• Opinião,  Sem Categoria

    A 4 Mãos: Carrilho versus Bárbara – o legitimar da violência doméstica?

    Marcos Melo (MM): Manuel Maria Carrilho, antigo Ministro da Cultura nos XIII e XIV Governos Constitucionais, ambos encabeçados por António Guterres, foi condenado a uma pena de prisão de quatro anos e meio pelos crimes cometidos contra a ex-mulher, Bárbara Guimarães, apresentadora de televisão. Violência doméstica, ameaças, ofensas à integridade física, injúrias e denúncia caluniosa foram os crimes julgados em tribunal, no passado dia 31 de Outubro. Contudo, falta referir um pormenor que faz toda a diferença: a pena foi suspensa, que é como quem diz: és culpado, levas um puxão-de-orelhas, mas podes sair em liberdade. Maria, o que tens a dizer acerca deste veredito?   Maria Moreira Rato (MMR):…

  • Atualidade

    Em 12 anos, quatrocentas e cinquenta mulheres morreram em Portugal vítimas de violência doméstica

    Nos últimos 12 anos quatrocentas e cinquenta mulheres foram assassinadas, principalmente por parte de homens com quem mantinham uma relação íntima. A maioria das queixas na APAV foi apresentada por mulheres jovens. Quatrocentas e cinquenta mulheres assassinadas e 526 vítimas de tentativa de assassínio. Estes são os dados divulgados pelo Observatório das Mulheres Assassinadas, da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) que dão conta dos homicídios e tentativas de homicídios desde 2004. Em 83% dos casos a vítima e o agressor mantinham ou já teriam tido uma relação de intimidade. O observatório dá conta do grupo mais vitimizado, o das mulheres com idades superiores a cinquenta anos, seguido das…

  • Atualidade,  Informação

    Relatório da APAV divulga o balanço de vítimas de crimes e de outras formas de violência

    O número de adultos agredidos pelos próprios filhos aumentou no último ano, revela o relatório anual da APAV. Desde 2013 que o número de denúncias relativas a violência têm vindo a aumentar; mulheres casadas e comprometidas representam 58,4% das queixas apresentadas. A APAV é uma instituição particular de solidariedade social sem fins lucrativos que visa sobretudo, mas não só, apoiar qualquer vítima de crime. Todos os anos, esta instituição elabora um relatório a fim de expor o balanço das suas atividades. O relatório divulgado esta terça-feira e referente ao ano passado revela que a APAV apoiou 9612 vítimas, dos 23.326 crimes contabilizados. É de salvaguardar ainda que uma vítima pode…

  • Opinião,  Secções

    Rotina

    Abro os olhos. A cama está fria, o Rui já foi certamente para o trabalho. Ele madruga sempre, quer ser o primeiro a chegar ao escritório. Levanto-me com dificuldade, até respirar custa. Arrasto-me até à casa de banho e ponho a água a correr. Ainda tenho 25 minutos até os miúdos acordarem. Forço-me a olhar para o espelho mas não me reconheço. É a mesma cara, o mesmo nariz, os mesmos lábios e quase os mesmos olhos, mas não sou eu. Não posso ser… A água escaldante acalma-me a mente e esquematizo a rotina: miúdos, trabalho, supermercado, jantar. Tenho de ligar à minha mãe, para não se esquecer de ir…

  • Atualidade,  Informação

    Violência doméstica: o drama que não pára

    Hoje soube-se o resultado do relatório anual sobre a violência doméstica que mostra que há mais queixas de violência física no namoro do que no casamento. As estatísticas mantêm-se semelhantes aos anos anteriores, sendo que houve no ano passado mais queixas de violência física no namoro do que nos casamentos, com uma media de casos analisados na casa dos 28 anos. Este relatório dá conta de que 89% das queixas apresentadas se referiam a agressões físicas entre namorados, sendo que as agressões psicológicas não ficam muito atrás, com uma percentagem de 73%. Nos casamentos, as queixas não são significativas. Isso pode explicar-se pelo facto de no namoro ainda não ter…

  • Literatura,  Secções

    Recensão Crítica: Eleanor & Park

    Sabem quando começam a ler um livro e pensam que aquele livro é só mais um livro? Aconteceu-me isso com este “Eleanor & Park”, da norte-americana Rainbow Rowell. No entanto, ao fim de algumas páginas, percebi que estava enganada. Este livro não é mais um romance de adolescentes. Embora exista alguma controvérsia acerca de algumas cenas consideradas demasiado explícitas sexualmente — mesmo que não exista vocabulário impróprio nem conteúdo que possa ser “chocante” —, este livro foi considerado pela Amazon como o melhor livro para jovens adultos de 2013. A história começa em Agosto de 1986 e não nos traz duas personagens visivelmente carismáticas. Tanto Eleanor como Park, ambos de…