• Literatura

    As melhores redes sociais para quem adora ler… e partilhar!

    Ler livros é ótimo, mas poder partilhar o que lemos com os outros é ainda melhor! Numa altura em que estamos cada vez mais próximos da tecnologia, da internet e das redes sociais, é preciso tirar o melhor partido dela. Então, por que não juntar o melhor dos dois mundos? Bónus: para além de partilhares o teu gosto por livros, consegues ainda descobrir leituras novas! Existem muitas opções, mas o pequeno apontamento que aqui fica é um conjunto de sugestões mais práticas e de fácil acesso para os devoradores de livros em Portugal: GoodReads Criado em 2006, este site ajuda-te a encontrar a tua próxima leitura, a descobrir novos autores…

  • Opinião,  Secções

    “Tecnovirose” is on fire

    Eu nasci em 1995 e sinto que a sociedade nos tem tornado robots teleguiados pela tecnologia e pela comunicação de massas. A tecnologia traz toda uma panóplia de vantagens em termos de comunicação mais rápida e eficiente, diálogo com pessoas que não conhecemos (se for a pessoa correta), acesso a todo o tipo de informações, aumento da cultura geral e da difusão dos países ou de outro tipo de contextos que contribuem para o diálogo intercultural. Por outro lado, num piscar de olhos, deparamo-nos com imensas desvantagens tais como a insegurança, os boatos, a publicidade abundante, os supostos corações partidos por relações “à facebook” ou via Bluetooth com a troca…

  • Opinião,  Secções

    O Lobo Mau e o jovem adolescente

    Tenho alguma dificuldade em assistir a documentários feitos sobre o vício da internet. Alguns familiares dizem-me que isso se deve ao facto de eu mesma ter esse vício (não sei do que falam, só passo cerca de 26 horas por dia em frente ao computador), mas sei que, na verdade, o problema não é esse. O problema está um pouco mais distante de mim e mais perto dos jornalistas que fazem estes documentários. Aqui há dias ouvi um senhor, cujo filho era dependente da internet, a dizer que, na televisão, “é tudo muito bonito”, mas que as coisas se passam de forma diferente na realidade. Ironicamente, o documentário onde esse…

  • Atualidade,  Informação

    As promessas para um mundo melhor feitas na ONU

    A cimeira do Desenvolvimento Sustentável, que teve lugar na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque e a duração de três dias, terminou hoje, deixando algumas promessas a serem cumpridas até 2030, em áreas como a saúde, o ambiente, a economia e a educação, entre outras, com o objetivo de um mundo melhor. Xi Jinping, o presidente da China, após ser alvo de críticas nesse assunto, anunciou a criação de um fundo de ajuda ao desenvolvimento de dois mil milhões de dólares, pois quer “colocar a justiça à frente dos interesses particulares”. O fundo destina-se aos países mais pobres do sul do planeta, de onde a China…

  • Opinião

    Quando o conteúdo se torna lixo

    (Ilustração de Sandrina Fonseca) Sou um entusiasta das redes sociais, assumo. Aliás, sou dependente do online, na sua generalidade. Não arrisco afirmar que sou viciado, pois um verdadeiro viciado não o admite. (Pronto, provavelmente, sou mesmo…) Eu sou daquelas pessoas que, quando acorda, a primeira coisa que faz é pegar no smartphone, que está em cima da mesa-de-cabeceira – convém que esteja ali à mão de semear. Em meia dúzia de minutos, consulto o que foi publicado, durante as últimas horas, no Facebook e no Instagram. É mais forte do que eu… Mas adiante. A introdução do parágrafo anterior serve apenas para fazer a ponte para uma constatação meramente pessoal…

  • Opinião

    Dicas de etiqueta do e-mail (parte 2)

    O prometido é devido. Por isso, aqui está a segunda parte do artigo “Dicas de etiqueta do e-mail”.   Ilustração de Rute Cotrim Ler (ou reler) a primeira parte, aqui.   3. As formalidades   3.1. Cumprimentos e despedidas   Se no nosso dia-a-dia cumprimentamos as pessoas com Bom dia, Boa tarde, Boa noite ou simplesmente Olá – dependendo do grau de formalidade –, por que motivo, no e-mail, haveremos de o fazer de forma diferente? O e-mail não é uma carta, é apenas uma representação virtual desta. Por isso, não faz sentido começarmos um e-mail com Excelentíssimo Senhor Doutor Professor… Mediante a cerimónia que o trato nos exija, proponho…

  • Opinião

    Comprar online

    Actualmente, qual é o elo entre o consumidor e o acto de consumir? A resposta é simples: o online. A Internet revolucionou inúmeros sectores da sociedade e o das transacções comerciais não é excepção. No entanto, as compras online sempre foram olhadas de soslaio. Regra geral, o consumidor tradicional desconfia do comércio online. Acima de tudo, paira no ar o medo de que o seu dinheiro seja roubado por um pirata cibernético sem escrúpulos. Mas, como é óbvio, existe o reverso da medalha: os fãs dos cestos de compras virtuais. Para estes novos consumidores, já é um hábito comum passar a pente fino sites como o eBay com o intuito…

  • Opinião

    A Era Leaked

    (Ilustração por Rute Cotrim) A Internet é impaciente. Quem espera, desespera, diz o provérbio. E, neste caso, a sabedoria popular assenta que nem uma luva à Sô Dona Rede. É certo e sabido que a indústria musical atravessa tempos atribulados. Os seus timings não se coadunam com o ritmo da locomotiva online. A imprevisibilidade mora ao virar da esquina. Os cérebros da indústria musical esforçam-se por delinear estratégias inabaláveis. No entanto, no duelo do braço de ferro, os vencedores são irremediavelmente os cibernautas. O faro destes é apuradíssimo. Não é de admirar que jargões como vazar ou cair na net sejam tão familiares ao nosso léxico digital. A já corriqueira…

  • Opinião

    Diga não à Internet e diga sim ao Facebook!

    Já tinha revelado em crónicas passadas a minha paixão por estatística. Hoje deparei-me com um magnum opus do género. Só para fazer um pequeno enquadramento: no mundo da ciência, um estudo nunca chega; no da ciência social, muito menos. Para evitarmos ficar com uma gelatina de incerteza é necessário alicerçar um estudo com outros estudos. E este é exatamente o caso: uma nova investigação, promovida pelo site Quartz, reforça a tese de um estudo de 2012 do thinktank LIRNESIA: as pessoas do sudeste asiático (Tailândia, Indonésia, Filipinas e Myanmar) têm mais tendência para se declarar utilizadores do Facebook do que utilizadores da Internet. Helani Galpay, líder da investigação, pensou que…