• Capital

    5 coisas para fazeres em Lisboa antes de as aulas recomeçarem

    As aulas do primeiro semestre já acabaram, há quem ainda tenha exames para fazer, mas o segundo semestre começa só no final de fevereiro. Para quem queira aproveitar as férias na capital ou para quem queira aproveitar as pausas do estudo da melhor maneira, neste artigo damos-te algumas sugestões de coisas que podes fazer em Lisboa.   1-Fazer arborismo No Adventure Park, no Complexo Desportivo do Jamor, qualquer pessoa se pode armar em Tarzan e andar de árvore em árvore. Há três circuitos, todos adaptados à altura e idade dos participantes, com graus de dificuldade diferentes. O Circuito Pequena Floresta é direcionado a participantes com altura a partir de 1,10…

  • Artes Visuais e Performativas

    A Arte da Fome

    Dois homens em cena, uma enorme capacidade de interpretação, uma luz da moda da Primark a centro do palco e uma sala cheia, ao ponto de dizerem à entrada “Sente-se onde quiser”. O ambiente não poderia ser mais apropriado à compreensão e empatia gerada pelos três contos kafkianos, “O Primeiro Sofrimento”, “Josefine, a Cantora ou o Povo de Ratos” e “Um Artista da Fome”. No modesto palco do teatro São Luiz estes contos ganharam vida, numa devoção à arte quer das personagens, quer dos atores. O trapezista, numa presença etérea representado por um feixe de luz, transmitia ainda assim o seu perfeccionismo e peculiaridades. A encenadora, Carla Bolito escolheu a…

  • Artes Visuais e Performativas

    A cultura em Lisboa não para

    É sabido que a capital portuguesa é o local indicado para que a cultura nos entre nas veias de uma forma que não acontece em mais nenhum lado do território nacional. O mês de setembro não foi exceção à regra: quer a nível de teatro, de exposições ou até mesmo de dança, a principal cidade portuguesa não parou. A dança chegou, no nono mês do ano, sob a forma de aulas, a diversos jardins da cidade alfacinha: aos sábados, passou pelo Parque Eduardo VII, Parque da Bela Vista Norte e pela Ponte pedonal e ciclável entre as Olaias e o Parque da Bela Vista Sul (deck de madeira); aos domingos,…

  • Capital

    A volta ao mundo em 80 minutos

    O musical “A volta ao mundo em 80 minutos”, de Filipe La Féria, estreou dia 26 de maio no Casino Estoril e já é um sucesso de bilheteira. Filipe La Féria estreou mais um musical no Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Protagonizado por João Baião e com atores no elenco como Dora, que representou Portugal duas vezes na Eurovisão, Ricardo Soler, Filipe Albuquerque, Paula Sá, entre bailarinos e acrobatas, este espetáculo é já um autêntico sucesso de bilheteira, prometendo não ficar atrás do anterior – “O musical da minha vida” -, visto por mais de cinquenta mil pessoas entre abril e dezembro do ano passado. “A volta ao…

  • Atualidade

    Teatro em Londres evacuado

    Em palco estava John Boyega, ator da saga “Star Wars”, enquanto contracenava na peça “Woyzeck”. O Teatro Old Vic, no centro de Londres – junto à estação de Waterloo -, foi evacuado na tarde de sábado devido a uma “ameaça de segurança” – que alguns meios de comunicação britânicos identificam como uma ameaça de bomba. De acordo com o The Independent, a polícia mandou atores e público saírem do espaço depois de ter sido encontrado um objeto estranho no edifício. Um porta-voz da polícia citado pelo jornal The Independent refere que as forças de segurança foram alertadas perto das 14h38.Foi criado um perímetro de segurança junto ao local, várias estradas…

  • Capital

    Quem tem medo de Virginia Woolf?

    Quem tem medo de Virginia Woolf? é a comédia atualmente em cena no Teatro da Trindade Inatel, desde 12 de abril. É protagonizada por Alexandra Lencastre e Diogo Infante, que regressam aos palcos juntos. É encenada a partir do clássico do mesmo nome de 1962 do dramaturgo contemporâneo norte-americano, Edward Albee. As personagens principais, Martha e George, são um casal de meia-idade que vive um casamento conturbado de muitos anos. A ação desenrola-se após estes voltarem de uma festa oferecida pelo pai de Martha, sendo que recebem dois convidados em sua casa – um novo professor da faculdade onde George leciona, e onde o pai de Martha é reitor, e…

  • Artes Visuais e Performativas

    Mulheres de Atenas

    No nosso vizinho Teatro Turim, surge uma produção do grupo MOB, a peça “Mulheres de Atenas”. A peça exibida nos dias 7 a 9 de Abril aborda uma temática que transpõe o tempo. Assim, neste que é o mês da liberdade e após um março marcado pela tensão pela luta dos direitos da mulher, a arte é uma vez mais veículo de uma mensagem de libertação e atitude. A ação da peça decorre naquela que foi conhecida como Guerra Mundial da Antiga Grécia – os homens de Atenas forçadamente alistados abandonavam mulheres, mães, noivas e amantes. A mulher era vista aos seus olhos como um ser passivo, de “forças tão…

  • Capital,  Secções

    “Todos me abandonaram, só o público nunca me esqueceu”

    Ainda não eram 21h e já a fila se formava fora do icónico Politeama. O imenso público que se encontrava à porta ansiava por saber mais um bocadinho sobre aquela que é considerada por muitos a voz de Portugal. Previa-se ali uma sala cheia, mesmo numa noite de quarta-feira. Estava uma autêntica atmosfera quente e agradável de primavera, mesmo ainda sendo a última semana de inverno. Eram 21h35 quando as luzes da sala do histórico teatro Politeama se apagaram. A sala estava praticamente esgotada, mesmo após mais de um mês em cena. O exuberante candeeiro de teto reluzia, tal como os olhares dos espetadores durante o seguimento de todo o…

  • Artes Visuais e Performativas

    Do rio para o tribunal. Quem meteu água?

    Diz-se que os processos nos tribunais portugueses são verdadeiros pesadelos kafkianos. Se assim o é, o caso das Fadas de Cottingley não se lhes fica atrás. A história das duas primas que fotografaram fadas começou em 1917, mas cem anos depois, em 2017, o julgamento continua no teatro A Barraca. O “Processo: Fadas/Cottingley – 1917” coloca em confronto vários documentos, testemunhos e planos narrativos acerca de “um dos grandes embustes do século XX”, como o carateriza Rita Lello, encenadora e argumentista do espetáculo. No entanto, o foco principal desta peça infantil, que não é apenas dirigida a crianças, é a discussão que nasce a partir do episódio narrado. O público…

  • Artes Visuais e Performativas,  Secções

    Abram as cortinas: hoje é Dia Mundial do Teatro

    Não sou particularmente fã da celebração deste tipo de dias. Acho sempre que eles servem mais como uma estratégia comercial do que para qualquer outra coisa. Ainda assim, devo confessar que este é um dia que eu considero ser especial. Não que para mim o dia do teatro não seja todos os dias, porque todos os dias são dias de fazer e ver teatro. Todos os dias são dias de celebrar aqueles que nascem e morrem em palco em cada atuação. Todos os dias são dias de celebrar qualquer arte, uma vez que sem ela seríamos todos tão mais pobres de espírito. É verdade que, de entre todas as formas…