• 7ª Arte

    A 7ªArte no (des)conforto de Deus Ex Machina

    Por muito que nos sintamos próximos do Cinema, devido à sua crescente acessibilidade e divulgação, em certos momentos essa relação já nos levou a deceções maiores que qualquer admiração que tenhamos até à altura sentido. O fenómeno poderá afetar de forma mais dramática os indivíduos que sigam o cinema e conteúdos semelhantes com objetivo de os idolatrar. No entanto, em consequência da cegueira fanática, os defeitos acabam por passar ao lado. A deceção pode não chegar a concretizar-se, pois os seguidores e fãs de alguns dos conteúdos não chegam a querer ver a realidade do seu ícone artístico. Lidar com a desilusão é um ato de coragem que por vezes…

  • Opinião

    A saúde alimentar e o perigo das redes sociais

    Aviso de gatilho: o conteúdo pode ser sensível para quem lide/esteja a lidar com distúrbios alimentares. Quando ainda cabíamos no colo da nossa mãe, aprendemos a apreciar o carinho que os outros nos dão. Soletrámos as nossas primeiras palavras e habituámo-nos a valorizar a hora da refeição. Por muito que sentíssemos um desdém ao nos apresentarem o prato à mesa de jantar, éramos forçados, em algumas alturas de forma gentil, noutras nem tanto, a comer qualquer refeição que estivesse à nossa frente. O ato de comer tornara-se numa prática extremamente necessária na rotina. Se não interiorizássemos o quão imprescindível era a nutrição, diziam-nos que se não comêssemos não iríamos ser…

  • 7ª Arte

    P´tit Quinquin: Uma sátira ao patriotismo francês

    Um prado verde com arbustos e habitações ocasionais enquadram o protagonista. De nuca descoberta, evidenciando o cabelo curto e o aparelho auditivo, o rapaz observa acolá uma jovem a tocar uma canção num instrumento de sopro. Já de frente, o pequeno confunde-se com uma versão encolhida do Stalker, de Tarkovski. Estes são os três planos que iniciam a história ocorrida num aldeia em França. O pequeno Quinquin – no original, P´tit Quinquin – para além de dar nome ao rapaz de nariz tosco, é também o título da inesperada comédia de Bruno Dumont. Ao volante de um Citroën, numa condução agressiva, o comandante Van der Weyden (Bernard Pruvost) e o…

  • Opinião

    Portugal é amigo das brasileiras, ou faz de conta?

    Ao contrário daquilo por que ansiávamos, 2021 não veio aliviar os preconceitos do ano passado. No começo desse ano tivemos, em Portugal, um caso mortal de xenofobia ocorrido ao abrigo do SEF e, este mês, deparámo-nos com o corpo de uma mulher transsexual no areal de Matosinhos. Não é necessário acompanhar a investigação para se saber que a probabilidade de o crime se ter dado por discriminação da identidade de género da vítima é muito grande. A comunidade LGBTQ+, apesar de atualmente ter maior apoio tanto de partidos políticos como de associações relevantes, continua a ser um dos maiores alvos de crimes bárbaros, de entre os quais assassinatos. O nicho…

  • 7ª Arte

    A crítica em declínio e a educação como fator

    “Na presente conjuntura, acabou por aparecer um tipo de texto que, na melhor das hipóteses, é uma informação. Ocorreu uma desvalorização do trabalho crítico”, estas são palavras extraídas de uma entrevista que o crítico João Lopes deu à revista universitária de Coimbra “Rua Larga”. O contexto da conversa é de cariz digital, focado na generalização do vídeo e do DVD como fator da mudança do visionamento e, posteriormente, da crítica de cinema. No entanto, decido acrescentar a educação a este panorama. Ao longo de três anos de faculdade, poucos foram os professores com que me cruzei que tivessem prazer em debater a 7ª Arte. O que é infeliz, dado que…

  • Opinião

    A ilusão do eco friendly na indústria alimentar

    Mais-valia, mais·-va·li·a: nome feminino. Segundo a doutrina marxista, é o lucro do qual beneficiam os capitalistas e que é constituído pela diferença entre o valor dos bens produzidos pelos trabalhadores e os salários recebidos por estes.  O tema que uso como início para este não-tão-saboroso artigo é empregue por Karl Marx, de forma a simplificar o conceito de “lucro”. Dado que pretendemos abordar três polos, entre eles o capitalismo, seria indispensável uma menção ao seu grande opositor.  Num passar de olhos pelas redes sociais, reparei, por entre o conteúdo menos relevante, num assunto que se encontrava momentaneamente na berra. Já sabemos que, dentro do grupo de cyber-revolucionários – hashtag Marisa…

  • 7ª Arte

    DocLisboa: Cinema no feminino em tempos de pandemia

    Até ao momento da concretização deste artigo não me tinha ocorrido nenhuma ideia inovadora e tinha acabado de comprar um bilhete por impulso, portanto, no início do mês de Dezembro, decidi assistir à última sessão do DocLisboa. Abordar a ambiência de uma sala de cinema em contexto de confinamento pareceu-me ser uma boa escapatória. Agora não me orgulho desta tomada de decisão tão óbvia. Poderia ter visto algum filme mais recente da Netflix e estampar como imagem de capa uma cara conhecida. Em vez disso, opto por destacar um festival de cinema que fará muitos olhos revirar por falta de interesse, infelizmente. Eis que, nesse dia, após uma aula online, corri…

  • Opinião

    Nostalgia Digital – O que achamos serem memórias

    Há cerca de quatro décadas vimos o mundo analógico reformar-se, sentar-se no sofá e dar lugar à era digital. Partimos de uma sociedade industrial, que concretizava mecanismos laborais e comunicativos com uma maior proximidade entre indivíduos, e que se encontrava perante a permanente necessidade de fazer evoluir sistemas que facilitassem a vida quotidiana. Esta evolução será feita através da compreensão de conceitos abstratos ligados à informática, como é caso dos microprocessadores. O conceito analógico – esta é para os que, em meio académico, não tiveram de levar com longas horas sobre a história dos media – está vinculado à analogia que, aplicada, consiste na comparação dos objetos da era com…

  • 7ª Arte

    O mundo sonoro de David Lynch

    Seja em registo de pintor ou cineasta, é possível que já tenhamos ouvido falar de David Lynch, através de um discurso familiar que nos avisou que se tratava de “um criador de aberrações” ou por termos descoberto O Diário Secreto de Laura Palmer abandonado na casa do nosso avô, quando tínhamos apenas quinze anos. Conhecido pela sua cinematografia surrealista e equilíbrio do real com o sonho, David, com 74 anos, conta já com o seu apelido anotado no dicionário dos amantes de cinema, tal como é o caso de Kafka ou Fernando Pessoa na Literatura. Algo que intriga o público habitual de Lynch ou qualquer espetador curioso que se cruze…

  • Opinião

    Dia Mundial do Veganismo: Uma opção a ter em conta

    Novembro tem tudo o que é preciso para ser um mês peculiar. Começamos pelo Halloween, o mês ainda mal nasceu e já tem guloseimas pegajosas que graúdos lhe prenderam ao cabelo. O trabalhão que lhe dará quando descobrir que há teias por retirar dos prédios… Tem sorte que no dia seguinte é feriado. Dia 1 de Novembro celebra-se – não sei se a escolha do verbo é a mais acertada – o dia de Todos os Santos. Para os mais esquecidos, resumidamente, trata-se do dia em que se homenageia e visita os que cá não estão mais presentes.  No Reino Unido, foi estabelecido pelo presidente da The Vegan Society, em…