos professores de rádio.

Conta ainda que foi através da recomendação do professor Óscar Mascaranhas que conseguiu o seu primeiro estágio na LUSA, no departamento da LUSA TV. A ex-escsiana  revela ter gostado muito do estágio e que este lhe deu boas bases de “jornalismo puro”, visto que era feito ao minuto.

Após a licenciatura, Marta fez uma pós-graduação em televisão. A partir daí foi recomendada para uma produtora de televisão e uma coisa levou à outra com o aumento da sua experiência. Hoje, a ex escsiana garante que os factos de a escola ter um estúdio de televisão e rádio e de já se falar no digital, na altura, lhe provaram que a ESCS já estava um passo à frente, a chegar ao futuro. 

Acrescenta ainda que o facto de ter tido essa experiência mais prática se notou no mercado de trabalho, e que quando estava em equipas de trabalho apercebia-se de que tinha colegas de outras faculdades que não tinham experienciado esta vertente prática, o que acabou por ser uma diferenciação positiva.

A maioria das pessoas que vêm da ESCS são pessoas que estão habituadas a pôr a mão na massa, a saber trabalhar”.

Em adição, diz não se arrepender de nada, mas garante que hoje diria à Marta que entrou na ESCS para se focar na área do digital desde o início e não se fechar tanto na visão que achava querer para si. Ainda assim, desabafa que sente ter tido aquela dita sorte (que deu muito trabalho) por ter tido oportunidades incríveis e experiências únicas.

Para além disto e por fazer parte da equipa do Big Brother, conta que este é um projeto que exige muito de si e que a obriga a estar sempre em cima e a par das notícias relativas à “casa mais vigiada do país”. 

É um comboio de alta velocidade em andamento”, revela a ex-escsiana

Acrescenta que o BB é o projeto que lhe está a dar mais prazer integrar por toda a sua dimensão e pela sua identidade visual. Na prática o que é que a Marta faz no Big Brother?

Vou dar-te a conhecer uma semana na vida da ex-escsiana:

A sua semana começa no domingo, visto que a Marta vai acompanhando a gala do Big Brother no estúdio e cria todos os conteúdos antes, durante e após a gala, como os teasers, os call to action e a entrevista ao concorrente expulso, por exemplo. 

À segunda-feira, faz o rescaldo do que aconteceu na gala; na terça-feira, aborda o tema mais comentado nas últimas 24 horas; à quarta-feira, toca numa polémica que tenha existido;  na quinta, se houver diário do salvamento, faz esse diário; e à sexta-feira, faz um ranking da popularidade dos concorrentes nas redes sociais.

Para tudo isto, a Marta recolhe informação e faz o contraponto com o que está a ser dito nas redes do BB. Contudo também trata da criação de todos os guiões de entrevista para os lives, que acontecem às terças-feiras, com um ex-concorrente da casa, e às quintas, no Big Live “improvável”, em que são convidadas pessoas que nada têm a ver com reality shows e apenas falam sobre o que acontece na casa.

Fonte: Marta Neves

Por oposição e enquanto criadora de conteúdos, considera o seu canal de Youtube e o seu blogue como o seu espaço para soltar toda a criatividade e ter assim a sua liberdade para criar. 

Por fim, garante que existem muitas mais coisas que quer fazer: quer continuar a apostar na formação e continuar o caminho que tem traçado – que a tem deixado muito feliz, orgulhosa e realizada.

A Marta deixa-te algumas dicas:

  1. A faculdade é um tempo de laboratório, façam amigos, divirtam-se.”
  2. Não se foquem só numa área. Se abrirmos os horizontes, somos capazes até de ter novas experiências e termos contacto com coisas em que não estávamos a pensar e sairmos surpreendidos.  Não se fechem para fazer outras coisas para além do que pensaram. Abram-se às possibilidades, aceitem tudo o que vos aparecer à frente para ganharem «estaleca»”. 
  3. Criem portfólio, criem os vossos projetos, comecem um blog, criem um site, criem um podcast, façam propostas para serem cronistas, criem um canal no youtube, tenham uma base de seguidores.
  4. Faz muitos contactos, dentro e fora do teu curso. Dá-te a conhecer, não tenhas medo de falhar”.

Não fiques a ver navios. Segue os conselhos da Marta, porque ela sabe do que fala!

O foco é: O que é que tu podes dar àquele sítio que outros não? 

Quanto mais souberes mais facilmente encontras a tua vaga. Está na hora de arrasares no mercado de trabalho com o espírito escsiano, cheio de vontade e ambição.

Este foi o percurso da ex-escsiana Marta Neves. Inspira-te e desafia-te! 

Todas as fotos foram cedidas por Marta Neves

Artigo revisto por Inês Pinto

AUTORIA

+ artigos

Sempre quis pilotar aviões, mas a vida mudou-lhe os planos e descobriu o prazer na escrita. Movida a desafios e curiosidade, a Mariana adora correr, meditar e trabalhar em multimédia. Pensa no futuro mas vive muito o presente, confia na vida e sabe que vai ter sempre um lugar para a escrita. Nasceu em Lisboa mas vive nas Caldinhas, “o oeste é vida”, garante. Perde-se no mar, mas o surf dá-lhe vida.