Opinião

Calcifim

Antes de mais, vão ter de me perdoar o horrível trocadilho que dá título a esta crónica. Não resisti. Tentarei não repetir, mas deixo-vos sem promessas.

Seja por hábito, tortura ou laços familiares, se já acompanham este meu “cronismo” há algum tempo, devem saber que poucas coisas me tiram tão depressa do sério como a pseudociência. Já ebuli a homeopatia, vamos agora dar uma espreitadela pelo delicioso mundo dos suplementos alimentares.

Desde o Goucha à Rita Pereira, parece que todas as celebridades portuguesas sofrem de uma qualquer avitaminose ou deficiência nutritiva. Cálcio, fósforo, magnésio, vitaminas A, B, C, D, sódio e potássio. São tantos os nutrientes que um deles certamente estará em falta. O facto do Zé Povinho pouco ou nada saber acerca das funções biológicas destes compostos parece não ter repercussões na venda destes produtos, que prometem colmatar deficiências alimentares populacionais. Anúncios com cheiro a Gigashopping permeiam as tardes televisivas: “Doi-lhe qualquer coisa? Sente-se triste? Ansioso? Horrorizado? Miserável? Apático? Radiante? Feliz? Então, não se preocupe mais. Temos a solução para si!”

O cerne da questão, como diz Helena Botelho, Secretária Geral da Associação Portuguesa de Anunciantes, em entrevista para o DN é que os “suplementos alimentares, por não serem considerados medicamentos, estão apenas sujeitos ao cumprimento do Código da Publicidade”. Por outras palavras, este mercado não é regulado pelo Infarmed, o que leva os produtores a terem muito mais espaço de manobra para produzir retórica dúbia, no mínimo, ou mentirosa no máximo.

Pior ainda do que ver um grupo de maltrapilhos a passar banha de cobra nas Tardes da Júlia são as declarações de indivíduos como as do Dr. Manuel Pinto Coelho. Um prefácio: é do conhecimento comum que em Portugal a grande causa de morte são as doenças cardiovasculares, como os enfartes, ou as tromboses. Este grupo de patologias perfaz quase 30% das causas de morte anuais. E não é que, sabendo disto tudo, o Dr. Coelho, recomenda um copo de água salgada diariamente para combater o colesterol? Nem sei por onde pegar nisto… O Dr. Manuel Pinto Coelho aproveita-se do seu palanque médico para proclamar absolutos disparates ciêntíficos que podem inclusivé colocar em perigo a saúde da população. A relação entre o consumo excessivo de sal e as doenças do sistema circulatório é cientificamente factual o que torna o Dr. Pinto Coelho, no mínimo dos mínimos, um indivíduo irresponsável e um profissional sem ética.

Felizmente o bastonário da ordem dos médicos, Miguel Guimarães, está a agir para travar esta publicidade enganosa na área da saúde através da proposta da criação de uma unidade especial que junte médicos, especialistas da área jurídica e Ministério Público para avaliar anúncios e travá-los quando necessário. É um bom começo – má publicidade reflete-se, inevitavelmente, nas vendas. Mais difícil vai ser mudar as mentalidades.

O amigo Carrilho deixa-vos com um conselho para a vida: se têm uma doença, ou se se sentem mal com algo, visitem um médico. Não há soluções milagrosas, só placebos perigosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *