Media

Três séries de política para veres em altura de eleições

Nota: Este artigo faz parte da edição digital de janeiro de 2021 – Sufrágio Contemporâneo.

Com o clima das eleições presidenciais ainda aí, a Magazine decidiu trazer-te uma edição especial sobre Política. Nesse sentido, venho recomendar-te três séries que, direta ou indiretamente, tratam este assunto ao longo dos seus episódios.

The Crown

Estreou em 2016 e foi a produção mais cara da Netflix e também a primeira a ser realizada em Inglaterra, mais concretamente no Reino Unido. The Crown é uma série biográfica que conta a história do reinado da Rainha Isabel II, que ascende ao trono após a morte do seu pai, em 1952.

Esta série é, então, um drama baseado em factos reais que te ajuda a perceber melhor como funciona o sistema político britânico, nomeadamente a Monarquia Parlamentarista.

Claire Foy em The Crown. Fonte: Claudia

Ao longo das duas primeiras temporadas, é a atriz Claire Foy quem interpreta a jovem Rainha que chega ao trono com apenas 25 anos. Sua Majestade tem de lidar com impasses que lhe são impostos pela Coroa e pelo governo, tendo, ao mesmo tempo, de cumprir com as exigências que advêm do cargo superior que ocupa. Como se costuma dizer, “com grandes compromissos vêm grandes responsabilidades”. As crises institucionais e a dinâmica do Parlamento Inglês são muito exploradas ao longo de todos os episódios da série.

Na terceira temporada, a Rainha já está mais madura, pelo que é interpretada por outra atriz: Olivia Colman. Aqui, a Monarca encontra-se mais preparada para lidar com as exigências da Coroa, mas mesmo assim tem de gerir os escândalos em que a sua irmã, a Princesa Margarida (Helena Bonham Carter), se envolve para a prejudicar.

Olivia Colman enquanto Rainha. Fonte: Town & Country Magazine

A quarta temporada estreou a 15 de novembro de 2020 e com ela chegou um momento muito aguardado pelos fãs: a primeira temporada em que aparece a Princesa Diana.     É nesta temporada também que aparece a dama de Ferro – Margaret Thatcher. Uma temporada com muitas críticas por retratar aquilo que os fãs consideram ser um “lado mais negro” da vida de Diana.

Infelizmente, para os fãs desta série, em 2021 não existirá uma nova temporada, porque os produtores vão tirar o ano para produzir mais episódios. Em contrapartida, em 2022 estreia a quinta temporada e, no ano seguinte, estreia a sexta e última temporada de The Crown.

Scandal

Produzida pela emissora American Broadcasting Company (ABC), esta série de suspense teve um enorme sucesso e contou com sete temporadas, exibidas entre 2012 e 2018. 

Shonda Rhimes, conhecida por realizar filmes e séries de sucesso, como “Anatomia de Grey” e “Diário da Princesa 2”, é guionista e produtora executiva desta série.

Kerry Washington enquanto Olivia.  Fonte: Globo

Em Scandal, Olivia Pope (Kerry Washington) é uma ex-funcionária da Casa Branca que decide abrir a sua própria empresa, com o principal objetivo de salvar a reputação de pessoas importantes dos Estados Unidos da América.

Pope evita que apareçam rumores, boatos ou crimes que tentem destruir altas patentes da sociedade americana. O objetivo é que as personalidades políticas fiquem com reputações intactas, e até o próprio Presidente chega a precisar da sua ajuda. Que atire a primeira pedra quem nunca quis ver os seus problemas todos resolvidos por Olivia.

Scandal tem Washington como cidade de fundo da trama e apresenta algumas curiosidades interessantes. Por exemplo, a Vanity Fair considerou Olivia Pope uma das personagens mais bem vestidas da televisão. Para além disso, esta série é parcialmente baseada na figura de Judy Smith, uma ex-assessora do presidente americano George H.W Bush. Deste modo, Judy é uma espécie de alter-ego de Olivia Pope e inclusive ajudou a co-produzir todas as temporadas que Scandal teve.

A atriz Kerry Washington com Judy Smith. Fonte: Sapo

Infelizmente, Scandal terminou em 2018, mas é sempre interessante rever, porque os episódios desta série utilizam a política norte-americana e os dramas do Presidente dos Estados Unidos para completar a trama.

The Bodyguard

A última série que te recomendo neste artigo estreou em 2018. Com apenas seis episódios com cerca de uma hora cada um, The Bodyguard começou por apenas estar disponível na BBC do Reino Unido e foi posteriormente comprada pela Netflix, a grande responsável pela sua divulgação e o seu sucesso a nível mundial.

Fonte: Netflix

O ator Richard Madden é o protagonista desta série e interpreta o guarda-costas David Budd, que sofre de stress pós-traumático depois dos anos de guerra que passou no Médio Oriente.

Apesar disso, Budd consegue um cargo muito importante e vai ter de defender a Secretária de Estado da Defesa Britânica (Keeley Hawes). Julia Montague é uma mulher muito controversa e, por isso, tem a sua vida em perigo e precisa de proteção. Contudo, também David pondera aproveitar-se dos benefícios da sua profissão para se vingar, pois, afinal, Julia é a principal responsável por enviar soldados para o Médio Oriente. Deste modo, Budd pondera se não deverá ser ele a matá-la, fazendo exatamente o oposto do que seria suposto.

The Bodyguard é um thriller policial com muita ação e muito mistério. Além disso, também tem uma componente política, porque ficamos a conhecer os representantes do Parlamento Inglês. Neste caso em específico, é-nos apresentada uma Home Secretary, que é uma política veterana que comanda o MI5, ministério que engloba serviços como a Segurança Nacional ou o Terrorismo. Esta série lança assim um debate interessante sobre esta última temática, porque nos dá a perspetiva interior de como se gerem as ameaças terroristas e o que é feito pelo governo para evitar que algo grave aconteça. 

Esta série valeu a Richard Madden um Golden Globe em 2019, ano em que foi confirmada oficialmente a segunda temporada. Embora nunca tenha sido apontada uma data de estreia para os novos episódios, os rumores online apontavam para 2020, mas a realidade é que tal não se verificou. Espera-se assim que 2021 seja o ano que estreia a segunda temporada de The Bodyguard.                    

Artigo revisto por Ana Janeiro

Fonte da foto de capa: The Wrap

Avatar

Sempre gostou de escrever e comunicar. As séries ocupam grande parte da sua vida e, por isso, tenta sempre dar o seu toque pessoal a todos os artigos que escreve.  Com 20 anos, Inês não tem dúvidas que o seu futuro passa pelo jornalismo e sobretudo pela comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *