Música,  Secções

The Piano Guys, uma viagem em cada música

Quatro pessoas que se juntaram, por mero acaso, e que são, atualmente, conhecidas a nível mundial: falo-vos dos The Piano Guys. Jon Schmidt é um conhecido pianista e compositor e já tocava piano em palcos, antes de se juntar ao grupo. Steven Sharp Nelson é violoncelista, compositor e multifacetado no que toca a interpretar e acrescentar um toque pessoal aos temas. Paul Anderson, apelidado como o génio de marketing, é o produtor e cinegrafista do grupo e faz os vídeos. Por fim, Al Van Der Beek é também compositor e está responsável pela gravação das músicas. Por detrás destas pessoas, existe ainda uma equipa que as auxilia nas diversas tarefas, como gravação, edição e composição.

É interessante ficar a conhecer a história de como estas quatro pessoas se conheceram e juntas demonstram ter um talento e interpretação únicas para os temas. O nome do grupo surgiu do nome da loja de pianos de Paul Anderson. Este decidiu criar um canal no Youtube e demonstrar as diversas funcionalidades do piano e interpretações que é possível fazer com o piano. Desta forma conheceu Jon, que lhe pediu para praticar num dos seus pianos, pois ia atuar nessa zona em breve. Surgiu a ideia de fazer um vídeo para o canal de Youtube de Paul a divulgar a sua loja “The Piano Guys” e a atuação de Jon. Já Steve e Jon conheciam-se há muitos anos, pois partilharam o palco algumas vezes. Assim passaram a ser três elementos no grupo: Steve, Jon e Paul. Por fim, Al entrou no grupo, pois conheceu Steve quando eram vizinhos. Al possuía um estúdio em casa e convidou Steve a juntar-se a ele. Atualmente, o grupo é composto por estes quatro elementos.

artigo 1
A questão que se impõe muitas vezes é como eles se diferenciam dos restantes talentos da internet. O grande objetivo do grupo passa por criar um impacto positivo na vida de todas as pessoas, através da sua música. É um objetivo ambicioso, mas que se tem vindo a concretizar ao longo dos anos, desde 2011, o ano do lançamento do seu primeiro álbum.

Os temas são, na maioria das vezes, interpretações de músicas já existentes. O estilo musical varia entre o clássico e o rock, mostrando, mais uma vez, a versatilidade do grupo. Uns temas são interpretados apenas com o violoncelo, outros apenas com o piano, e outros com ambos. As vozes dos elementos do grupo também estão presentes em alguns dos temas e outros contam também com a participação de convidados, tanto na parte instrumental como na voz.

Para criar videoclips diferentes e inovadores inspiram-se nas suas crenças e em elementos que consideram fundamentais, como a natureza, a família, Deus e compositores clássicos, bem como nas histórias que são partilhadas frequentemente pelos seguidores. Qualquer pessoa pode partilhar a sua história com os The Piano Guys, indo ao site deles – thepianoguys.com.

artigo 2
 

Muitas vezes, nos vídeos, mostram paisagens e locais muito bonitos; outras vezes, apresentam um videoclip gravado de acordo com o tema interpretado, como é o exemplo a sua versão do tema principal do tão conhecido filme “Missão Impossível”, interpretada juntamente com Lindsey Stirling. Também se abraçam muito a outras culturas para estas os acompanharem e se envolverem nos vídeos. A interpretação que fizeram da música “Paradise”, dos Coldplay, num estilo africano e com a participação especial de Alex Boye, é um exemplo muito bom desta cumplicidade com outros povos.

Em 2013 colocaram a si próprios o desafio de tocar nas Sete Maravilhas do Mundo e têm vindo a concretizá-lo ao longo dos anos. Ainda nesse ano, tocaram um tema do filme “Panda do Kung Fu”, na Grande Muralha da China. No ano seguinte interpretaram o tema conhecido como “Gabriel’s Oboe”, do filme “The Mission”, ao pé da estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Desta forma, o objetivo para 2016 é continuar esta jornada pelas restantes Maravilhas do Mundo.

artigo 3
O ano de 2015 ficou marcado por muitos temas conhecidos que decidiram interpretar, tais como os seguintes: “A Sky Full of Stars” dos Coldplay, “Hello” da Adele, e pelo Natal, presentearam-nos com o tema “Silent Night” cantado por Plácido Domingo. Em novembro de 2015 o grupo disponibilizou o vídeo que gravou na Escócia, com a interpretação das músicas “Fight Song” de Rachel Platten e “Amazing Grace” de John Newton. Na minha opinião esta foi das interpretações mais bonitas e originais que o grupo já fez, não desvalorizando as restantes, que também são bastante boas.

Desde de 2011, já lançaram cinco álbuns e surgem rumores de que estará para chegar um agora em 2016. Também para este ano já têm muitos concertos marcados, mas ainda não existe nenhuma informação concreta de um concerto em Portugal. Apesar de todo o sucesso que demonstram ter e das tours que têm feito por diferentes países, nunca se esquecem das suas raízes nem das suas famílias, tentando cumprir o seu objetivo de trazer felicidade às pessoas com a sua música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *