• Opinião

    Redes sociais: a contribuição para o desaparecimento da privacidade

    Vivemos numa nova era. Numa era em que numa questão de poucos minutos podemos obter uma panóplia de informação acerca da vida de alguém. Numa era em que o registo fotográfico ou de vídeo de todas as nossas ações se tornou essencial para sermos considerados “normais”. Numa era em que, através de uma aplicação instalada no nosso telemóvel, nos podemos tornar nos influenciadores e, consequentemente, sermos remunerados por isso. Mas principalmente numa era em que, na minha opinião, já não existe privacidade, a não ser para aqueles que não utilizam redes sociais. As redes que se foram criando e desenvolvendo ao longo dos anos têm cada vez mais vindo a…

  • Opinião,  Secções

    O apagão televisivo

    A televisão é, na maioria dos lares portugueses, um bem de primeira necessidade. É certo que a caixa mágica não nos dá de comer à boca. Ainda assim, é difícil concebermos a nossa rotina sem a presença do pequeno ecrã. Ver televisão não é um hábito tão básico quanto o julgamos ser. Fora dos grandes centros urbanos, ainda há quem só veja 4 canais. Em pleno século XXI, parece que regredimos um par de décadas, quando, de facto, a oferta se limitava a 4 canais. O que é feito, então, do tão apregoado progresso tecnológico? Façamos um enquadramento para melhor entendermos o cerne da questão. Em 2012, por decisão de…

  • Opinião

    Comprar online

    Actualmente, qual é o elo entre o consumidor e o acto de consumir? A resposta é simples: o online. A Internet revolucionou inúmeros sectores da sociedade e o das transacções comerciais não é excepção. No entanto, as compras online sempre foram olhadas de soslaio. Regra geral, o consumidor tradicional desconfia do comércio online. Acima de tudo, paira no ar o medo de que o seu dinheiro seja roubado por um pirata cibernético sem escrúpulos. Mas, como é óbvio, existe o reverso da medalha: os fãs dos cestos de compras virtuais. Para estes novos consumidores, já é um hábito comum passar a pente fino sites como o eBay com o intuito…

  • Opinião

    Gracinha e as leis da estupidez humana

    Hoje venho contar-vos uma história que, embora pareça fictícia, dado o seu carácter estupidamente imprevisível, é a mais pura das verdades. Todos nós já conhecemos a Gracinha, certo? Moçoila pequena, desajeitadamente desastrada, que se aleija das formas mais idiotas de sempre e que, mesmo assim, continua a ser o protótipo de rebeldia ao não andar com protecções corporais. Tudo lhe acontece; é um facto. No entanto, há coisas que, supostamente, só acontecem nos filmes. Pois… supostamente. A Gracinha, que é incapaz de rejeitar um bom duelo com tudo o que a rodeia e ameaça (ou não), decidiu desafiar as leis da estupidez humana (e da gravidade) enquanto jantava calmamente com…

  • Opinião

    Gracinha digital

    Sabe tão bem estar no computador a, como se costumava dizer, teclar. Assim que a tecnologia se espalhou e transformou o mundo como nós o conhecíamos, as pessoas começaram a esconder-se atrás dos vários teclados que foram surgindo. A Gracinha, como devem calcular, não é excepção e também se rendeu às maravilhas do mundo tecnológico. É, ela só continua a ser peculiar numa coisa… Na forma graciosa como consegue cair em tudo o que é sítio e se consegue magoar com tudo o que existe e, vamos ser sinceros, com o que não existe. Ora bem, mas estava eu a falar de como a tecnologia, e o avanço da mesma,…