• Artes Visuais e Performativas

    E tu, o que é que sempre quiseste ser?

    João Porfírio e Catarina Fernandes, naturais de Portimão, criaram o projecto “Sempre Quis Ser”, uma exposição que começou no metro do Cais do Sodré e já correu meio mundo, literalmente. 10 fotografias de 10 sem-abrigo que surpresas podem trazer? Há pessoas e pessoas e mais pessoas. Mas há algumas, no meio dessas tantas, que inspiram. Inspiram a quê? A ser, simplesmente. A ser aquilo que sempre quisemos ser. E a não desistir. João Porfírio e Catarina Fernandes, dois jovens algarvios, que, com apenas 20 anos, já levaram, através da exposição “Sempre Quis Ser”, o nome e a realidade de Portugal ao Brasil e quem sabe até a mais países. A…

  • Capital

    Nutelleria – Lisboa is going nuts

    Foi no dia 22 de Março que abriu, em Lisboa, localizada um pouco antes dos armazéns do Chiado, a verdadeira tentação para os amantes de chocolate e, mais particularmente, de Nutella – ei-la, a nutelleria. Sob o nome de Nut’Chiado e seguindo o sucesso do primeiro franchise em Leiria, este é o primeiro espaço inteiramente dedicado à Nutella, em Lisboa, e que promete deixar locais e turistas a salivar pelas sete colinas. Num espaço pequeno a meio da Calçada do Sacramento, o cheiro a crepes e a chocolate convida-nos a entrar. Quem por ali passa não percebe bem a tentação até que realmente se aventura a descobrir o interior. Dentro…

  • Literatura

    Desenhadores de Palavras: Sophia de Mello Breyner

    Sophia de Mello Breyner Andresen, filha de Maria Amélia de Mello Breyner e de João Henrique Andresen, nasceu no Porto a 6 de Novembro de 1919. Maria Amélia era neta do conde Henrique de Burnay e filha de Tomás de Mello Breyner, conde de Mafra, médico, e amigo do rei D. Carlos. Do lado paterno, tem ascendência dinamarquesa, tendo sido o seu bisavô, Jan Heinrich Andresen, quem veio para Portugal, mais precisamente para o Porto. Aí, João Henrique comprou a Quinta do Campo Alegre, em 1895, que é hoje o Jardim Botânico do Porto. Colaborava na revista “Cadernos de Poesia” e quando frequentava Filologia Clássica na Universidade do Porto (curso…

  • Artes Visuais e Performativas

    Para começar a fotografar

    Experimenta aqueles botões que a máquina tem mas onde nunca tocaste   Hoje em dia, as máquinas fotográficas, quer compactas quer reflex, possuem o modo manual. Por modo manual (M) entende-se o programa que define os valores de abertura do diafragma – conhecido por número f, que varia entre 1 e 22 -, a velocidade do obturador ou tempo de exposição, que varia entre 1/4000s e 30s e o ISO – de 100 até 12 000 (ou mais). Uma boa fotografia depende da combinação destes três factores e estes dependem da luz existente. Como se chega à fórmula perfeita? Experimentando. Fazendo inúmeras tentativas com valores diferentes. É um longo percurso…

  • Capital

    Feliz Natal, na feira popular

    A feira popular regressou a Lisboa…pelo menos, durante a época natalícia. O espaço onde anteriormente foi a enorme feira popular de Lisboa recebe, até Janeiro, algumas diversões dos seus dias áureos. É possível visitar-se o recinto para se andar nos carrinhos de choque, tentar a sorte nos jogos da feira (tiros, lançamentos e arremessos), andar no carrocel…entre outros. Em relação ao ano passado, existem 3 novas diversões e uma zona de restauração mais bem equipada. Estima-se que o número de visitantes passe o do ano passado (100 mil pessoas), sendo que a maioria devem ser os reincidentes dos anos anteriores. Desde 28 de Novembro e até dia 25 de Janeiro…

  • Literatura

    “O Drible” ganha o Grande Prémio Portugal Telecom

    Sérgio Rodrigues foi o grande vencedor da 12ª edição do Grande Prémio Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa com o seu livro “O Drible” no passado dia 8 de Dezembro no Rio de Janeiro. O escritor de Minas Gerais é autor de Todoprosa e Sobre Palavras, dois blogs da Veja Online. Trabalhou também como repórter, editor e colunista no Jornal do Brasil e na TV Globo, entre outros. No seu discurso de agradecimento, apelou a uma melhor qualidade no ensino público brasileiro e lembrou o quão importante este prémio é para a literatura brasileira, que ainda é pouco conhecida nos outros países. Dedicou ainda o prémio à sua mãe…