• Atualidade

    Cientistas descobrem um novo órgão: o interstício

    Cientistas norte-americanos propõem que o interstício, formado por um espaço com fluido em circulação, se torne um órgão do corpo humano. Um grupo de cientistas norte-americanos descobriu – o que dizem ser – um novo órgão no corpo humano: o interstício. Até agora o interstício era definido como o “terceiro espaço” – depois do sistema cardiovascular e do linfático. “Era geralmente descrito como um mero espaço entre as células, embora ocasionalmente o conceito de que havia um grande espaço intersticial já tenha sido referido. Mas as suas características anatómicas e histológicas nunca tinham sido descritas”, explica Neil Theise, o principal autor do estudo – publicado esta semana na Scientific Reports,…

  • Grande Entrevista

    Pedro Coelho: “Às vezes sinto que o trabalho que faço é um pouco inglório e ainda assim não deixo de o fazer”

    O jornalista da SIC consegue meter o país a falar das suas reportagens com muita facilidade. Foi assim com “Depois da Fraude”, reportagem sobre descalabro do BPN que lhe valeu o prémio Gazeta de Televisão em 2015, e com o “Assalto ao Castelo”, trabalho acerca da queda do império Espírito Santo lançado em março. Pedro Coelho, que também é professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, recebeu-nos para falar do estado atual do jornalismo no nosso país. O jornalismo de sensações que se pratica hoje em dia incomoda-o? Incomoda-me muito, confesso-lhe. Lá está outra vez a pressão do mercado e das audiências a falar…

  • Atualidade,  Informação

    Medicamento português testado com sucesso em tumores da cabeça e do pescoço

    Ensaio clínico da molécula que nasceu na Universidade de Coimbra revelou que, para já, é segura e bem tolerada no tratamento de cancro avançado da cabeça e do pescoço.  O medicamento foi testado por um grupo de 14 doentes. Um grupo de 14 doentes com cancro avançado da cabeça e do pescoço testou durante dois anos uma terapia fotodinâmica com uma nova molécula chamada Redaporfina, desenvolvida por investigadores da Universidade de Coimbra. Depois de encontrada a dose exata eficaz, um doente que se encontrava já em cuidados paliativos foi submetido a esta terapia e ficou sem sinal do tumor. O projeto de investigação do primeiro medicamento oncológico português vai agora…

  • Opinião,  Secções

    “Truth” Papers

    Vivemos num mundo onde a maioria das pessoas tem como “hobby” criticar o papel desempenhado tanto pelos centros de investigação como pela comunicação social, criando situações polémicas e, por vezes, desnecessárias. A verdade é que estes são extremamente importantes no que diz respeito a desvendar crimes de corrupção ou branqueamento de capitais, sendo este o papel dos centros de investigação, e a divulgar/veicular todo o todo tipo de informações, objetivo cumprido por parte dos Media. Se observarmos estas críticas de uma forma mais aprofundada, deparamo-nos com o facto de estas serem proferidas pelos indivíduos que assumem altos cargos na sociedade, tais como: • Política – Presidentes ou Chefes de Estado…

  • Sem Categoria

    Polícia guarda faca de O.J. Simpson 22 anos

    Agente reformado possuía a faca de O.J. Simpson com o objetivo de a emoldurar. Um polícia de Los Angeles guardou, durante 20 anos, a faca encontrada por um operário da construção civil na altura em que demolia a casa de O.J. Simpson, antigo jogador de futebol americano suspeito de ter morto não só a ex-mulher Nicole Brown como também Ronald Goldman. Acredita-se que esse seja o objeto utilizado no homicídio e apenas se descobriu que o polícia o guardava, desde 1998, quando revelou a um outro colega do departamento de homicídios da polícia de Los Angeles, que tinha a faca com o objetivo de a emoldurar. Por essa mesma razão,…

  • Informação

    Os bilingues têm cérebros mais rápidos e mais fortes, apontam dois estudos.

    Estudos mostram que aprender uma língua nova muda completamente o nosso cérebro, sendo que os bilingues mostram ter cérebros mais fortes do que aqueles que sabem apenas uma língua. Os bilingues conseguem desenvolver certas capacidades cognitivas: o primeiro estudo, desenvolvido por um grupo de cientistas da Universidade do Estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos da América, e da Universidade de Guandgon, na China, afirma que os neurónios se fortalecem quando as pessoas estão a aprender uma língua. Estes investigadores estiveram durante seis semanas a ensinar a 23 pessoas o significado e os tons de 48 palavras chinesas e dessa formação tiraram ressonâncias magnéticas para verificar como o cérebro reagia a…