• Opinião

    Popular ou populismo?

    Cristina Ferreira não é só uma apresentadora de televisão, não é só uma empresária de sucesso, não é só uma cara bonita que lidera audiências. É, sobretudo, o rosto da ascensão social portuguesa. No tempo dos meus avós, uma rapariga da Malveira estaria sempre condenada a ser a saloia que vinha à cidade vender couves ou servir nas casas mais ricas. Mas, Cristina Ferreira, hoje uma mulher de sucesso, que influencia diariamente centenas de milhares de espectadores, que vende roupa aos milhares, não teria, não há muitas décadas, outra coisa que fazer que não passasse por servir, nem outra coisa que vestir que não uma saia remendada e um avental…

  • Opinião

    Marcelinho de Belém

    O nosso “querido” presidente cumpriu dois anos de mandato no passado dia 24. Escusado será dizer que vai ser reeleito daqui a três anos. Desse modo, as aventuras de Marcelo pelas terras que, por hierarquia, são como se fossem suas (não são não, são do povo!), vão ser renovadas por mais algumas temporadas. Deviam ser nomeadas a algum prémio de televisão, porque nem o pessoal de Hollywood conseguiu (que me lembre) personificar uma bola de ténis no corpo de um chefe de Estado. Conforme o evento, era como se o Marcelinho levasse uma raquetada do destino ou da mente, ou do que é que fosse. Lá ia, tipo bala, onde…

  • Opinião

    A 4 Mãos: O que fica de 2017?

        Marcos Melo (MM): 2017 está a dar as últimas. 2018 esgueira-se, ao virar da esquina. Foram doze meses recheados de acontecimentos — uns mais mediáticos e outros mais discretos. Nestas lides dos media, é um habitué fazer-se a revista do ano. Por razões compreensíveis, todos os órgãos de comunicação social debruçam-se sobre os mesmos assuntos — e, provavelmente, nós fá-lo-emos, também. Neste artigo, proponho respondermos à pergunta: quando pensas em 2017, de que te recordas? Contudo, não somos obrigados a mencionar o óbvio (podemos ou não fazê-lo).  Assim sendo: Maria, sob o teu olhar, o que marcou 2017?   Maria Moreira Rato (MMR): O acontecimento que surge na…

  • Atualidade

    Buscas na Ordem dos Enfermeiros após queixa da bastonária

    Na sequência de uma denúncia de alegadas irregularidades financeiras, a Polícia Judiciária iniciou uma operação de busca que se destina à “recolha de provas”. A investigação segue a denúncia levada a cabo pela bastonária da classe, Ana Rita Cavaco, feita a 12 de fevereiro e trata-se de dois processos disciplinares contra a sua vice-presidente, Graça Machado, e o diretor financeiro da instituição, José Lopes. Na sua origem estão acumulação ilegal de ordenados, despesas sem justificação, alteração do sistema informático que controla as horas de trabalho, não pagamento do IMI de vários imóveis –  propriedade da Ordem dos Enfermeiros -, entre outras acusações. No seguimento de uma investigação da TVI, o…

  • Opinião

    Está tudo acabado entre nós, Alberto

    O serviço público de televisão é um daqueles assuntos que pode estar sempre na berlinda. Há opiniões para todos os gostos e é recorrente ouvir “eu não pago um canal para eles darem isto”. Claro que todos nós pagamos a RTP, mas há aqui uma certa confusão: a RTP não existe para preencher os gostos de quem a paga. Isso seria impossível, por um lado, e, por outro, a função da RTP é garantir o serviço público por mais desinteressante que “Bem-vindos a Beirais” nos possa parecer. O verdadeiro problema reside nas diferentes interpretações do que é o serviço público. A recente polémica sobre a compra dos direitos de transmissão…