Moda e Lifestyle,  Secções

Como descobrir o tom de base adequado

Todas nós sentimos aquela aflição cada vez que temos de comprar uma base. Porquê? Porque, no meio de 3756274 tons, a probabilidade de errarmos é muito elevada. E a probabilidade de parecermos um orangotango ou um fantasma também. Por mais que experimentemos nas lojas, vejamos vídeos de influencers ou façamos misturinhas nas costas da mão como se fôssemos uma pintora de aquarelas, chegamos a casa e a desilusão é sempre a mesma: “Isto parecia mais alaranjado na loja”, “Tinha quase a certeza de que desta vez tinha acertado na cor”, “É muito escura… ao menos deve servir para usar no verão”. 

 A verdade é que, a partir de hoje, esse problema tem os dias contados. A Melanie Jordão, maquilhadora e fundadora da marca “By Mel”, e mais conhecida por ser a companheira do artista Diogo Piçarra, gravou um vídeo onde esclarece todas as dúvidas. A essência do quebra-cabeças está no subtom de cada pele – para o descobrirmos, apenas temos de analisar a cor das veias dos nossos antebraços. Existem três subtons para satisfazer todos os gostos ou necessidades. Se o tom das veias for de uma cor roxa, ou seja, de uma cor fria, significa que o nosso subtom é rosado e, portanto, teremos de procurar na embalagem da base a letra “R”, de “rosado”, ou a letra “C”, de “cold”. Por outro lado, se a cor que vemos for verde ou cinzento, que pertencem às cores quentes, significa que temos uma pele mais dourada e, por isso, temos de procurar a letra “D”, de “dourado”, ou “W” de “warm”, nas embalagens das bases. Por fim, os subtons neutros apresentam uma coloração das veias verde ou azulada, sendo que a letra a procurar é o “N”, de “neutral”.

Fonte: www.hypeness.com.br/2017/09/imagens-maravilhosas-mostram-o-show-de-representatividade-da-nova-linha-de-maquiagem-de-rihanna/

Depois, de entre a panóplia de tons que pertencem à família do nosso tom, seja ele frio, quente ou neutro, apenas temos de experimentar aquele que mais se adequa à nossa cor. E como? Aplicando uma pequena amostra do produto na zona do maxilar, entre o rosto e o pescoço e fazendo movimentos circulares para que o produto se funda com a nossa pele. Lembra-te de adequar também o tipo de base ao tipo da tua pele, não esquecendo de que existem peles mistas, oleosas, secas ou normais. 

Et Voilá! Vamos dizer “não” às manchas de base na cara, aos exageros de pó de arroz para disfarçar as más escolhas e aos comentários desagradáveis e desnecessários. Vamos utilizar a maquilhagem a nosso favor e fazer dela o nosso melhor acessório. Além do sorriso… Claro! 

Artigo corrigido por Ana Rita Sebastião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *